7 de abril de 2012

[Resenha] THE BLUES BEERS - "Ao Som de Blues" (2012)


Ouvindo este segundo álbum da banda THE BLUES BEERS tenho a nítida sensação de crescimento e amadurecimento da banda, que traz novamente, em suas 10 faixas cantadas, agora em português, o melhor do blues raiz. Pelo que consta, ele foi gravado ao vivo no estúdio, mixado e masterizado posteriormente, e lançado de forma totalmente independente. Isso demonstra o quão entrosado estava o grupo.

"BR 116" é um blues estilo SRV, bem agitado e para cima, ótima para fazer a abertura do álbum. E aqui já destaco a excelente performance da vocalista CAMILA DENGO, que ao longo do cd mostra toda sua técnica, feeling, e principalmente, experiência de uma das melhores cantoras de Caxias do Sul.

Mantendo o mesmo embalo temos a música "Addictus" e seu schuffle conduzido pelo mestre das baquetas, LEOZÃO REIS. Nesta música temos o solo do guitarrista MATIAS CIPILIANO em uma grande performance mais que especial.

"Ao Som de Blues" é um som mais arrastado, com uma guitarra mais estalada, característico de uma boa stratocaster. Por falar nisso, o solo de CRISTIAN RIGON está perfeito, e mostra a versatilidade do guitarrista outrora conhecido como um hard rocker. Vale destacar também os incríveis trabalhos de harmônicas de RAFAEL REIS, com ótimos timbres e frases, que é uma constante em todo o trabalho. Ao final da música, no refrão, o clima esquenta e se agita, e você consegue imaginar claramente as pessoas dançando e subindo nas mesas como nos filmes setentistas de Hollywood.

Agora vem a calmaria e a lamentação, "Eu Sou Meu Maior Perigo" conta a história de uma menina reclusa e que teme por sua própria vida, mas sua algoz é ela mesma. Uma letra bem bacana mas com uma certa dose de perturbação. Tudo isso com um fundo musical melancólico e arrastado. Temos aqui a participação de TIO CLEEDS na guitarra slide.

Seguindo a regra a risca, a banda mostra em suas letras os problemas do cotidiano, como o blues deve ser. Prova disto é "Motivo", onde fala de uma pessoa que está decepcionada com seu parceiro por ser desligado com coisas pequenas e a falta de romance, e depois com um certo desprezo diz "Eu vou com tua cara / Mas eu já me decidi / Te deixo sozinho, eu quero é me divertir". A música é um rhythm and blues com ótimos momentos de guitarra e harmônicas, e uma grande performance vocal.



A próxima música é um clássico da mpb. "Negue" - conhecida na voz de Maria Bethânia, também já foi interpretado por Nelson Gonçalves e outros cantores. - O BLUES BEERS conseguiu transformar a música e deixar a cara da banda, e ressalto novamente a fenomenal performance de CAMILA, que interpreta com originalidade e  perfeição em momentos de pura emoção.

"Blues da Espingarda" é um som instrumental de altíssima qualidade e traz excelentes solos de baixo de JOSUÉ BACIQUETI, como uma espécie de apresentação do baixista que até agora estava tímido, mas muito preciso, e mostra que a banda está muito bem servida na cozinha.

Após o agito, é hora de acalmar os ânimos chorar as mágoas de novo com "Não há Razão". Apesar de ser uma música muito boa e ter seu valor, ela traz o básico do blues e é a menos interessante do álbum, na minha opinião.

Mas como uma boa injeção de ânimo, a banda levanta novamente e reencontra o caminho com "Um anjo e Um Diabo", que novamente tem a participação de MATIAS CIPILIANO nas guitarras. O mais interessante neste som são os duelos de baixo e harmônica, coisa incomum e muito bem sacado e executado.

O álbum fecha com a agitada e dançante "Feitiço", uma cancão bem ao estilo da  música negra gospel americana, isso na parte instrumental, porque a letra não tem nada de gospel, pois fala de uma pessoa que encontra uma cigana e faz um feitiço (simpatia) para ter o amor de volta. E como um grand finale, a música ainda traz ótimos e breves solos de baixo e bateria e o tradicional final bluseiro.

Um grande lançamento de um dos melhores representantes do estilo no sul do país. Uma banda com músicos de alto gabarito e que vem crescendo a cada apresentação e trabalho lançado. É um prato cheio para quem curte blues de qualidade.

NOTA - 8,5
---------------------
THE BLUES BEERS - "Ao Som de Blues" (2012)
(DuZamba Records)
01 - BR116
02 - Addictus
03 - Ao Som de Blues
04 - Eu Sou Meu Maior Perigo
05 - Motivo
06 - Negue
07 - Blues da Espingarda
08 - Não há Razão
09 - Um Anjo e Um Diabo
10 - Feitiço

-------------------
Links Relacionados
FACEBOOK
MYSPACE

Cristian Rigon, Rafael Reis, Leozão Reis, Camila Dengo e Josué Baciqueti

Comentários
0 Comentários