25 de abr de 2017

[Resenha] BLACK STAR RIDERS - "Heavy Fire" (2017)


Com uma periodicidade de intervalos de 2 anos, o BLACK STAR RIDERS lança seu 3º álbum de estúdio e cada vez mais vai se distanciando do estigma "Thin Lizzy". Porém, os elementos da antiga banda de SCOTT GORHAM ainda estão bem presentes. 

Pra quem não sabe, o BSR surgiu depois de uma turnê de celebração ao THIN LIZZY e PHILL LYNOTT em 2012 e contava ainda com outros membros da formação original. Mais tarde, e após a troca de alguns membros, decidiram seguir um caminho próprio, porém, sempre à sombra do TL, já que o estilo de cantar de RICKY WARWICK, até hoje, lembra muito LYNOTT. Lembro de ter lido em uma entrevista recente que a banda, daqui pra frente, ia deixar de lado músicas do TL e se concentrar nas composições recentes, afinal, já são 3 álbuns para constituir um belo set list.

Mas enfim, estamos em 2017 e o BSR lança "Heavy Fire", um álbum com muito do que eles já vinham fazendo, já que a sonoridade e a fórmula não mudou muita coisa, o que mudou mesmo foi a vibe do álbum. Ele é um pouco mais "comercial" do que os antecessores, com uma produção mais aberta e pra fora e músicas com uma média de duração de 4,3 minutos. O produtor é novamente NICK RASKULINECZ.

Destaques 

Como os álbuns anteriores, aqui não temos um trabalho 100%, já que nem todas as faixas caíram no meu gosto, mesmo assim, tem músicas bem legais, como a faixa título, que abre o álbum. "Heavy Fire" começa pesada, com as características dobradinhas de guitarras do TL. Ela é empolgante, com uma levada "eminente". 

Em seguida vem "When the Night Comes In", um som bem hard rock, com uma levada mais agitada. Vale destacar os timbres de guitarras, que estão incríveis.

"Dancing With the Wrong Girl" ganhou um belíssimo videoclipe e é uma das melhores do álbum, ela nos transporta diretamente aos tempos do THIN LIZZY, lembra inclusive, de longe, talvez pelos acordes, "Boys Are Back in Town", porém, mais "alegrinha". Confira o clipe:



Já "Who Rides the Tiger" é mais pegada, barulhenta e pesada. Até a voz de RICKY está um pouco mais agressiva. A banda perece soltar-se mais, com momentos de ótimos riffs e levadas bem quebradas. E que solos! A melhor!!

O groove dá as caras em "Thinking About You Could Get Me Killed", outro grande momento do álbum. Ela começa com um balanço de baixo e bateria muito bacana. Depois a banda pesa e as guitarras entram com ótimos riffs em acordes. Refrão bom demais.

"True Blue Kid" é outra sonzeira! Outra que nos leva aos nos 70. Ela começa com uma quebradeira pra depois encontrar a calmaria nos vocais, com ótimas linhas de bateria. Ela alterna momentos de agressividade e calmaria, muito boa!

"Heavy Fire" é um bom lançamento de 2017. Se esperava mais do BLACK STAR RIDERS? Não, já que é uma banda fadada a manter o sua fórmula, mesmo assim, mantiveram o ótimo padrão de qualidade. É uma banda com um futuro promissor. Recomendado!

NOTA - 8,5
===============================
BLACK STAR RIDERS - "Heavy Fire" (2017)
tracklist
01. Heavy Fire
02. When the Night Comes In
03. Dancing With the Wrong Girl
04. Who Rides the Tiger
05. Cold War Love
06. Testify or Say Goodbye
07. Thinking About You Could Get Me Killed
08. True Blue Kid
09. Ticket to Rise
10. Letting Go of Me
      (bonus track)
11. Fade

Line-up
Ricky Warwick – vocal, guitarra
Scott Gorham – guitarra
Damon Johnson – guitarra, melotron
Robbie Crane – baixo
Jimmy DeGrasso – bateria

Participações
Wendy Moten, Gale Mayes, Drea Rhenee – backing vocals nas faixas 2 e 9
Pearl Aday – backing vocals na faixa 6
Fred Mandel – Hammond B3 organ na faixa 6
Nick Raskulinecz – mellotron na faixa 10




================
   photo ROCKPEDIA.jpg