7 de março de 2011

[Resenha] SPIRITUAL BEGGARS - "Return to Zero" (2010)

[RESENHA] Por MARCO PAIM


Conhecia esta banda por nome e algumas músicas que, até então, não me agradaram, mas foi no final do ano passado (2010) que, após ler uma resenha do álbum em questão, fui me interessar em conhecer realmente o som. Na resenha dizia o seguinte "As músicas soam como se o Black Sabbath da primeira metade da década de 1970 tivesse gravado um disco de inéditas em 2010" e isso me chamou muito a atenção.

Eu sou um apaixonado pelo rock pesado dos anos 70, tanto que minha banda preferida é o URIAH HEEP, contrariando a opinião de muitos. Mas enfim, logo que comecei a escutar a segunda faixa (a primeira "Retun to Zero" é instrumental) "Lost In Yesterday" você já percebe a influência clara de Black Sabbath, o peso e os riffs simples e marcantes, está tudo ali, além da voz surpreendente de Apollo Papathanasio (Firewind), que soa como um Coverdale um pouco mais grave e pesado.
Em "Star Born" temos o DEEP PURPLE, com toda a certeza, como um remake, desde os intrincados riffs ao estilo Blackmore até os ataques de Hammond a lá John Lord
Depois vem "The Chaos Of Rebirth", uma das minhas preferidas, parece estraída do álbum "Heaven and Hell" (Black Sabbath), o vocal é estraordinário. a linha lembra muito o que o Dio fazia nos anos 80. Aos 3:10min de música o guitarrista Michael Amott (Arch Enemy) incorpora Tony Iommi em toda a sua fúria e essência.
A faixa 5 parece ter um bônus track de "Master of Reality" (Black Sabbath) ou então "Demons & Wizards" (Uriah Heep).  "We Are Free" é uma sonzeira só, a musicalidade da banda é incrível.
"Spirit of the Wind" é a mais calma, com um estilo mais viajante, lembra muito Uriah Heep no início dos 70, dedilhados de guitarra limpa e um hammond no fundo fazendo a cama para um vocal melodioso e aveludado, muita emoção!
A próxima música é Uriah Heep puro, parece tirado do algum ábum dos anos 70. "Coming Home" tem uma levada no estilo de "Stealin´" (Uriah Heep) e é outra das minhas preferidas.
"Concrete Horizon" é outra música marcante do álbum, e a mais original também, pois apesar da influência setentista, a banda mostra uma sonoridade muito própria, cadenciada e mistica, ela te leva a uma sensação relaxante e ao mesmo tempo empolgante, os caras são fodas!!!
E vem mais um Deep Purple aí, "A New Dawn Rising" tem de tudo, desde "Speed King" a "Stormbringer", e olha que interessante, soa como Ian Gillan cantando com o timbre de David Coverdale, esquisito né, mas é mais ou menos isso, baita música!!!
Essa então, veio direto do disco "Ready an´Willing" do WHITESNAKE, e a música em que Apollo incorpora mais ainda o estilo de Coverdale, com todos aqueles suspiros, graves e melismas. Nossa, "Believe in Me" é WHITESNAKE puro, dos primórdios.
A próxima faixa já um pouco mais enjoada, "Dead Weight" me deu uma impressão de estar ali só para "encher linguiça", pois ela repete a formula de quase todas músicas já mencionadas do álbum, essa eu passo.
"The Road Less Travelled" é bem ao estilo do URIAH HEEP na época do "Wonderworld", mas soa um pouco enjoada também, é uma música que tem a hora certa de escutar. Ela é bem calma, lenta e com a predominância do piano, além de algumas orquestrações, mas é uma boa música e é a que fecha o álbum.
E aí que vem a surpresa, pois quando eu escutei o álbum não percebi que havia uma faixa bônus, quando achei que havia acabado eis que começa o riff de "Time to Live" do URIAH HEEP, isso mesmo, um perfeito cover de minha banda preferida!!! 
O interessante que "Time to Live" é uma música que dificilmente eu faria um cover, por ela não ser tão conhecida e não ser exatamente um clássico da banda Inglesa. A sonoridade pesada e moderna que eles acrescentaram deixou a música muito interessante, digo até melhor que a original.



Bem, a conclusão é que "Return to Zero" é uma celebração ao rock pesado dos anos setenta, um verdadeiro remake. Pegue DEEP PURPLE, BLACK SABBATH, WHITESNAKE e URIAH HEEP e coloque tudo numa panela, mexa bem, acrescente muito peso, timbres modernos, uma excelente voz, músicos talentosos, e pitadas de muito bom gosto, depois coloque para cozinhas no fogo do rock por 35 anos e teremos "Return to Zero". Acredito que seria assim que soaria as bandas setentistas se existissem os equipamentos de hoje.
Esse eu recomendo!!!

========================
Spiritual Beggars - Return to Zero (2010)
(InsideOut Music)
 
01 Return To Zero (Intro)
02 Lost In Yesterday
03 Star Born
04 The Chaos Of Rebirth 
05 We Are Free
06 Spirit Of The Wind
07 Coming Home
08 Concrete Horizon
09 A New Dawn Rising
10 Believe In Me
11 Dead Weight
12 The Road Less Travelled
13 Time to Live (Uriah Heep cover)


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário