6 de dez de 2017

[Resenha] ANNIHILATOR - ARCH ENEMY - TRIVIUM

Fala galera!!

Venho com mais 3 lançamentos internacionais pra vocês (por ordem alfabética); ANNIHILATOR - "For the Demenmted", ARCH ENEMY - "Will the Power" e TRIVIUM - "The Sin and the Sentence".


ANNIHILATOR - "For the Demented"

Depois do decepcionante "Suicide Society" (2015), acredito que tenha vindo algum tipo de redenção e 2017. "For the Demented" traz toda a fúria que você espera do ANNIHILATOR, deixando de lado aquelas firulas moderninhas presente nos 2 álbuns anteriores. Thrash Metal de altíssima qualidade e Jeff Waters pregando fogo no máximo! Além disso, sua voz melhorou consideravelmente, assumindo uma identidade mais própria (apesar de ainda soar como Mustaine em algumas partes a algumas passagens ainda soarem como Megadeth). 

Finalmente um álbum que você consegue ouvir (quase) inteiro e ainda se surpreender com riffs e solos fantásticos. Destaques para a porradaria de "Twisted Lobotomy", o metalzão, a melhor do álbum: "One to Kill", a arrastada e atmosférica "Phantom Asylum", a velocista e intrincada "Attering the Altar". Baita álbum!!

NOTA - 8,5





ARCH ENEMY - "Will the Power"

E mais uma vez o AE coloca no mercado um belíssimo álbum, o segundo com Allissa White-Gluz no vocal que, diga-se, faz um trabalho excepcional. O que sempre chamou a atenção no som do AE, foram as composições criativas e, apesar de ser uma banda de Thrash/Death Metal, serem muito influenciadas pelo Classic Rock e o Heavy Metal tradicional, com muitas passagens nestes estilos.

"Will the Power" é um álbum coeso, com uma produção primorosa, como todos os álbuns da banda. A voz de Alissa, mesmo sendo um gutural, é perfeitamente audível, você entende perfeitamente as letras. Os Riffs são de um bom gosto ímpar.

Destaques para as músicas "The Race", um som rápido e pesadíssimo! O Hit "The Eagle Flies Alone" que, se tu tirar o vocal de Alissa, pode perfeitamente fazer parte do Spiritual Beggars (banda paralela de Stoner/Classic Rock do guitarrista Michael Amott), acho que a melhor do álbum. Outra muito boa,  com uma pegada bem venenosa e, em alguns momentos, arrastada e atomosférica é "First Day in Hell", uma sonzeira!

NOTA - 9,0





TRIVIUM - "The Sin and the Sentence"

Já o TRIVIUM, que havia feito um trabalho bacana em "Silence in the Snow" (2015), entra em 2017 com um álbum um pouco mais ambicioso. "TSANS" é um trabalho mais pesado, com instrumentais mais intrincados e a volta dos vocais agressivos e gritados de Matt Heaty, algo que ele estava deixando de lado nos últimos trabalhos, talvez, até por conta desta onda de metal "moderninho" que anda por aí.

As músicas são bem trabalhadas e pontualmente bem legais, com muitas passagens e levadas diferentes em uma mesma faixa. E é aí que mora um dos problemas, pois o álbum fica quase incompreensível em uma primeira ouvida. Fui digerir bem mesmo depois da 5ª audição, eu acho.

Mesmo assim, tem grandes faixas por aqui. A minha favorita é "Beyond Oblivion", que tem uma característica mais "Old Trivium", uma sonzeira!! "Other World" também é bem legal, mais pegada, com um vocal mais limpo e sem muito exagero na agressividade. Na verdade, o álbum todo alterna entre o velho e o novo, com músicas mais "coloridas", que foram transformadas em videoclipes e músicas de trabalho, e outras mais sombrias e pesadas. Inclusive coloco abaixo, a minha favorita, que não tem clipe...

NOTA - 7,0







================
   photo ROCKPEDIA.jpg