20 de abril de 2012

EU RECOMENDO: O Heavy Metal dos Anos 90` (1992)

1992


"Dehumanizer" - Black Sabbath

Sem dúvida o melhor álbum de 92,um dos melhores do Sabbath e do heavy metal mundial! Pra mim, a melhor performance em estúdio de Ronnie James Dio. O que posso dizer... o que "os véio" fizeram aqui é inacreditável, tanto quanto é inacreditável que este álbum passe tanto desapercebido por "especialistas" quando o assunto é álbuns importantes na história do metal. "Dehumanizer" é uma verdadeira obra prima, com grandes e memoráveis riffs de Tony Iommi e um vocal que é o mais próximo da perfeição que você poderá ouvir. Pérolas como "Computer God", "After All", "TV Crimes", "Time Machine" e "I" estão aqui. Talvez a produção do álbum o tenha deixado menos atraente, já que a timbragem, principalmente da bateria deixa um pouco a desejar, mas também não é nada de tão significativo e nem tosco. O que não dá para negar é que este álbum é um dos tops do heavy metal!

"Vulgar Display of Power" - Pantera

"Vulgar Display of Power" é o sexto álbum de estúdio da banda de heavy metal norte-americana. Ele marca o groove metal como gênero definitivo da banda. Esse é um daqueles álbuns que mesmo que você não goste de heavy metal, você tem que ouvir, simplesmente por se tratar de uma das obras primas do gênero, e ao meu ver, e um dos melhores discos de metal. Nele temos os clássicos "Walk", "This Love" e "Fuckin´ Hostile". 

"The Crimson Idol" - WASP

Este é um álbum conceitual que conta história de um garoto headbanger, Jonathon Aaron Steel, que era desprezado por sua família, que por sua vez dá mais atenção ao seu irmão, Michael. Seu pai, chamado aqui de "Red", o batia bastaste enquanto garoto, e quando seu irmão morreu, Jonathon compra uma guitarra vermelha e monta uma banda, logo se vê no mundo de sexo, drugas e rock n`roll. Ele consegue fama e fortuna e consequentemente muitas pessoas abiciosas a suas volta. Esse processo todo para conseguir ser notado pela família, mas em certo momento, após uma ligação para sua mãe, ela lhe diz: "nós não temos filho.", então ele se suicída em pleno show com as cordas da sua guitarra em um fim trágico.
Este álbum é considerado um dos melhores álbuns conceituais da história do metal, depois de Operation: MindCrime do Queensryche.

"Fear of the Dark" - Iron Maiden

Lembro da expectativa quando estava para ser lançado este álbum. Depois do "menos bom" "No Prayer for the Dying", o Iron Maiden prometia um álbum mais forte, mas naquela época não havia internet e o que sabíamos vinham de revistas especializadas. Foi quando um amigo apareceu com o K7 do "Fear..." e quando rolou aquelas caixas da primeira música, "Be Quick or be Dead", a alegria foi imediata! Daí para frente, foi conferir o que vinha a seguir, um desfile de grandes músicas, passando por "Afraid to Shoot Strangers", "Fear is the Key", "Judas Be My Guide" e culminando na clássica e agora manjada "Fear of the Dark", que na ocasião até me emocionou na parte dos duetos de guitarras. Temos aqui também a primeiro balada da banda depois de 12 anos (a primeira foi "Strange World" em 1980), "Wasting Love", que fez com o que a banda invadisse as ondas das rádios FM´s de todo o mundo. É aqui também que a banda dá seus primeiros passos rumo ao novo estilo de compor, mais progressivo, que perdura até hoje.

"Trapped!" - Rage

Uma das minhas bandas alemãs preferidas, o Rage ao longo de sua carreira mudou bastante a sonoridade, mas sem perder o peso e a agressividade. "Trapped!" é o sétimo álbum da banda e onde começa a acontecer a transição do trash metal para um heavy metal mais tradiconal e o power metal. A sonoridade dele em termos de produção assemelha-se aos álbuns do Anthrax, mas a voz poderosa e pesada de Peavy Wagner, lider da banda, e as composições melódicas com influência da música eruidita, característico do metal alemão, é o diferencial. O grande som deste álbum é sem dúvida "Enough is Enough", uma porrada! Seguida de "Questions", "Shame on You" e suas frases orientais, a rápida "Madicine", entre outros grandes sons. É outro daqueles power trios que fazem muito barulho!

"The Triumph of Steel" - Manowar

Bah! Esse álbum é demais! Tem muita gente que torce o nariz para o Manowar, mas eu adoro. Tudo bem, as letras não são lá essas coisas, exaltação ao heavy metal, Odin, cultura Nordica e blá, blá, bla... Mas o som desses caras é bom demais. Depois de 3 lançamentos não muito legais, a banda solta esta obra épica e retoma o rumo de seu som. "Achilles, Agony and Ecstasy in Eight Parts" é a melhor, com 28 mim de pura emoção, "Metal Warriors (Brothers of Metal pt1)", "Ride the Dragon", "Spirit Horse Of The Cherokee" e "The Demon´s Whip" são os grandes destaques.

"Dirt" - Alice in Chains

Melancólico e perturbador. É como podemos definir este álbum, pelo menos em seus 80%. Os anos noventa foi a década do chamado "grunge', que teve sua origem em Seattle-USA. Deste movimento, uma das bandas que podemos considerar é o Alice in Chains e seu som pesado e áspero, além ótimas melodias vocais de Layne Staley (r.i.p) e Jerry Cantrell, e seus duetos clássicos. Neste álbum temos as pérolas "Them Bones", "Rooster" e "Would?".

"Countdown to Extinction" - Megadeth

Este é um dos melhores álbuns da banda. Pesado, técnico e com grandes riffs. Tornou-se um clássico, principalmente pela música "Symphony of Distruction". Foi o álbum mais bem sucedido comercialmente e mais premiado da banda até então. O álbum ganhou o Grammy Awards 93 e a faixa título a honraria Humane Society's Genesis Award, tornando o Megadeth a única banda de metal a ser dada esta honra. Também destaco as músicas "Skin o`My Teeth", "High Speed Dirt" e "Crown of Worms".

Outros álbuns lançados neste ano




Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário