16 de ago de 2017

BENDICTA: Angel Sberse - “Aos poucos as mulheres estão aparecendo e provando que podem sim fazer o Rock como ele deve ser”.


Ela foi uma das finalistas do concurso A VOZ DO ROCK 2017 e, vem se destacando como vocalista da banda BENDICTA. O Heavynroll conversou com a vocalista ANGEL SBERSE, onde ela contou um pouco da sua história, dos seus projetos e claro, da banda BENDICTA. Confira e conheça ANGEL!

HEAVYNROLL - Angel, tudo bem? Antes de começar a nossa conversa, quero te agradecer em nome do Heavynroll, por nos conceder essa entrevista:

ANGEL - Eu que agradeço pelo convite, é um prazer imenso!

HEAVYNROLL - Quem é Angel Sberse?

ANGEL - Bom, ANGEL SBERSE é uma mulher de 33 anos, nascida em Pato Branco, Paraná, que já fez um pouco de tudo nessa vida. Sou bacharel em Administração, estou me formando em um MBA em Gestão Comercial, trabalhei na área comercial de vendas de uma indústria multinacional francesa durante 14 anos e há um mês estou trabalhando como corretora de imóveis.

Fora essa vida corporativa, que é o que paga as minhas contas até hoje, sempre tive uma veia artística, sou formada em canto popular pela EM&T, canto desde os 11 anos e já fiz street dance, teatro, fotos, vídeos.... Também adoro cozinhar, beber, dançar e praticar esportes.

HEAVYNROLL Como começou sua paixão pela música?

ANGEL - Costuma-se dizer que é a música que te escolhe e eu acredito muito nisso, está no meu DNA. Meu pai tinha uma dupla sertaneja e quis tentar a vida artística aqui em SP, por isso vim para cá bem nova, aos 9 anos.

Minha primeira experiência com o palco foi aos 5 anos, dublando “Lua de Cristal” da XUXA, mas cantando de verdade mesmo foi aos 11, quando ele me inscreveu em um concurso, cantei “Seu Olhar” da SULA MIRANDA.

No início foi bem difícil para mim, porque embora eu gostasse de música, eu não tinha essa desenvoltura toda, somente depois da experiência com o teatro na escola e na igreja católica que eu frequentava, acabei de soltando e aprendi a encarar o palco e o público.

Comecei a curtir o microfone de verdade na adolescência, quando fui fã do grupo teen BACKSTREET BOYS, onde montei um grupo de meninas e comecei a compor minhas primeiras letras, e aprendi facilmente a fazer harmonização vocal ouvindo as apresentações deles “a cappella”.

HEAVYNROLL - Qual o motivo que te levou a ser a vocalista?

ANGEL - Entrei na minha primeira banda (DR. LAO) aos 18 anos, ainda como backing vocal, e foi através de um ex-namorado tecladista que conheci enquanto fazia meus ensaios do grupo de street dance do qual eu participava. Embora eu não tivesse experiência alguma com banda ou com Rock, ele viu algum potencial.

A primeira música que aprendi a cantar foi “Run to the Hills” do IRON MAIDEN, e daí por diante fui pegando gosto pela coisa. Depois da primeira apresentação, tive a certeza de que meu lugar era ali no palco e a minha vocação era para o Rock. Foi nessa minha primeira banda que conheci o THIGAS (guitarra, vocal e principal compositor da Bendicta).

HEAVYNROLL Suas principais influências?

ANGEL - Tenho várias influências musicais dentro e fora do Rock, acho isso extremamente importante, principalmente para quem compõe, porque abre seu leque de possibilidades. Sou fã de artistas como MICHAEL JACKSON e atualmente BRUNO MARS, e no Rock minha base vem do Hard Rock, vocalmente falando, esses são alguns dos vocais (antigos e novos) que me inspiram: DAVID COVERDALE, BRUCE DICKINSON, STEVEN TYLER, ROBERT PLANT, RONNIE JAMES DIO, FREDDY MERCURY, SAMMY HAGAR, DAVID LEE ROTH, AXL ROSE, BON JOVI, LAYNE STALEY, CHESTER BENNINGTON, LZZY HALE, JARED LETO, DAVID DRAIMAN, MYLES KENNEDY, e muitos outros nessa linha.



HEAVYNROLL Você é vocalista da banda Bendicta, fale um pouco mais da banda? A história, que é bem recente? Atual formação?

ANGEL - A BENDICTA é relativamente nova, tem dois anos de existência, ela surgiu de um reencontro online no facebook entre o THIGAS e eu. Tocamos juntos na minha primeira banda (DR. LAO).

Eu tive várias bandas covers ao longo dos anos, mas comecei a sentir falta de fazer algo original, autoral mesmo, o último trabalho havia sido em 2009 com a banda GHOST DOGS. O THIGAS comentou que queria fazer umas gravações e gostaria que eu participasse, falou também que tinha algumas ideias dele gravadas. Ele sempre teve bastante envolvimento com som autoral, acho que isso foi providencial naquele momento. Falei do meu propósito e ele então me mandou uma das músicas que já tinha até vocal e

letra, achei demais e desde o início acreditei ele tinha um puta talento para a composição. Decidimos então fundar a banda e começamos a busca pelos demais integrantes, na sequência iniciamos os ensaios e a estruturação dos sons.

A atual formação conta comigo no vocal principal, THIGAS na guitarra e backing vocals, THE LAST também na guitarra e backing vocals, MESTRE no baixo, e embora ainda não seja oficial, GUITO na batera.

HEAVYNROLL -A Bendicta já tem um Ep chamado “RECOMEÇO”, que contem 5 músicas próprias. Fale um pouco desse trabalho?

ANGEL - Lançamos nosso primeiro EP “Recomeço” em maio deste ano, com um show no Manifesto Bar e as músicas já estão disponíveis em todas as plataformas streaming. A ideia era lançar um EP para que pudéssemos mostrar nossa cara, e depois fechar um álbum completo.

Foi gravado e produzido pelo FERNANDO QUESADA (ex-SHAAMAN, atual NOTURNALl e ANIE) no estúdio Fusão.

Pensamos em fazer algo pesado, com afinação baixa, porém com elementos modernos / eletrônicos e vocais melódicos.

HEAVYNROLL As músicas da Bendicta são em português, são poucas as bandas que cantam na nossa língua, infelizmente. Porque o português?

ANGEL - Cantar e compor em português não é nada fácil, pois a nossa língua não soa tão bem, não é tão melódica quanto o inglês e ainda existe muito preconceito do próprio público consumidor de Rock.

A decisão de apostar em letras em português veio de um papo com o produtor Lampadinha, durante um evento em que toquei com uma banda cover, ele veio falar comigo e perguntar se não tínhamos som autoral. Eu disse que não, mas que gostaria muito, só que achava que ali não iria rolar, até porque faltava tempo para compor, fazer música é bem trabalhoso e exige muito dos integrantes, então ele me disse que eu estava perdendo tempo... fiquei atordoada com essa conversa, foi meio que um empurrão que eu precisava. Perguntei para ele o que achava sobre letras, se o ideal seria em inglês ou português e ele me disse que para tocar no Brasil, teria que ser em português. A semente estava plantada.

Conseguimos na BENDICTA achar uma forma de compor nas entrelinhas, deixando o tema como uma mensagem “subliminar”, fazendo com que o público entenda da sua maneira, proporcionando uma identificação de acordo com aquilo que está sentido naquele momento da sua vida.

HEAVYNROLL Desse álbum saiu o clipe “Essência”, como foi a produção, as gravações?

ANGEL - Essência” foi o primeiro single e também o nosso primeiro videoclipe. Depois dele lançamos “Na Memória”, e também uma versão acústica da própria “Essência”, e por última “A Cor Que Sangra”, todos disponíveis no canal oficial da Vevo no Youtube. Os dois primeiros foram filmados e produzidos pela O2 Filmes, foram 13 horas de trabalho intenso, com uma equipe sensacional, uma experiência incrível e com um resultado fantástico.




HEAVYNROLL Além da banda Bendicta, você participa de vários outros projetos. Pode falar de cada um deles?

ANGEL - A BENDICTA é a minha banda oficial e a minha prioridade, mas um artista deve abrir seus horizontes e produzir materiais bacanas para o público, dessa forma fica mais fácil conquistar novos seguidores e divulgar a banda. Além disso, eu adoro trabalhos diferentes, acho superdivertido de fazer e mostrar um lado que o público ainda não viu, e tenho conseguido isso através de algumas parcerias e projetos.

Um deles foi o projeto LOUDNESS, formado por alunos recém-formados do curso de produção musical da EM&T (Matheus Rosa, Claudio Andrade, Anderson Avelino, Rogério Uehara, Ricardo Cavalcante, entre outros), coordenado pelo FERNANDO QUESADA e também teve a participação do mesmo, além de BETTO CARDOSO do PROJECT46 na batera e do ZIV no solo de guitarra. Fui convidada para gravar o vocal de uma música autoral “Play your heart out” e tivemos o clipe lançado pela Vevo, fiquei imensamente feliz por ter feito parte disso. - VEJA AQUI

Também iniciei algumas parcerias com alguns colegas “concorrentes” do festival “A voz do Rock”, o primeiro deles foi o vencedor RANE e o segundo foi o VICTOR WICHMMANN. Já tenho um novo em andamento e alguns outros em estudo. Estou sempre de olho nas oportunidades e acho superimportante manter a divulgação constante.

HEAVYNROLL Você foi uma das finalistas do concurso nacional A VOZ DO ROCK 2017. Como foi participar desse concurso?

ANGEL - A voz do Rock.... Difícil até de explicar o que foi esse turbilhão de emoções, dois meses de muito aprendizado, as pessoas maravilhosas que conheci, e essa puta vitrine que foi para mim. Desde o início o meu objetivo sempre foi entrar no festival para divulgar a BENDICTA, e Deus é muito bom, porque eu consegui e foi muito rápido. Foram mais de 1.500 amigos/seguidores novos no facebook nesse período (hoje já quase triplicou esse número), muitos likes e views nos nossos clipes e foi daí que surgiu o convite para o lançamento do EP no Manifesto.... Uma coisa surreal que eu nunca tinha vivenciado antes.


HEAVYNROLL Junto com você, um gaúcho também foi finalista, o Victor Wichmann. Depois dessa participação, vocês lançaram um clipe, um dueto, da música “Rainbown In The Dark", de DIO. Como aconteceu essa parceria? Como é trabalhar com o Victor?

ANGEL - Acho que o VICTOR WICHMANN foi a primeira pessoa com quem falei durante as eliminatórias, ele estava todo animado por ter a oportunidade de cantar em SP. Quando olhei para ele já notei que tinha perfil de Rockstar (risos), pensei “to lascada”, e estava mesmo! Não é à toa que ele foi para o Top 5. Além de um excelente cantor, ele é uma pessoa extremamente humilde e carismática.

A ideia da parceria surgiu ainda durante o festival, mas efetivamente aconteceu alguns meses depois, ele gravou o vocal em RS e eu SP no estúdio da EM&T, depois juntamos tudo e fizemos a mixagem. O clipe foi gravado em SP no famoso Beco do Batman na Vila Madalena, desde o inicio achei que esse lugar combinaria muito com a música escolhida.

A escolha da música veio através de um “duelo” vocal que fizemos via Whatsapp no grupo dos integrantes do festival (risos), todos os dias tinha cantoria, e uma das vezes ele lançou um verso da “Rainbow in the dark”, e eu continuei, e assim fizemos uma estrofe completa. Depois concordamos que seria bacana gravar essa. Já estamos em discussão sobre o próximo dueto, afinal o primeiro teve um retorno incrível (olha eu aqui dando entrevista! (risos)).



HEAVYNROLL Aproveitando a pergunta anterior e como somos um Blog do Sul, gostaria de saber o que você conhece do rock gaúcho?

ANGEL - O Brasil está recheado de bandas talentosas e com certeza muitas delas são gaúchas (terra da minha mãe), mas posso citar algumas super reconhecidas como CACHORRO GRANDE, REAÇÃO EM CADEIA, NENHUM DE NÓS, ENGENHEIROS DO HAWAII, FRESNO, entre outras.

HEAVYNROLL Hoje em dia, as mulheres estão invadindo o rock n roll, coisa que antigamente, era muito pouco. Existem bandas e artistas talentosas demais. Qual a tua opinião sobre isso? Há que se deve essa “invasão”?

ANGEL - Na verdade, as mulheres sempre estiverem ali, mas estavam camufladas. Felizmente temos tido mais chance de mostrar nosso valor nesse mercado, assim como em todos os demais setores. Aos poucos as mulheres estão aparecendo e provando que podem sim fazer o Rock como ele deve ser. Que cada vez mais possam surgir novas representantes para balançar essa bandeira. Eu acho que ainda está muito longe do que se diz a respeito de igualdade, mas aos poucos estamos caminhando.


HEAVYNROLL Quais vocalistas você destacaria hoje em dia, independente do estilo ou quem?

ANGEL - Tem muita gente boa no mercado e para mim são influências independentemente do estilo. Também acho que para ser um bom vocalista não é apenas alcançar as notas mais altas ou aquele que berra mais, eu acho que todo o conjunto faz a diferença, se tem uma voz que combina com o som da banda, presença de palco, carisma, visual, tudo isso faz você se destacar nesse meio.

Alguns dos vocalistas da atualidade que gosto e admiro são CHRIS ROBERTSON (Blackstone Cherry), LZZY HALE (Halestorm) JARED LETO (30 Seconds to Mars) HAYLEY WILLIAMS (Paramore), DAVID DRAIMAN (Disturbed), MYLES KENNEDY (Alter Brdge), ADAM LEVINE (Marron 5), MATTHEW BELLANY (Muse), COREY TAYLOR (Sliplnot, Stone Sour), BENJAMIN BURNLEY (Breaking Benjamin) entre outros.

HEAVYNROLL O que você ouve hoje em dia?

ANGEL - Eu escuto bastante coisa, tenho a mente aberta (mas nem tanto risos). Eu adoro rock, mas também curto pop, artistas como MICHAEL JACKSON, BRUNO MARS, JUSTIM TIMBERLAKE, RIHANNA, entre outros. Das bandas de Rock, tenho ouvido bastante BLACKSTONE CHERRY, TREMONTI, ALTER BRIDGE, BREAKIN BENJAMIN, DISTURBED..., mas ainda curto muito as bandas clássicas.

HEAVYNROLL Você é uma mulher vaidosa?

ANGEL - Bastante! Acho que todo mundo deve ser um pouco, ainda mais quando você está à frente de uma banda, porque acaba se tornando espelho e o visual conta muito nesse aspecto, em minha opinião, faz toda a diferença, e sendo mulher naturalmente acaba chamando atenção em dobro.

HEAVYNROLL O que a Angel faz quando não está no palco ou em estúdio?

ANGEL - Bom, além do trabalho corporativo, eu gosto de estar com a família, amigos, cozinhar, correr no parque, malhar, dançar, beber, sou hiperativa (risos), mas também adoro ficar em casa jogada no sofá vendo uma série.

HEAVYNROLL Um álbum imperdível?

ANGEL - Nossa, que difícil... vou colocar um que marcou uma fase enorme de mudanças na minha vida nos últimos anos, “All I was” do TREMONTI.

HEAVYNROLL Um show inesquecível?

ANGEL - VAN HALEN no Hollywood Bowl em 2015, fui aos dois últimos shows da tour, sem palavras....

HEAVYNROLL Um sonho da Angel Sberse?

ANGEL - Viver de música e um dia ouvir o público cantando uma música minha em um show, deve ser de arrepiar.

HEAVYNROLL Um recado para os fãs e leitores do Heavynroll:

Angel - Não podemos deixar o Rock morrer, temos que dar chance ao novo e aprender a apoiar e valorizar a cena nacional. Tem muita banda boa, apenas precisando de uma oportunidade. Como disse o mestre HENDRIX: “Music is my religion”.




Links Relacionados
SITE OFICIAL
FACEBOOK


================================
 photo ROCKPEDIA.jpg