20 de jun de 2017

[Entrevista] EDUARDO ROD: “Não me prendo muito ao que conquistei, busco sempre andar para a frente. ”


Ele fez parte da formação clássica, de um dos maiores nomes do hard rock brasileiro, a ROSA TATTOOADA. Fomos atrás do cara que fez história no rock brasileiro, ao lado de JACQUES MACIEL, PAULO CASSIO e BAREA. O Heavynroll conversou com EDUARDO ROD, o ex-baixista da ROSA TATTOOADA, uma conversa com muita história, que os fãs da banda vão gostar de ler. Confira agora no Heavynroll!

HEAVYNROLL - Antes de começar a nossa conversa, quero agradecer a você, em nome do Heavynroll, por conceder-nos essa entrevista:

EDUARDO - Eu que agradeço. Fiquei muito feliz com o convite!

HEAVYNROLL O assunto principal dessa entrevista não podia ser outro: ROSA TATTOOADA. Você ficou conhecido como o baixista da formação clássica, de uma das melhores bandas de hard rock do Brasil, a ROSA TATTOOADA. Como você entrou na banda? Como foi viver aquele momento histórico da banda?

EDUARDO - Nós frequentávamos os mesmos lugares alternativos de Porto Alegre no inicio dos anos 80 e o Rosa já estava rolando quando apareceu o convite para eu entrar na banda. Eu estava em outro projeto mas aceitei na hora. Já conhecia os caras e sabia do potencial de todos eles e que aquele projeto não seria apenas mais um. No inicio fazíamos pequenos shows, mas a cada novo conquistávamos um público maior. Nós realmente levávamos a sério e vivíamos a parada 24 horas. 

Ensaiávamos muito, corríamos atrás de shows, rádios e gravadoras. Sempre tivemos muito cuidado com a produção dos shows, criando e desenvolvendo tudo que pudesse nos deixar mais próximos do que sempre gostamos: um show de rock de verdade. Tudo que conquistamos foi fruto de muito trabalho, empenho e de acreditar no que estávamos fazendo.

HEAVYNROLL Desde a sua saída em 1995, o que você anda fazendo? Você está morando no Brasil?

EDUARDO - Cara, muita coisa. Estou fora em definitivo de Porto Alegre desde 2000, o que me tornou um cara meio sumido do circuito e das pessoas que me conheciam através da banda. Vim primeiramente para São Paulo e tive algumas temporadas em Nova Iorque, sendo a última a mais longa e onde acabei tocando novamente com o PAULO CÁSSIO no JUNGLE JUNKIES.

ROSA TATTOOADA Começo dos anos 90
HEAVYNROLL Você participou de álbuns fantásticos da banda, clássicos como “Rosa Tattooada” e “Devotion”. Você lembra-se da produção desses álbuns? Das gravações?

EDUARDO - Lembro sim. Não tem como esquecer. Foi uma época muito importante acredito que para todos nós. O “Rosa Tattooada” lançado pela Sony, foi uma regravação do nosso primeiro álbum distribuído somente no sul do país. O disco foi tão bem recebido que a Sony acabou nos comprando e regravamos o disco no estúdio “Nas Nuvens” do Liminha, no Rio de Janeiro, que até hoje é um dos principais estúdios do pais. 

Foi uma realização gravar naquele estúdio. Grandes bandas passaram por lá, inclusive o SEPULTURA. Tinha uma parede onde as bandas deixavam seus logos, recados, desenhos, e também deixamos o nosso no meio de tantos nomes conhecidos. A produção, como no álbum anterior, foi do THEDY CORREA e aproveitamos a regravação para acrescentar quatro novas músicas que havíamos feito na época entre elas “Voando Baixo” e “Virando noites e dias”. Passamos quase dois meses em um hotel em Copacabana e infernizamos todas as pessoas que se hospedavam lá.

Já o “Devotion” foi mais roots, mas não menos prazeroso. Tínhamos deixado tudo que conquistamos no sul para recomeçar no centro do país. Estávamos mais por nós mesmos, longe do nosso público, família, amigos, morando no centro de São Paulo e buscando outros mercados. O disco retrata muito do que estávamos vivendo naquele momento. Mais pesado, sujo e direto. Acho que fomos muito corajosos de gravar em inglês e apesar do nosso público não ter entendido muito bem toda a mudança, aquele era um disco muito verdadeiro. Uma época onde o rock estava mais alternativo com bandas como ALICE IN CHAINS, PANTERA e TYPE O NEGATIVE. Eu tenho muito orgulho daquele disco. Possui ótimas músicas como “Motor”, “Broken Bones” e “Spike and Spoon” e acho que mereceria um show todo dedicado a ele. A gravação que ficou um pouco a desejar.

HEAVYNROLL Dá saudade?

EDUARDO - Dá sim. Foram tantos momentos legais e inesquecíveis como os shows pelo interior do Rio Grande do Sul, grandes shows em Porto Alegre como do teatro da OSPA e Araújo Vianna, abertura do GUNS’N ROSES, show no Circo Voador no Rio de Janeiro, Aeroanta e Black Jack em SP, entre outros, além de frequentarmos programas de TV’s como MTV, Programa Livre, Jô Soares e os locais do Rio Grande do Sul. Foram muitas histórias legais que tivemos juntos. Guardo todas com muito carinho e orgulho. Só não fico parado nesse tempo. A vida continua e sempre me presenteou com grandes momentos.



HEAVYNROLL Como você vê a ROSA hoje em dia? A atual formação?

EDUARDO - Não pude acompanhar e presenciar de perto pela distância nesses anos todos, mas sei da honestidade e talento que o JACQUES tem para tocar a história da banda adiante.

HEAVYNROLL Além de PAULO CÁSSIO, você tem contato com algum outro membro da “antiga” da banda?

EDUARDO - Eu acabei ficando mais em contato com o PAULO durante todos esses anos, até porque tivemos mais oportunidades de nos encontrar em São Paulo e em Nova Iorque, mas uma das coisas legais da internet é que podemos nos manter próximos das pessoas e reencontrar velhos amigos apesar da distância. Eu e o JACQUES temos mantido contato nos últimos tempos e chegamos a nos encontrar recentemente. Colocamos a conversa em dia e demos muita risada relembrando os velhos tempos. Foi muito bacana. O BAREA encontrei há alguns anos atrás em SP em um show do VINCE NEIL. Foi rápido mas deu pra trocar uma ideia.

HEAVYNROLL Qual a sua opinião sobre o atual baixista, VALDI DALLA ROSA?

EDUARDO - Eu ainda não tive a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente, mas sei da inquestionável qualidade técnica dele como baixista. Acho que a banda esta muito bem representada nas quatro cordas.

HEAVYNROLL Será que um dia, Edu poderá voltar a tocar com a ROSA TATTOOADA? Fazendo uma Jam?

EDUARDO - Seria um prazer. Tive grandes momentos voltando a tocar com o PAULO e não seria diferente com o JACQUES ou o BAREA.

HEAVYNROLL Você recebe muitas mensagens de fãs da banda?

EDUARDO - Eu era um cara meio sumido, e de uma certa forma, meio recluso até entrar no JUNGLE JUNKIES. A partir dali comecei a aparecer ou me expor mais, e retomei contatos com muitos amigos da época do ROSA e também com novos e velhos fãs da banda. Acho muito gratificante saber que tivemos importância em algum momento na vida das pessoas e que o que fizemos não foi esquecido.

HEAVYNROLL Recentemente, você estava na banda JUNGLE JUNKIES, que tem outro ex-ROSA TATTOOADA, PAULO CÁSSIO. Não tenho visto muitas notícias da banda atualmente. Você ainda está na banda?

EDUARDO - Cara, eu estou fora de Nova Iorque desde o inicio do ano e a banda meio que acabou dando uma parada desde então. Até o momento ainda me considero um “JUNGLE JUNKIES”, mas por enquanto estou em São Paulo e minha volta pra Nova Iorque ainda não está definida. Independente do que acontecer, foi uma oportunidade única e inesquecível tocar com eles e sou muito agradecido ao PAULO, DICA e PANCHO por terem me recebido tão bem e pelos grandes momentos que passamos juntos.

JUNGLE JUNKIES
HEAVYNROLL Além da banda JUNGLE JUNKIES, você participa de alguma outra banda ou projeto?

EDUARDO - Eu curto tocar com meus amigos. Sempre que tenho oportunidade eu estou dentro. Já fui convidado para alguns projetos mais sérios nesses anos todos mas acabei optando por não assumir nenhum compromisso. Só com o JUNGLE JUNKIES que foi realmente irrecusável.

HEAVYNROLL Você recentemente lançou um teaser do seu primeiro desenho/animação, “Tiozinho Rock ‘n’ Roll”, pode contar para nós o que vem por aí?

EDUARDO - Esse projeto já existe a algum tempo. Sempre gostei de desenhar, de animações, de criar algo. Vejo como mais um tipo de arte. A diferença é que agora eu estou desenvolvendo esse desenho em um software 3D. O que na minha opinião ficou mais legal, com mais qualidade e por isso estou retomando esse projeto. 

Já estou desenvolvendo alguns episódios e acredito que vou conseguir mantê-lo, porque apesar de trabalhoso, é algo que tenho prazer em fazer. Também gosto do esquema do personagem. Um cara mais velho que curte hard rock mas sente as limitações da idade. Acho que não vou ter muita dificuldade de encontrar situações para fazer os episódios e acredito que muitos da minha geração podem se identificar.



HEAVYNROLL O que você ouve hoje em dia?

EDUARDO - Continuo ouvindo muito do que já ouvia. Até as coisas que considero novas para mim, na verdade já são velhas. Tenho escutado novos discos de bandas antigas também como o “13” do BLACK SABBATH, o último trabalho de bandas como METALLICA, RED HOT CHILLI PEPPERS, THE CULT e MEGADETH também são ótimos. Além das bandas de sempre como AC/DC, KISS, LED ZEPPELIN, OZZY, ALICE IN CHAINS, CIRCUS OF POWER, GUNS’N ROSES e MOTLEY CRUE para citar algumas. MONSTER MAGNET e BLACK BERRY SMOKE também estão na minha lista.

HEAVYNROLL Um álbum inesquecível?

EDUARDO - Essa pergunta é difícil, mas se tiver que escolher somente um teria que ser algum do KISS, já que é a banda que mais marcou a minha adolescência. Acho que o primeiro do KISS pode ser uma pedida.

HEAVYNROLL Um show inesquecível?

EDUARDO - Essa também é complicada porque já assisti praticamente tudo que eu realmente gostaria de ver principalmente nos EUA que tem vários shows acontecendo ao mesmo tempo e com grandes produções. Acho que a “The Tour” reunião do KISS e MOTLEY CRUE, foi muito especial para mim, porque além de serem dois grandes shows em uma mesma noite, foi o primeiro que levei meu filho de 5 anos na época.

HEAVYNROLL Um sonho do EDU?

EDUARDO - Apesar da minha idade e de tudo que já vivi, ainda tenho muitos sonhos para realizar. Não me prendo muito ao que conquistei e busco sempre andar pra frente independente da cidade, trabalho, enfim... sou satisfeito com que vivi e insatisfeito para me acomodar em um mesmo lugar. Quero ter saúde para viver e curtir com minha família tudo que a vida pode proporcionar. Viajar sempre e se puder ser tocando seria perfeito.

HEAVYNROLL Um recado para os fãs e leitores do Heavynroll:

EDUARDO - Fico muito feliz pela oportunidade de trocar essa ideia com vocês e agradeço o carinho com que os velhos e novos fãs do Rosa tem me tratado, pessoalmente ou pelas redes sociais. Espero que a gente se encontre em algum momento, seja através do ROSA, do JUNGLE JUNKIES ou em um show de rock em Porto Alegre. Estamos juntos! Um grande abraço a todos.



================================
 photo ROCKPEDIA.jpg