7 de outubro de 2013

[Resenha] TIERRAMYSTICA - "Heirs of the Sun" - (2013)

[RESENHA] Por Marco Paim


Ó o metal gaúcho outra vez surpreendendo! O hepteto porto-alegrense lançou neste ano o seu segundo álbum oficial, o "Heirs of the Sun", e de cara você já nota diferença na produção do trabalho, créditos ao Pompeu e o Heros, da Mr. Som Studio, e na maturidade dos arranjos. Apesar de manter a mesma linha de composições, misturando o metal melódico com a sonoridade latina, mais especificamente da cultura andina, aliás, uma marca registrada da banda, nota-se um grupo mais entrosado e solto, já que Gui Antonioli já não é mais o "novo vocalista", o cara que teve de pegar o bonde andando, mas "a voz" do TIERRAMYSTICA, quase impossível agora desassociar as duas coisas. 

Falando nisso, Gui Antonioli está demais, numa fase ótima, cantando muito! Ousou bastante nas linhas vocais e deu muito certo, é notável a sua evolução técnica. Ainda falando dos vocais, temos também a voz de Ricardo "Chileno" Durán fazendo harmonizações perfeitas, enriquecendo ainda mais esta parte da sonoridade do TIERRA...

O álbum abre com a instrumental acústica e melódica "When the New Dawn Arrieves", com todos aqueles instrumentos folclóricos como o charango e flautas de bambu (quena e zampoña), aliás, as harmonizações com esses instrumentos serão uma constante em todo o álbum. Depois a banda entra com tudo na primeira grande música, "Vision of the Condor", um som que mistura o progressivo e o melódico, com um grande refrão, uma música bem "pra cima", e não pude deixar de notar uma certa influência do AKASHIC nesse som, principalmente no mormento do solo. Esta música ganhou até um videoclipe lançado na última semana (abaixo).

Depois o ritmo acelera em "Essence of Pride", com um "pézinho" no SYMPHONY X, tem velocidade e quebradeira, e "Myths of Creation", outra grande canção do álbum, onde vemos a banda mudar bases, ritmos, andamentos e dinâmicas a todo o momento, mesclando velocidade, momentos acústicos e cadenciados, destaque para o ótimo e emocionante solo de guitarra. Logo em seguida tem a calma e acústica "Shine, Once Again", onde todos aqueles instrumentos peculiares são tocados de forma magistral, exceto no momento do solo, onde entra a banda toda "plugada", você quase se vê em terras andinas, em meio ao povo Asteca e Inca, e a emoção que o Gui passa nessa música é de arrepiar.



E o ritmo andino continua em "Men on Earth (Mapuche)", também totalmente acústica e desta vez é tocada com um tradicional instrumento gaúcho, o bombo leguero, outra sonzeira com uma incrível harmonização de flautas. E a banda volta a passar o rolo compressor em "Gate of Gods (Hayu Marca)", rápida e progressiva, possui um refrão bem marcante e muitas variações de ritmos. "The Rise of the Feathered Serpent (Quetzacoatl)", começa calma e depois de alguns segundos entra arrebentando, com o Gui mandando ver nos drives, e novamente chama atenção o refrão bem melódico, com muitas harmonizações.

E agora vem a grande surpresa do álbum, "Llanto de Mi Tierra" é acústica e toda cantada em espanhol! Sim, já que a banda explora todo esse universo da música latina e é muito reconhecida em países como a Argentina, nada mais justo que fazer uma homenagem a essa história, aos hermanos. E não é que ficou legal, aliás, muito legal!! E o álbum fecha com a instrumental "Inti Sunset", um som acústico e folclórico, calma, ela possuí lindas melodias de flautas, passa bem aquele sentimento de finaleira, para relaxar.

O TIERRAMYSTICA, na minha opinião, e acredito que na opinião de todos que terão acesso a esse material, é hoje uma das maiores bandas brasileiras de metal. Uma banda extraordinária, com muito potencial e que o mundo começa a conhecer aos poucos. Acredito em ótimos frutos vindo do "Heirs of the Sun", pois é um trabalho inovador, coeso e bem produzido, com músicas de conteúdo. Até aonde eu sei o som do TIERRAMYSTICA é único!!! Parabéns Gui, parabéns a toda a banda, vocês conseguiram!

https://www.facebook.com/tierramystica

==================================
TIERRAMYSTICA - "Heirs of the Sun" - (2013)
(Megahard)
Track-list
01. When the New Dawn Arrieves
02. Vision of the Condor 
03. Essence of Pride 
04. Myths of Creation 
05. Shine, Once Again 
06. Men of Earth [Mapuche] 
07. Gate of Gods [Hayu Marca] 
08. The Rise of the Feathered Serpent [Quetzacoatl] 
09. Llanto de Mi Tierra 
10. Inti Sunset 

Line-up do CD
Gui Antonioli - Vocal e percussão
Alexandre Tellini - Guitarra, Violão e Zampoña
Fabiano Muller - Guitarra, Violão e Quena
Rafael Martinelli - Baixo, Quena, Backing vocals e Zampoña
Luciano Thumé - Teclados
Duca Gomes - Bateria*
Ricardo "Chileno" Durán - Vocal, Ocarina, Charango e Violão

*Duca deixou a banda sendo substituído por Rafa Dachary, baterista que aparece no clipe.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário