9 de julho de 2014

[Resenha] URIAH HEEP - "Outsider" (2014)



Nas Vésperas de um show espetacular em Porto Alegre este ano, a realização de um sonho de mais de 20 anos, ficamos sabendo do lançamento de mais um álbum inédito dos meus heróis do URIAH HEEP, banda que me inspirou e me inspira desde de sempre. O álbum lançado no mês passado, "Outsider" é o 23º álbum de estúdio do grupo, que faz parte daquela gama de artistas injustiçados mas que serviram de alicerce para que o rock/metal seja o que é hoje.

Pra começar, já vou dizendo que o recente play se distancia um pouco do que a banda vinha fazendo nos 2 últimos excelentes álbuns e parece ter entrado em uma verdadeira máquina do tempo, apesar de que "Into the Wild" já trazia muito do elementos setentistas que consagraram a banda, mas no "Outsider" o grupo parece revisitar vários momentos entre o final dos anos 70 e começo dos 80, e alguma coisa de 90, já começando pela timbragem dos instrumentos, onde temos a nítida impressão que MICK BOX tirou a poeira de seus antigos equipamentos usados nas gravações de "Look at Yourself" e deu uma turbinada no estúdio, e disso eu falo também dos teclados e bateria, além disso RUSSEL GILBROOK dá uma pisada nos freios e faz um trabalho mais contido e mais simples que nos anteriores, exceto em poucos momentos.

DAVEY RIMMER faz um feijão-com-arroz, com linhas bem simples mas eficientes e competentes, porém deixando saudade das intrincadas frases do formidável TREVOR BOLDER (R.I.P.). Quem estava acostumado vai estranhar no começo e terá aquela sensação de "falta alguma coisa...". Já Mr. BERNIE SHAW não decepciona e mais uma vez mostra que é um dos maiores frontmans da história do rock e da banda, com melodias bem cativantes e com muito feeling.

Destaques
"Speed Of Sound" abre com com força total, com teclados Hammond e baterias tribais comendo soltos. Possui um dos melhores refrões do álbum.

"One Minute", o primeiro single lançado, nos remete diretamente aos anos 70, com uma introdução ao piano, logo a música evolui para um rockão arrastado bem ao estilo URIAH HEEP. Você pode conferir o clipe abaixo.

"The Law" é fantástica, com um ótimo riff de guitarra e contrapontos de bateria e teclados, também nos leva ao final dos anos 70, com várias mudanças de andamentos e os tradicionais coros vocais. Aqui Davey tem seu melhor momento lembrando muito o que GARY THAIN (R.I.P.) fazia.

"The Outsider" é rápida, curta e fodástica! Temos RUSSEL pregando fogo na bateria. Que sonzeira
"Rock the Foundation" é aquele estilo rockão setentão, marca registrada do grupo, com ótimos riffs e vocais.

"Can't Take That Away" Segue nesta mesma linha, porém nos remetendo mais aos anos 90 de álbuns como "Sonic Origami". Ela é rápida e pesada, tem uma levada ao estilo de "Easy Livin" e "Everything in Life", um grande momento do álbum.

"Jessie" é soberba, com um refrão empolgante e cativante. Sem contar o riff de guitarra que só podia ter sido criado por MICK BOX, inconfundível.

"Say Goodbye" fecha o álbum de forma grandiosa, uma grande canção, com um refrão emocionante e um grande solo de teclado Hammond de PHIL LENZON, pra mim, um dos melhores tecladistas da história do rock.



Sim, TREVOR BOLDER claramente está fazendo falta no álbum, você sente nas composições que tem algo diferente, como se a corrente que mantinha a banda estabilizada no momento mágico dos últimos tempos se quebrasse desviando o curso e a transformando num pêndulo indo e voltando em sua história tentando se encontrar novamente. Porém está longe de ser um álbum mediano, é um bom disco, digno de respeito, os fãs da banda não ficarão desapontados. Eu Recomendo!


NOTA - 8,5
==========================
URIAH HEEP - "Outsider" (2014)
Tracklist
01 - Speed Of Sound
02 - One Minute
03 - The Law
04 - The Outsider
05 - Rock The Foundation
06 - Is Anybody Gonna Help Me
07 - Looking At You
08 - Can't Take That Away
09 - Jessie
10 - Kiss The Rainbow
11 - Say Goodbye

Line-up
Bernie Shaw - vocal
Mick Box - guitarra
Phil Lenzon - teclados/piano
Davey Rimmer - baixo
Russel Gilbrook - bateria




Comentários
0 Comentários