photo RESENHAS.jpg

25 de janeiro de 2019

URIAH HEEP - Discografia - Os Melhores e os Piores




NE: Publicado originalmente no dia 30.04.14

A banda começou em 1960 e teve inúmeras formações ao longo de sua trajetória, muitas delas turbulentas. Apesar de ser uma banda reconhecida na Europa e muitas bandas grandes a citarem como influência e referência, a banda sempre se manteve no underground do rock pesado, uma banda mais cult do que pop. Subestimada em muitos momentos pela mídia, a banda se manteve apoiada  nos milhares de fãs pelo mundo e resiste até hoje.

Abaixo a discografia por ordem de cronológica, claro que levamos em conta aqui a preferência pessoal e muitos não concordarão com a ordem da lista. Vou comentar apenas os "Imperdíveis!", depois listaremos os "Muito Bons!", "Bons!", "Cuidado!" e  "Esqueça!". Confira:

IMPERDÍVEIS!

"Salisbury" (1970) - [OUÇA]

Este é o segundo álbum da banda e traz um URIAH HEEP quase progressivo. Com músicas como a épica faixa título e seus mais de 16 minutos de pura emoção, além da clássica "Bird of Pray" e o hino "Lady in Black".




"Look at Yourself" (1971) - [OUÇA]

A Era David Byron foi mágica, e prova disso são os álbuns com a sua voz inspiradora. Aqui temos a incrível faixa título, a grande e apoteótica "July Morning" e uma das minhas preferidas: "Shadows of Grief".


"Demons & Wizards" (1972) - [OUÇA]

Com certeza o melhor álbum de toda a cerreira da banda, uma obra prima do começo ao fim. Leia mais na resenha que fiz deste álbum clicando AQUI


"The Magicians Birthday" (1972) - [OUÇA]

Lançado no mesmo ano que o álbum acima, ele dá continuidade ao incrível trabalho. Também um álbum digno de aplausos. Leia a resenha clicando AQUI




"Sweet Freedom" (1973) - [OUÇA]

Este grande álbum contém clássicos como "Stealin´" e "Circus", além das épicas "Sweet Freedom" e "Pilgrim". É o álbum mais progressivo da Era Byron. Leia a resenha AQUI




"Return to Fantasy" (1975) - nota 10 - [OUÇA]

Apesar de ter gravado mais um álbum depois deste, "Return to Fantasy" foi o último grande trabalho gravado por David Byron com o grupo. Nele temos uma banda misturando o progressivo e o peso da época em músicas memoráveis como a enigmática e clássica faixa título, além de "Devil´s Child", uma das minhas favoritas. E também a clássica balada "Why Did You Go".

"Firefly" (1977) - [OUÇA]

Este é o primeiro álbum com formidável vocalista John Lawton (Lucifer´s Friend). Um álbum bem ao estilo dos primeiros da banda, com grandes performances do vocalista em músicas como "The Hanging Tree", a romântica e clássica "Wise Man" e a pesada "Sympathy".



"Innocent Victim" (1977) - [OUÇA]

Ao contrário da capa, o segundo álbum com o incrível John Lawton é recheado de pérolas e muito bom gosto. A banda pega um pouco mais leve em sua composições e apresenta muitas músicas semi-acústicas, quer dizer, abusando nos arranjos com violões sobressaindo as guitarras. Exemplo disso são as músicas "Keeo on Ridin`", e a clássica "Free Me".


"Fallen Angel" (1978) - nota 10 - [OUÇA]

Este é o 3º álbum com John Lawton e é um grande trabalho. Ele segue a linha mais rock, com músicas como "Falling in Love", "One More Night (Last Farewell)", "Wad`Ya Say". Temos também a clássica "Come Back To Me" e a progressiva "Fallen Angel". a linha mais rock, com músicas como "Falling in Love", "One More Night (Last Farewell)", "Wad`Ya Say". Temos também a clássica "Come Back To Me" e a progressiva "Fallen Angel".

"Sonic Origami" (1998)  - [OUÇA]

Depois de um período meio turvo, com álbuns de gosto duvidoso, a banda retoma a sua essência e dá sequência a um séria álbuns incríveis. A começar por esta verdadeira obra prima, com músicas como "Between Two Words", "Only Die Young", "Feels Like" e a emocionante "The Golden Palace", em meio a muitas outras memoráveis. Este é último álbum de inéditas com o lendário baterista Lee Kerslake.

"Wake the Sleeper" (2008)  - [OUÇA]

10 anos depois, vem outro grande petardo, dando sequência a mais uma fase mágica que o URIAH HEEP vive. Neste álbum a banda consolida o seu "novo" estilo de compor, com músicas como as pesadas "Overload" e "Tears of the World", além de "Book of Lies", "Shadow" e "War Child". Este álbum marca a estréia do baterista Russel Gilbrook.

"Into the Wild" (2011)  - [OUÇA]

Este é um pouco mais pesado, com Russel mais solto e usando mais os pedais duplos, além de uma produção sonora de dar inveja. Destaques para as músicas "Into the Wild", "Money Talk", "I´m Ready" e "Believe". Este é o último álbum de inéditas com o baixa Trevor Bolder, morto em 2013.



"Outsider" (2014) - [OUÇA]
Leia a RESENHA









"Living the Dream" (2018)
Leia a RESENHA



MUITO BONS!

"Very Eavy... Very Umble" (1970) - [OUÇA]




"Wonderworld" (1974) - [OUÇA]





"High and Mighty" (1976)  - [OUÇA]





"Sea of Light" (1995) - [OUÇA]







BONS!

"Abominog" (1982) - [OUÇA]






"Raging Silence" (1989) - [OUÇA]






"Different World" (1991) - [OUÇA]







CUIDADO!

"Head First" (1983) - [OUÇA]








ESQUEÇA!

"Conquest" (1980)  
"Equator" (1983) 




Comentários
0 Comentários