26 de junho de 2014

[Resenha] JBOZ - "No Vox" (2014)

[RESENHA] Por MARCO PAIM


JBOZ, pseudônimo utilizado pelo guitarrista caxiense Juliano Boz, é o tipo do cara "come quieto". Em seus trabalhos com a banda de pop rock CLÃ-DESTINO já se destacava por sua performance virtuose, obviamente em dosagens menores. Sempre esteve por traz de produções e gravações no estúdio do qual é proprietário, o Digital Master, onde muitos álbuns da região "nasceram", como por exemplo "Freak Songs" do Paulo Schroeber e o CD do HAMMER 67.
Mas daí, sei lá, acho que mexeram com quem tava quieto e o cara mostrou toda a sua fúria e técnica no extraordinário "No Vox", CD instrumental lançado em Maio deste ano e que impressiona do começo ao fim. Se antes ele era contido, no seu mais recente trabalho JBOZ injeta doses cavalares de extremo bom gosto e técnica, transformando assim este álbum em um dos melhores trabalhos instrumentais que eu já ouvi.
Sobre as músicas, elas tem uma forte influência de guitarristas como Joe Satriani e Steve Vai, mas o álbum é muito variado, passando do heavy metal ao groove, blues e jazz.
O álbum foi gravado, mixado e produzido pelo próprio Juliano, e conta com Gustavo Viegas no baixo e Rodrigo Zorzi na bateria. A capa foi desenvolvida pelo mestre do design da ArtSpell, Marcus Lorenzet.

Destaques
"Down the Ditch", foi o primeiro videoclipe do guitarrista e tem influências claras de Joe Satriani. É um som pra cima e divertido.
"Intro/Satanic Rock", essa música é muito interessante. Pesada, ela me lembrou nosso saudoso Paulo Schroeber, com fraseados semitonados e muita fúria nos arpeggios, Juliano não poupou na "sarrafeira". Para meus ouvidos, a melhor do álbum.
"Brainstorm", começa com um riff pesadão e apesar de ser instrumental, quando entra os temas a guitarra parece "cantar". Grande música, e mais uma vez Juliano mostra toda a sua técnica em solos de tirar o fôlego.
"Virtual Riders" é um som grooveado que alterna entre a calmaria e o peso. Timbreira de guitarra. Aliás, timbre de guitarra neste álbum é o que há de melhor, e não podia ser por menos vindo de um cara que tem um ouvido privilegiado.
"Rocking the Polidance", tem uma influência blues ao estilo Stevie Ray Voughan, uma semi-balada com muito groove e feeling que lá pelas tantas cresce e novamente o guitarrista senta o braço de forma emocionante e consciente.



Falamos muito de Juliano Boz, obviamente, mas tenho que destacar o incrível trabalho de Gustavo Viegas e Rodrigo Zorzi, que fizeram absurdos na cozinha, digno de aplausos. A cada música você percebe o nível máximo em que esses músicos se encontram.
Claro que se tratando de um CD solo de um guitarrista, alguns elementos são comuns a outros músicos, já que as influências são quase as mesmas, mas o que diferencia o "No Vox" é a espontaneidade claramente notável em todo o álbum.
Segundo o próprio Juliano: "Os solos e melodias de 50% do CD foram gravados em vários takes de improviso e escolhidos os melhores. Neste CD procurei buscar uma sonoridade própria, o que é bem difícil de se chegar hoje em dia, isso pelo grande número de informações que se tem disponível na internet. Por um lado é ótimo, mas pode ser perigoso pelo fato de se ver muita gente tocando meio que parecido. Quando falo parecido é porque milhares de guitarristas tocam com o mesmo tipo de fraseados, bends e slides na hora de executar uma escala arpejo ou melodia além de timbres."
Bom, é exatamente isso, sem mais. Eu recomendo!!!

=========================
JBOZ - "No Vox" (2014)
Tracklist
01. Down the Ditch
02. Intro
03. Satanic Rock
04. Brainstorm
05. Virtual Riders
06. John Doe
07. Flying Above the Clouds
08. Homeless
09. Rocking the Polidance
10. Do What I Say, Not What I Do
11. Lust One Take

Line-up
Juliano Boz - guitarra
Gustavo Viegas - baixos
Rodrigo Zorzi - bateria

Links Relacionados
https://www.facebook.com/julianoboz?fref=ts
https://www.facebook.com/cla.destino1?fref=ts




Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário