6 de fev de 2017

[Resenha] KREATOR - "Gods of Violence" (2017)


Outra grande e clássica banda de Thrash Metal lança seu mais novo álbum. "Gods of Violence" é o 14º álbum do grupo alemão e traz a produção assinada pelo experiente e renomado JENS BROGEN e, obviamente, a sonoridade do álbum tá uma grosseria.

Falando em sonoridade, vi muitas frases em redes sociais como "tá melhor que o do Metallica e Sepultura juntos!", ou "Junta os últimos do Metallica, Sepultura e Testament e não chega perto do do Kreator, isso é que é thrash metal...". Obviamente, eu dou aquela risada amarelada com estes tipos de comentários, pois é aí que vemos a pobreza cultural dos atuais headbangers. Não concordo e nem discordo, apenas acredito que as pessoas se prendem muito em comparações e esquecem a individualidade dos trabalhos.

Pra começar, o KREATOR também já não é mais uma banda de "Thrash Metal" em sua totalidade, vemos, por exemplo em "Gods of Violence" muita influência moderna, do Metal moderno e até do Metalcore, este último em abundância! Você não pode comparar, por exemplo, o vocal linear e sem muita expressão de MILLE PETROZZA à tessitura de CHUCK (Testament) e JAMES (Metallica). Além disso, talvez por ser uma banda alemã, muita coisa que você ouve aqui, o RAGE - que muitos de vocês não conhecem - já fez há muito tempo.

Em termos de composição, apesar de uma diferença de 5 anos, este último trabalho segue a fórmula de "Phantom Antichrist" (2012), o que já denota falta de evolução. Mas os pontos e o destaque vão mesmo para o guitarrista SAMI YLI-SIRNIÖ,  que faz trabalhos incríveis em todo o álbum, desde ótimos e empolgantes riffs, como solos extraordinários se utilizando de técnicas bem modernas.

Na real, o álbum é de longe ruim. É um álbum muito bom, mas não impressiona. Mesmo assim, temos sons muito bons aqui, como a pesada e rápida "World War Now" que abre o álbum de forma empolgante. "Satan is Real" com toda a certeza será, ou já é, o hit do álbum. Duvido o headbanger "fodãozão" que não vai gritar "Saaatan is Real!... Saaatan is Real!..." durante audição ou show. - não pelo contexto é claro, mais por ter a palavra "Satan" (risos). - Veja o clipe:



"Totalitarian Terror" é outra porradaria, com ótimo trabalhos de SAMI. Esta não podemos dizer que não é Thrash, mas a influência do Metalcore é obvia. Já "Army of Storms" é pra mim é uma das melhores do álbum. Ela abre no melhor "Slayer style" e depois entra um riff maravilhoso preenchido com uma dobradinha de guitarras bem melódicas, a batida Thrash vem logo em seguida. O refrão então, é uma grosseria.

Épica e com muita influência nórdica, temos "Hail to the Hordes", outro grande momento do álbum - lembrou muito Grave Digger. - Mas o melhor mesmo ficou para o fim. Sem dúvidas, "Death Becomes My Light" é a melhor música do álbum! Com seus 7:27min de música ela tem de tudo, velocidade, cadência, climas atmosféricos, com direito a um momento bem PINK FLOYD lá pelo final da música - sim, Pink Floyd, Sami deu uma chupadinha bem descarada em David Gilmour no solo.

Sei que você deve estar pensando: "O Marco odiou o álbum!!", não, não odiei, mas também não me impressionou, apenas gostei. O murmurinho e a expectativa era tão grande em cima deste trabalho que acabou por eu esperar algo extraordinário mas, no fim, é epenas mais dos trabalhos legais que será lançado neste ano, aliás, é candidato a minha lista de melhores do ano, mas não em uma posição muito privilegiada, é claro. Com certeza o fã vai amar e me mandar a merda mas, enfim... É só você não vir com comparações pra cima de mim... Recomendado.

NOTA - 8,0
=============================
KREATOR - "Gods of Violence" (2017)
tracklist
01. Apocalypticon
02. World War Now
03. Satan Is Real
04. Totalitarian Terror
05. Gods Of Violence
06. Army Of Storms
07. Hail To The Hordes
08. Lion With Eagle Wings
09. Fallen Brother
10. Side By Side
11. Death Becomes My Light

Line-up
Mille Petrozza  - voz, guitarra
Sami Yli-Sirniö - guitarra
Christian Giesler - baixo
Ventor - bateria




================
   photo ROCKPEDIA.jpg