22 de junho de 2013

[Resenha] BLACK SABBATH - "13" (2013)


Quando o BLACK SABBATH anunciou a volta de sua formação original, minha alegria foi imensa! Mas logo começaram aquelas histórias por causa de dinheiro, BILL WARD fora da banda, achei que não ia dar em nada, que iria ser mais um fogo de palha, ainda mais que o TONY IOMMI havia sido diagnosticado com câncer. Ou seja, tudo conspirava contra esse álbum.

Mas os "Pais" do heavy metal não desistiram e começaram as gravações. Muitas especulações, a voz do OZZY um lixo ao vivo, achei que iria ser bem meia boca, mas então sai a música "God is Dead?". Lembro de ter ficado um pouco decepcionado com o som, tirando o baixo incrivelmente pesado, o resto me soava muito simples, arrastado. Talvez por estar acostumado com o "The Devil You Know" do HEAVEN & HELL.

Mesmo assim, não me precipitei, fui digerindo a música e gostando dela. Quando finalmente saiu o álbum "13" consegui logo a versão Deluxe e o escutei muitas vezes seguidas. Vi na internet várias resenhas, alguns falando muito bem, outros falando mal, com comentários do tipo "muito clichê", "se plagiaram...". Deixei o tempo passar e ouvi mais atentamente, digeri cada música, cada riff do "Pai" IOMMI e a conclusão que EU cheguei é a seguinte: O álbum é fo-dás-ti-co!!!

O CD já começa com um riff de "final dos tempos", no melhor estilo BS, semelhante ao que já havia sido feito em "The Devil You Know" com "Atom and Evil". "End of the Beginning" tem aquele clima sombrio de "Black Sabbath" e a tradicional mudança de ritmo com um riff matador, daqueles que só o "Pai" sabe fazer.



Na verdade o álbum todo é um retorno aos primeiros tempos da bandas, com muitas referências a músicas antigas da primeira "Era OZZY", talvez por isso alguns tenham achado clichê. Mas se for ver bem, plágio de que? Clichê de que? Ora, foram eles que inventaram a coisa pô! Não faz sentido esse tipo de comentário.

Além da primeira faixa, temos ainda alguns sons mais arrastados como "God is Dead?", "Age of Reason", a bluseira "Damaged Soul", que lembra muito climas como de "Sleeping Vilage", e a fabulosa "Dear Father" com seus riffs maravilhosos, que no final da música dá uma guinada no ritmo.

Também tem as agitadas, como a cadenciada "Loner", com ótimas mudanças rítmicas e "Life Forever". Tem ainda a música "Zeitgeist", claramente inspirada na "Planet Caravan". Porém, uma coisa que notei, ao ouvir o material Deluxe, é que as músicas bônus, "Methademic", "Peace of Mind", "Paraiah" e "Naïvete in Black" são ainda melhores e mais agitadas também.

O álbum é de um extremo bom gosto, com timbres e produção impecáveis. As linhas vocais do OZZY assemelham-se ao que ele vinha fazendo em sua carreira solo, mas os riffs inconfundíveis e únicos de TONY IOMMI somado ao incrível baixo de GEEZER BUTLER, que ficou pesadáço e na medida certa, somado a produção de DAN RUBIN, deixam o trabalho com aquele aspecto de vintage, mas com sonoridade moderna.

Não gostei muito da arte da capa. Sei lá, hoje as bandas investem tanto na arte, é tão elaborado que quando tu vê algo tão simples, estranha. Talvez eu não tenha entendido ainda, mas por enquanto fico com a opinião que eles podiam tem se puxado mais nesse ponto. Enfim, por enquanto pra mim, o melhor álbum de 2013!

NOTA - 10
==============
BLACK SABBATH - "13" (2013)
Tracklist
(Vertigo/Universal)
01 - End Of The Beginning
02 - God Is Dead
03 - Loner
04 - Zeitgeist
05 - Age Of Reason
06 - Live Forever
07 - Damaged Soul
08 - Dear Father
Bônus
09 - Methademic
10 - Peace Of Mind
11 - Pariah
12 - Naivite in Black

Line-up
Ozzy Osbourne - Voz
Tony Iommi - Guitarras
Geezer Butler - Baixo
Brad Wilk  - Bateria








Comentários
0 Comentários