16 de fevereiro de 2014

[Resenha] HUMBERTO GESSINGER - "Insular" (2013)

[RESENHA] Por Marco Paim


Quando falamos de Humberto Gessinger, falamos de um dos principais músicos e artistas do Rio Grande do Sul e um dos maiores cérebros pensantes do rock brasileiro. Suas letras inteligentes e atemporais, além de composições originais fizeram com que o ENGENHEIROS DO HAWAII se tornasse uma das maiores bandas do rock brasileiro. 
Depois de muitas abordagens na sua carreira, como banda, como trio e por muitos anos em formato acústico, Humberto volta a plugar seus instrumentos nas válvulas e overdrives e lança um dos melhores álbuns de 2013, 'Insular", seu primeiro trabalho solo, que além Humberto Gessinger que, como multi-instrumentista, toca muitos outros instrumentos, também está repleto de grandes participações especiais, como de Bebeto Alves, Frank Solari e o saudoso Nico Nicolaiewsky, entre outros. 

Destacar músicas aqui é uma tarefa complicada, porque o álbum todo é ótimo. O CD pode muito bem ser comparado a uma coletânea musical de tudo que Humberto fez de bom em todas as fazes de sua carreira, inclusive assumindo novamente o baixo, instrumento que domina e que, além de sua voz inconfundível, se tornou uma referência no EngHaw. Mesmo assim, cito as minhas preferidas, por exemplo a faixa que abre o trabalho, "Terei Vivido" e a seguinte, "Sua Graça" que nos remete aos tempos primórdios do ENGENHEIROS, a mesma coisa acontece em "Bora", numa fase um pouco mais "moderna".
"Tchau Radar, A Canção", uma semi balada totalmente Floydiana, tem uma construção harmônica claramente influenciada por álbuns como "Dark Side of the Moon" e "Wish You Were Here", um baita som com um letra extraordinária. Outra zonzeira é "Tudo Está Parado", que novamente surpreende com aquelas letras bem sacadas de Humberto, repleto de duplo sentido. Uma curiosidade desta música, é que ela foi composta para a banda JOTA QUEST, que inclusive a lançou em um formato mais disco. Nem preciso dizer que a versão de Humberto ficou beeeem melhor.
Outra música que surpreende é "Recarga", uma mistura de rock com música tradicional gaúcha, que ainda conta com a participação de um grande nome do estilo por aqui, Luis Carlos Borges, que toca acordeon e vocais. Desta vez misturando o rock a uma milonga, "Milonga do Xeque Mate", além de uma grande letra, traz a grande participação do guitarrista Frank Solari, que sonzeira! Bem, essas são minhas favoritas, mas não quer dizer que as outras não citadas sejam ruins, pois como falei antes, o álbum todo é ótimo.


A produção sonora de "Insular" é impecável, e dá uma sensação de uma viagem no tempo a quem está ouvindo, mas tudo soa com a mesma intensidade moderna. Um grande álbum e com certeza um dos melhores lançados em 2013. Adorei e recomendo!

HUMBERTO GESSINGER - "Insular" (2013)
(STR / Stereophonica)
Tracklist
01. Terei Vivido
02. Sua Graça
03. Bora
04. A Ponte Para o Dia (part. Bebeto Alves nos vocais)
05. Tchau Radar, A Canção (part. Rodrigo Tavares nos vocais)
06. Tudo Está Parado
07. Recarga (part.Luis Carlos Borges no acordeon e vocais)
08. Milonga do Xeque-Mate (part. Frank Solari na guitarra)
09. Insular
10. Essas Vidas da Gente
11. Segura a Onda, DG (part. Nico Nicolaiewsky no acordeon e vocais)
12. Plano B



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário