10 de novembro de 2014

[Resenha] GAMMA RAY - "Empire of the Undead" (2014)

[RESENHA] Por MARCO PAIM


Neste ano, quem deu as caras novamente foi o lendário GAMMA RAY. Foram 4 anos sem lançar um álbum (a banda lançou um EP em 2013) e algumas adversidades, dentre elas a mais grave, o incêndio no estúdio do grupo durante a turnê na America do Sul, que consumiu quase tudo, exceto, milagrosamente, os registros de gravações do presente trabalho. Ou seja, era pra ser lançado!
"Empire of the Undead" é pesado e direto, voltando aos tempos áureos do grupo, apesar disso, há tantas referências ao material antigo que em alguns momentos chega a se auto plagiar. Nem por isso deixa de ser um grande lançamento da banda, aliás, um dos melhores na última década, levando em conta o fraco "To the Metal" (2010).

O álbum abre com a épica "Avalon", sem dúvida a melhor do álbum, um som que nos remete aos tempos de "Land of the Free",  com riffs incríveis, mudanças de ritmos e andamentos além dos tradicionais corais, tudo soando com um peso extra. E de cara você já percebe que Kai Hansen está mais Halford que o próprio Halford. Sim, a influência é clara e notada de forma escancarada no decorrer de todo o álbum, não só na técnica mas na linha melódica.
"Hellbent" é um som rápido e em alguns momentos lembra JUDAS PRIEST, mas ela também te dá aquela sensação de já ter ouvido algo parecido em algum lugar do passado da banda, mesmo assim, é uma sonzeira!!
'Born to Fly" começa com um riffaço! Esse som tem um toque diferente, nem parece GR, isso até chegar no refrão, onde entra aquela melodia carimbada.
Mas é em "Empire of the Undead" que o "bixo pega", rápida e agressiva, tem ótimos riffs e melodias vocais, ela é quase um thrash metal.
"Demonseed" é minha favorita, arrastada e pesada, tem ótimas linhas melódicas e se diferencia das demais faixas do álbum, talvez seja a única "novidade" do trabalho.
"I Will Return" começa com algo parecido com "March of Time", mas depois a música se transforma totalmente e a velocidade vem com tudo. Mas o mais legal dessa músicas são os incríveis "duelos" de guitarras entre Kai e Henjo, um solo melhor que o outro, momento mágico do álbum.



"Empire of the Undead" não é uma obra prima, mas é um ótimo registro, o melhor desde "Majestic" (2005), com as músicas que citei acima funcionando isoladamente, uma audição "de-cabo-a-rabo" te obriga a pular músicas como "Master of Confusion" e "Seven" por exemplo, duas faixas que poderiam facilmente estar em um álbum do HELLOWEEN. Mas mesmo assim, vale a pena escutar. recomendo a audição.

=============================
GAMMA RAY - "Empire of the Undead" (2014)
Tracklist
01. Avalon
02. Hellbent
03. Pale Rider
04. Born To Fly
05. Master Of Confusion
06. Empire Of The Undead
07. Time For Deliverence
08. Demonseed
09. Seven
10. I Will Return
Bônus tracks
11. Built A World (Bonus Track)
12. Avalon (Live From Studio)
13. The Spirit (Live From Studio)
14. Empire Of The Undead (Live From Studio)

Line-up:
Kai Hansen - vocal e guitarra
Henjo Richter - guitarra
Dirk Schlächter - baixo
Michael Ehré - bateria



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário