26 de maio de 2013

[Resenha] MARCOS DE ROS: Técnica e musicalidade

[Resenha] Por Marco Paim


A noite estava um pouco fria em Caxias do Sul nesta sexta-feira, mas não era motivo suficiente para perder o show de uma das figuras mais respeitadas no meio musical brasileiro. A apresentação estava marcado para às 20:30hs, eu cheguei faltando uns 5 minutos ao Centro de Cultura Ordovás e de cara, já encontrei Marcos De Ros e Rodrigo Campagnolo em seus preparativos para o grande momento, que começou após um atraso de uns 15 minutos. O Rodrigo deu uma mão ao amigo com as filmagens, das quais espero que rendam ótimos registros no Youtube.

Marcos De Ros, que a obra fala por si só, ao longo de sua carreira lançou álbuns memoráveis desde a época da banda De Ros, passando pelo Akashic e agora, lançando sua mais nova obra prima, o "Sociedade das Aventuras Fantásticas"

O show foi num formato  quase intimista, apenas ele, um leptop e sua guitarra plugada em um arsenal de pedais da Fuhrmann. Sim, o restante do som veio das trilhas do álbum, mas isso não tirou mérito algum da apresentação, que foi impecável por sinal, apesar do público não ter comparecido em peso, mas os que foram, interagiram bastante.

O repertório ficou mesmo calcado no atual trabalho, abrindo com a progressiva  "Os Doze Trabalhos de Hércules", seguido da atmosférica e enigmática "Aladim" e quase todas do álbum. Destaque para a performance das músicas "As Aventuras do Capitão Jack Sparrow" e "Os 3 Mosqueteiros", que foram realmente de tirar o fôlego em suas versões ao vivo, além do maravilhoso bis com a música, que pra mim é uma das melhores, "Sherlock Holmes" seguida de "Moby Dick, A Baleia". E vou te dizer, com o cara tocando na sua frente, realmente impressiona o nível técnico das músicas.



Entre uma faixa e outra, De Ros explicava a temática do disco e a fonte de inspiração de cada composição, inclusive dando alguns detalhes curiosos sobre temas como "Pinóquio", onde ele diz ter se inspirado na versão original da história, que é muito diferente da versão açucarada da Disney. Segundo o próprio De Ros: "O Pinóquio original é um boneco bem filho-da-mãe (risos). Um boneco do mal mesmo. Aquilo não é história para crianças. Tem umas partes bem pesadas no livro original...". O que desperta a curiosidade e até faz compreender a obscuridade da música.


O tempo todo Marcos De Ros esbanjou segurança, técnica e muito profissionalismo, além de seu clássico bom humor que, apesar de ser um show instrumental, sem banda, fez com que o público não se entediasse, inclusive desse algumas risadas, (em alguns momentos acho até que ele flertou com o stand up). Claro que a experiência e a bagagem aqui fizeram toda diferença.



Enfim, foi um ótimo show, executado com perfeição por um dos melhores guitarristas do país em um lançamento de um dos melhores álbuns do ano. Minha única ressalva é que o show foi um pouco curto e podia ter sido executadas músicas de outros álbuns de sua carreira, até mesmo novas versões de antigas músicas da banda De Ros, clássicos como "La Lejenda Del Brujo", "Swing From Hell", "Gebberish",   "Eternal Life", "War" e "Lux Perpetua", ou até mesmo executar algumas peças dos dois "Masterpieces", ia ser uma nostalgia só aqui em Caxias. Mas acredito que o foco foi mesmo no novo lançamento, e talvez não seja assim tão simples sem uma banda de apoio. (Mas fica a dica De Ros).
Quem foi, não se arrependeu, quem não foi... bem, acredito que não faltará oportunidade, mas perdeu esta...

===============
Set list
01. Os Doze Trabalhos de Hércules
02. Aladim
03. Canção Para Poliana
04. Pinóquio
05. Alice no País das Maravilhas
06. As Aventuras do Capitão Jack Sparrow
07. Os 3 Mosqueteiros
08. O Hino do Super Homem
09. O Pequeno Príncipe
10. Tarzan
BIS
11. Sherlock Holmes
12. Moby Dick, A Baleia

==================

Foi tudo que o homem precisou...






Momento Stand up (hehehe)



Teve venda de CD´s autografados
Presenças ilustres como a de Ricardo Dini (Musicaxias / Dinâmica Comuncação)








Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário