11 de dez de 2017

[Resenha] EUROPE - MARTY FRIEDEMAN - SONS OF APOLLO

Fala galera medonha!!

Trago a vocês mais 3 lançamentos internacionais, em ordem alfabética, EUROPE com "Walk teh Earth", MARTY FRIEDMAN com "Wall of Sound" e SONS OF APOLLO com "Psychotic Symphony" e, maus amigos, aqui a coisa ficou realmente séria!!


EUROPE - "Walk the Earth"

Não é fácil uma banda conseguir lançar uma sequencia de 4 álbuns de excelente qualidade, mas o EUROPE tem conseguido essa façanha. Depois de deixar para traz seu estilo "colorido" de fazer fazer música, eles se reinventaram e recriaram a sua fórmula resultando em um produto mais voltado ao Classic Rock. E isso deu muito mas, muito certo!! 

"Walk the Earth" praticamente não muda nada na sonoridade e ainda faz um mix dos 3 últimos álbuns, "Last Look at Eden" (2009),  "Bag of Bones" (2012) e "War of Kings" (2015). Isso é ruim? Bem de longe!! Temos aqui mais um trabalho de primeira grandeza, com uma música mais foda que a outra, apenas dando continuidade ao que já vem sendo feito com perfeição.

Riffs e arranjos com uma criatividade ímpar, timbres perfeitos e orgânicos, além de um vocalista com um timbre lindo e um feeling no tálo! Simplesmente não há música ruim neste álbum, uma das melhores coisas lançadas em 2017. E vou dizer mais: "Pictures" deve ser a balada mais linda de toda a discografia, procure por ela, foda demais!!

NOTA - 9,5





MARTY FRIEDMAN - "Wall of Sound"

Lembram de Marty Friedman? Claro que lembram... mas, por que a pergunta? Porque o cara tava praticamente sumido e sua música estava um tanto duvidosa... Mas, eis que ele está de volta e botando pra foder!!

"Wall of Sound" é uma espécie de voadora com os 2 pés! Não sei se ele foi muito criticado, ou simplesmente achou que deveria voltar a fazer música de verdade, ou mesmo que sua inspiração, antes em um momento de entorpecimento, voltou com tudo, a questão é que este trabalho é lindo, uma legítima obra de arte!

A sonoridade e a pegada das músicas nos remetem ao que ele fazia em seus tempos de Caccophony e aos primeiros álbuns solo. Temos aqui, aquela junção do Heavy Metal, do erudito e do exótico numa combinação perfeita!! Marty continua com uma técnica fenomenal e seu estilo de tocar único nos traz aquele sorriso nostálgico no rosto a cada Riff e frase. Um álbum fodástico de um dos maiores guitarristas de nossa era. Marty is back!!

NOTA - 9,5





SONS OF APOLLO - "Psychotic Symphony"

Aí você coloca Jeff Scott Soto, Bumblefoot, Billy SheehanDerek Sherinian e Mike Portnoy na mesma banda e o que acontece?... Nem preciso responder... é óbvio!

O álbum de estreia é fantástico! As músicas trazem uma mistura de tudo que os seus integrantes sabem fazer de melhor, então temos muito Prog Metal, Heavy Metal, Hard Rock, tudo misturado. Isso já fica evidente já na fabulosa e épica faixa que abre o álbum, "God of the Son", uma música que, em seus 11 minutos, traz uma forte influência de Rainbow, numa vibe ao bom estilo de músicas como "Gates of Babylon" e "Stargazer".

Falei dela, pois é minha favorita mas, no decorrer de todo o trabalho temos grandes momentos proporcionados por este belíssimo time. A voz pesada e linda de Soto, é um verdadeiro mestre em criar refrões arrepiantes. Bumblefoot e Sheehan, incrivelmente técnicos e perfeitamente entrosados, destilam Riffs e duetos intrincados e surpreendentes com seus instrumentos de 2 braços, um deles, fretless, o que deixa algumas passagens ainda mais interessantes. E ainda temos Sherinian e Portnoy, extremamente criativos, com levadas e climas envolventes, vivenciando seus tempos de Dream Theater em muitos momentos durante o álbum. O timbre da bateria está fenomenal!!

NOTA - 9,0






================
   photo ROCKPEDIA.jpg