16 de janeiro de 2014

BRUCE KULICK: "Eu realmente não sinto falta de ser o “Spaceman”"

[ENTREVISTA] Por Geraldo Andrade / Tradução: Marco Paim

Confesso que tentei separar o fã, do entrevistador, mas isso quase foi impossível. Após um contato via e-mail, recebi o ok,de um dos meus “heróis” da música, custei a acreditar! O sonho tornou-se realidade. Considerado por muitos como o melhor guitarrista que já passou pela “banda mais quente do mundo”, o KISS, o Heavynroll, em mais uma entrevista internacional, conversou “simplesmente” com o guitarrista BRUCE KULICK. Bruce falou da sua carreira solo, das lembranças do Brasil e, claro, do KISS. Confira mais essa grande entrevista no Heavynroll

HEAVYNROLL - Em primeiro lugar, quero agradecer por você ter atendido o Heavynroll. Atualmente você é guitarrista da banda GRAND FUNK RAILROAD. Como aconteceu o convite para você entrar na banda?.

BRUCE Don Brewer e eu nos encontramos algumas vezes no passado. Ele tocava bateria com Bob Seger quando eu estava com Michael Bolton na estrada. Acabei em uma pequena lista de guitarristas quando ele estava retomando o GRAND FUNK no final de 1999. Tenho sido o guitarrista por 13 anos! Grandes turnês, grande banda.

HEAVYNROLL - Após sua saída do KISS, você participou e participa de vários projetos, como AVANTASIA, UNION, ESP e tantos outros. Como você consegue participar de tantas coisas assim?

BRUCE É um desafio, mas eu dou conta. Há maneiras de fazer funcionar. Quando há um conflito, você faz o seu melhor para que dê tudo certo outra vez. Eu sou abençoado para ter as oportunidades.

HEAVYNROLL - E sua carreira solo? Como está à aceitação de publico e mídia do seu ultimo álbum BK3?

BRUCE Acho que foi muito bem sucedida. A reação de ter todos aqueles artistas convidados não afetou o feeling do CD. Era muito sobre meu jeito de tocar guitarra e compor. Fiquei satisfeito.


HEAVYNROLL - Você já esteve no Brasil algumas vezes, mas a primeira foi em 1994, no Monsters Of Rock, em São Paulo. O que você lembra-se dessa passagem pelo nosso país?

BRUCE - A visita ao Brasil com o KISS em 1994 foi incrível. Eu estava tão animado em tocar nesses enormes estádios, foi maravilhoso. Sentimos o amor do público!

HEAVYNROLL - Existe uma frase que diz: “uma vez no KISS, sempre no KISS”. Como é ser reconhecido até hoje, como um dos melhores guitarristas que já passou pelo KISS? E como é receber tanto carinho dos fãs da banda?

BRUCE - Eu sou parte da família KISS, e isso é ótimo. Meus 12 anos são uma parte importante da história da banda, e eu realmente adoro quando os fãs me dizem que eu sou o seu primeiro guitarrista que eles conheceram no KISS. Todos esses álbuns, os shows em vídeos e etc... Eles estão lá para novos fãs conferirem. Agradeço tudo isso.



HEAVYNROLL - Você gravou com o KISS, um dos álbuns mais injustiçados da banda: “Carnival Of Souls”. Porque você acha que esse álbum não teve o reconhecimento merecido?

BRUCE - "COS" veio em um momento muito estranho para a banda. Justamente quando estávamos quase terminando-o, Gene e Paul entraram em um acordo com Peter e Ace para fazer a turnê de reunião. Então, naturalmente, tudo sobre o CD "COS"  não foi muito importante. Estou feliz que muitos fãs amam as músicas do álbum.

HEAVYNROLL - Qual a sua opinião sobre o último álbum do KISS: “Monster”?

BRUCE - Há algumas canções muito fortes neste CD. Eu sinto como eles entendem a nova versão da banda, e eles estão fazendo acontecer. Por mais que Paul e Gene mantenham sua história, eles precisam olhar para a frente também.

HEAVYNROLL - Quando se fala em Kulick, lembra-se dos irmãos Bob e Bruce. Como é sua relação com seu irmão?

BRUCE - Estamos muito perto. Estamos trabalhando em algumas canções para que possamos, pelo menos, lançar um EP da novas músicas dos Brothers Kulick.


HEAVYNROLL - Como está a agenda de Bruce Kulick? Alguma chance do Brasil estar nela?

BRUCE - Nada confirmado ainda, mas eu espero que possamos ir ao Brasil em 2014.

HEAVYNROLL - Se acontecer um convite, você voltaria ao KISS?

BRUCE - Bem, eu sinto falta dos caras, mas eu realmente não sinto falta de ser o “Spaceman”, Tommy faz isso muito bem. Então, eu nunca esperaria voltar a banda.

HEAVYNROLL - Um recado para os fãs brasileiros e leitores do Heavynroll?

BRUCE - Quero agradecer a todos pelo seu apoio e todos os e-mails que recebo de meus fãs brasileiros. Isso realmente significa muito para mim, saber que vocês não tenham esquecido a minha contribuição para o KISS.



Links


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário