3 de agosto de 2011

[Resenha] O Heavy Metal dos Anos 80` (1986)

1986

"Master of Puppets" - METALLICA

Este é a grande obra prima da banda nos anos 80. Através deste álbum o METALLICA vira um gigante do trash mundial e  é daqueles que você ouve do começo ao fim e quando acaba está de boca aberta. Espetacular! Um verdadeiro clássico do heavy metal. A produção sonora é impecável e a banda afiadíssima. Não há destaques neste trabalho, ele ótimo por inteiro.

Também foi na turnê deste álbum que aconteceu a trágica morte do baixista CLIFF BURTON  (27/Set). Durante a parte européia da turnê Damage Inc., a banda percebeu que dormir em cubículos de seu ônibus era desconfortável. Como uma solução paliativa, os membros tiravam a sorte  nas cartas todas as noites para que um deles dormisse no beliche de cima, mais confortável. Na noite de 27 de setembro de 1986, CLIFF ganhou nas cartas com um ás de espadas. O jogo foi a última conversa do baixista. Segundo o motorista, CLIFF estava dormindo quando o ônibus da banda derrapou no gelo acumulado na pista e capotou na grama e o baixista foi jogado para fora do ônibus, que ao capotar caiu em cima dele, matando-o.

"Somewhere in Time" - IRON MAIDEN

Neste álbum o IRON MAIDEN experimentou novos efeitos e conceitos utilizando efeitos sintetizadores nas distorções e o resultado é outro grande trabalho da banda. Com este álbum o Iron emplacou grandes clássicos até hoje tocados e venerados como "Wasted Years" e "Heaven Can Wait". Mas os meus destaques vão mesmo para as maravilhosas "Caught Somewhere in Time", pra mim um dos melhores vocais do BRUCE e também um dos melhores solos já executados pela dupla dinâmica, "Deja-Vu" e a épica "Alexander the Great", uma das melhores músicas compostas pelo MAIDEN.


"Rage for Order" - QUEENSRYCHE

Neste álbum a banda deixa de lado um pouco o peso das guitarras do álbum anterior e experimenta novos recursos de efeitos e timbres, mas sem perder a pegada. Aqui a banda já começa a trazer mais o seu lado hard rock e progressivo nas músicas como em "Walk in the Shadows", "Screaming in Digital" e "Neue Regel", essa com uma das melhores harmonias vocais que conheço. O peso fica por conta de "The Whisper", "Surgical Strike" e "Chemical Youth (We are Rebellion)". Isso sem contar a maravilhosa balada "I Will Remenber" que fecha o disco com chave de ouro. Ou seja, mais um passo na evolução musical da banda, um álbum além de seu tempo e um dos melhores da discografia da banda.

"Reign in Blood" - SALYER

Um clássico do trash metal e a obra prima do SLAYER, talvez o começo do death metal. Este álbum é surpreendente do começo ao fim. Fúria, velocidade e técnica em músicas de tirar o fôlego, emfim, um dos melhores álbuns da história do heavy metal, referência do metal extremo.

Destaques para os clássicos "Angel of Death", "Necrophobic", "Postmortem" e claro "Raining Blood".


"Fatal Portrait" - KING DIAMOND

Vindo no embalo do excelente trabalho desenvolvido no MERCYFUL FATE, que se separou em 1984, o vocalista KING DIAMOND decide expandir seus anseios artísticos e criativos com sua própria banda com músicos mais técnicos e performáticos, entre eles, o grande ANDY LAROQUE. O álbum de estréia é uma pérola e traz muito do que o MF fazia.

Destaques para as músicas "The Candle", "The Jonah", "The Portrait" e as clássicas "Helloween" e "No Presentes for Christimans"


"Peace Sells... But Who´s Buying" - MEGADETH

Este é o segundo álbum da banda e o primeiro grande trabalho.O MEGADETH trazia um trash/heavy metal diferenciado, mais cadenciado e técnico, com riffs intrincados e levadas emocionantes, como vemos em músicas como "Wake up Dead" e "Good Morning/ Black Friday", além de sons que se tornaram clássicos como "Peace Sells" e a rápida "My Last Words".



"Turbo" - JUDAS PRIEST

Este é um álbum contestado e subestimado, mas pra mim é um grande trabalho do PRIEST. Como em outras ocasiões em sua carreira, o JUDAS PRIEST experimenta novos caminhos e roupagem invadindo o território do novíssimo hard rock, que ele ajudou a criar. Mas o interessante é que mesmo assim, a essência e identidade da banda continua intacta trazendo um álbum diferenciado ao estilo.

"Turbo Lover" se tornou um clássico, seguido por grandes sons como "Locked In" e "Out in the Cold". Realmente um álbum muito agradável de se ouvir do começo ao fim.

"Edge of Insanity" - TONY MACALPINE

Neste mesmo ano se revelava outro grande guitarrista TONY MacALPINE. Influenciado pelo metal neo-clássico, jazz fusion e principalmente Chopin, homenageado em quase toda a sua discografia, e neste álbum, na música "Chopin Prelude 16 Opus 18", pois Tony também é um virtuoso tecladista e pianista. Detem um estilo único e que influênciou uma legião de novos guitarristas nas décadas seguintes. Este é o primeiro trabalho oficial e um dos mais criativos.e diferenciados guitar heroes do rock. "Wheel of Fortune", "Agrionia", "The Wich & The Priest" e "Edge of Insanity" mostram o bom gosto melódico de MacAlpine em climas e frases além além do seu tempo.


Outros lançamentos neste ano

"Russian Roulette" - ACCEPT
"Constrictor" - ALICE COOPER
"Seventh Star" - BLACK SABBATH
"Epicus Doomicus Metallicus" - CANDLEMASS
"The Final Coutdown" - EUROPE
"Awaken the Guardian" - FATES WARNING
"The Dark" - METAL CHURCH
"Orgasmatron" - MOTORHEAD
"The ultimate Sin" - OZZY OSBOURNE
"QR III" - QUIET RIOT
"Street Lethal" - RACER X
"Mornid Visions" - SEPULTURA
"Inside the Electric Circus" - W.A.S.P.
"Trilogy" - YNGWIE MALMSTEE´S RISING FORCE



Comentários
0 Comentários