10 de ago de 2015

[Resenha] HON-RA METAL FEST I - Shows - Marechal Rock Bar - Caxias do Sul/RS (08/08/2015)

(Editor / Redator / Músico)
----------------------------


Neste último fim de semana, tivemos o primeiro HON-RA METAL FEST, idealizado e organizado pela banda gaúcha de death melódico, HON-RA. O Evento aconteceu no Marechal Rock Bar, um espeço que vem crescendo na cena caxiense como um dos principais pontos underground da região. E é claro que o Heavynroll, além de estar no apoio, estava presente para conferir esse momento histórico.

Cheguei com a Márcia no bar por volta das 23hs na companhia dos amigos Ju Gomes e Robson Antunes e fomos recebidos pelo guitarrista dos anfitriões, Wagner de Moraes, uma figuraça! Um cara bem positivo e educado, com um carisma fora do comum. Não me demorei muito e entrei, pois estava com sede (se é que me entendem...), e logo encontro outro anfitrião, o meu amigão de longa data Jener Milani, uma lenda do death nacional, um dos caras mais antigos da cena. Digamos assim, que ele "estava lá, quando Moisés cruzou o Mar Vermelho" (hehehe).

Cada ingresso valia um mini-CD single e as minhas 2 cortesias foram trocadas de imediato. E com mais 5 pilinhas ainda levei mais o terceiro single, que estava sendo lançado no mesmo dia. E já digo de cara que os caras realmente sabem lidar com merchandising. Os 3 singles, (do tamanho de biscoitos) em sua contra-capa, formam a parte superior do logo da banda e eles pretendem completa-lo com o lançamento de mais 9 nos próximos meses.

O público não foi exatamente o esperado, mas tava bem legal (em torno de 150 pessoas), ainda mais quando encontrei meu grandes amigos Fábio SulianiHenrique e Rodrigo Kahler do SCRAPER HEAD, Lucas Rodrigues e Nyk de Pieri (esse eu me surpreendi) da BABY SITTERS, a outra lenda do metal Cipriano Maffei (Ele serviu o vinho na santa ceia), com Lander Silva, ambos do THE SCEPTIC e KOMBAT e muitos outros medalhões. Não posso esquecer meu amigo queridão, Dolfo!!

Opa! Ouvi barulho e microfonia vindo do palco, tá na hora da destruição!

TEARS ÖF RAGE

A banda que abriu o evento com as músicas "Devil´s Child", "Across the Bridge" e "Vengeance", 3 sons autorais de muita qualidade e personalidade. O T.Ö.R é uma banda que vem crescendo no cenário regional com seu heavy metal tradicional, com músicas bem criativas e imprevisíveis e a cada apresentação vem evoluindo de forma sistemática.
Cléber Reis, dono de uma goela (e uma barba) poderosa, vem ao microfone e anuncia "Nós do Tears of Rage, costumamos tocar muitos covers em nossos shows, mas hoje vamos focar em nossas músicas, mas nem por isso deixaremos de tocar um pouco de nossas influências... agora, pra vocês, King Diamond!!!" e a banda arrebenta com um cover muito legal de "Arrival" do mestre KING, ganhando de vez o meu respeito.
Mas como ele mesmo anunciou, a noite era de sons autorais. Cléber então comenta que a banda está em fase de gravações e produção primeiro álbum e então tocam mais sons da banda, "Curse of Eternity", "Eternal Torment", a clássica "Tears öf Rage", o recente single "Walk in the Valley of the Shadows of Death", presente no Heavynroll Collection 2014 e o primeiro single da banda, "Collapses in Paradise" de 2011, fecha o cardápio do prato principal.
Para os pratos doces e cítricos, tivemos ainda "TV Crimes" (Black Sabbath), que  surpreendeu com uma ótima performance, a inusitada "Burn in Hell" (Twisted Sister) e o show fechou com todos cantando junto "Balls to the Wall" (Accept). Missão cumprida!

Para conhecer mais a banda:
https://www.facebook.com/tearsofrage?fref=ts


HON-RA

Depois de uma breve pausa para troca da banda, que dura poucos minutos, é chagada a hora dos anfitriões da festa. O HON-RA tocou um repertório mais curto, porém 100% autoral, A banda abriu com "Evil Shadows" e de cara você já percebe a qualidade excepcional da banda. Na "Demons on the Run" uma atmosfera mística tomava conta do lugar. Não sei explicar. Apesar de ser um som extremo, as músicas do HON-RA possuem essa atmosfera bacana que envolve o ambiente, talvez pelos caras serem tão legais, por ser um som melódico... sei lá. Nunca tinha visto eles ao vivo, vergonhosamente, até comentei com o Jener que finalmente os astros haviam se alinhado.
"Ronin" levantou a galera, é uma música muito legal, bem trabalhada, mas foi "From the Shadows of Depths" que botou todos em êxtase. A música é velha conhecida do público local, tem inclusive um videoclipe que levou o primeiro lugar na votação dos Melhores do Ano CXS.
Para fechar a noite, a banda ainda executou "Honor", "Black Angel" e a já clássica "Lord of War", fechando com chave de ouro um apresentação impecável. Aliás, atualmente a banda é um power trio, mas o detalhe é que não tem baixista. Isso mesmo! 2 guitarras e bateria, com Jener Milani na guitarra e voz, Wagner de Moraes na guitarra solo e o fabuloso Rodrigo Zanella, o cara é um monstro!
Um detalhe importante: Antes do show, conversando com o Jener sobre a pronúncia correta do nome da banda, pois estava em dúvida, ele me explicou o significado. Eles pegaram a palavra "honra" e se pronuncia assim, com "h" mudo. Separaram Hon, por sem uma linguagem universal de meditação e musical e Ra, como o deus egípcio do sol e então ficou "hon-ra". Capicci?

Para conhecer mais a banda:

LETHAL SENSE

A banda de Bento Gonçalves/RS faz um grindcore violento e podre, com um instrumental bem tocado e um vocal gutural muito profundo, quase inaudível. É um estilo de som que EU, particularmente, não gosto. Como estava comentando com o o meu amigo Henrique (Scraper Head), que estava curtindo demais a banda, dentro do rock e metal, eu tenho limites, e o meu tá muito antes disso, mas enfim... Pelo que pude perceber da platéia, a banda mandou muito bem e a galera estava curtindo pacas! 
Lander Silva (The Sceptic, Kombat), em dado momento até brincava comigo dizendo, "Olha Marco, tu vai adorar as letras desta músicas" e com os CD´s da banda em mãos começou a ler o título das músicas, como "Inflamed Intestinal Infection", "Scrutum Pus", "The Whore Expanded Anus", "The Zombies", "The Revascularization" e por aí vai... 

Sei que o LETHAL SENSE tem um nome forte na cena gaúcha e se você quiser conhecer mais e curte esse som, acesse o link: https://www.facebook.com/lethal.sense?ref=ts&fref=ts

KAIROS (Tributo a Sepultura)

Para fechar a noite tivemos muito SEPULTURA!! Estava lá fora, num espaço aberto bem bacana atrás do bar conversando com amigos como Fabian Reis (produtor de eventos) e Luis Tomasini (Rotten Penetration) e de repente "Arise" começa a soar nos PA´s e tive de pedir licença para dar uma conferida na banda. Logo percebi que era formada de garotos muito novos mas que mandavam muito bem mesmo. Isso me fez pensar em duas coisas: 
1º que as novas gerações estão chegando e, apesar do lixo que vem sendo empurrado com esse tal "modern metal" e coisas do tipo, do qual se salvam poucos, tem muita gurizada que vem "matando a pau" e mantendo a tradição.
2º, não conhecia nenhum deles, olhei pros lados e só tinha uns "véio" ao meu redor, mas a grande maioria era garotada... é... acho que tô ficando "véio" também, hahaha
O repertório se seguiu tocando grandes clássicos da banda homenageada, com chavões como as imprescindíveis, "Refuse/Resist", "Troops of Doom" e "Roots", mas não faltou espaço para clássicos como "Dead Embryonic Cells", "Territory", "Inner Self" e "Slave New World", outros sons mais "desconhecidos" como "Amen". 'Nomad", "Propaganda'" e "Dusted", também tiveram seus momentos, baseando seu repertório praticamente em 3 álbuns da Era Max: "Arise" (1991), "Chaos A.D." (1993) e "Roots" (1996).
O vocal de Álvaro Verdi soa mais agudo do que Max, mas mesmo assim soava legal. Me passou pela cabeça inclusive, que se eles se aventurassem (se já não o fazem) por músicas próprias, a voz seria muito boa para um thrash metal de qualidade.

Para conhecer mais a banda:
https://www.facebook.com/pages/Kairos/377865729040615?fref=ts

===================================================

Os amigos do HON-RA estão de parabéns, como também todas as bandas envolvidas. Apesar de um público reduzido, coisa que está se tornando cada vez mais corriqueiro em shows do estilo, todos os amigos e pessoas interessantes estavam lá. Foi um baita festival. 
Tenho que destacar também o Marechal Rock Bar, baita lugar! E os donos e atendentes extremamente educados e atenciosos. Lembrando que eles estão aberto a negociar shows para bandas que queiram mostrar seu trabalho aqui em Caxias e região. Pelo que percebi, em rápida conversa com o promoter, Felipe Rech, os caras não muito acessíveis e sem aquela velha intenção de exploração. Espero que vingue.

É isso.
Agora é só esperar pelo OLD & TRUE METAL FEST para mais uma noite de muito metal!!!




Márcia, Jener Milane e Marco Paim

Henrique, Marco Paim, Márcia e Dolfo