17 de novembro de 2014

TORTURE SQUAD: Amilcar Christófaro - “Para mim o interior sempre teve uma cena muito forte com um público sedento para ver as bandas.”

[ENTREVISTA] Por GERALDO ANDRADE


Ele é considerado um dos melhores e mais técnicos bateristas do Brasil, já tocou com Angra e Sepultura. Está no comando das baquetas de uma das melhores bandas de metal da atualidade, o TORTURE SQUAD. O nome dele? AMILCAR CHRISTÓFARO! Conversei com essa fera, ele falou da expectativa de tocar em Caxias do Sul, das mudanças de formação na banda e muito mais. Vale conferir!

HEAVYNROLL - Em primeiro lugar, muito obrigado por atender o Heavynroll:

AMILCAR - Valeu vocês por se interessarem em falar com o TS.

HEAVYNROLL Foi confirmado um festival que vai entrar para a história, aqui no Rio Grande do Sul, em Caxias do Sul, o 1º Hell’s Gate Metal Fest, com o TORTURE SQUAD, KRISIUN, THE SCEPTIC e SCRAPER HEAD. Qual a expectativa de tocar na serra gaúcha?

AMILCAR - Com certeza as melhores possíveis. Tocamos pouco no Rio Grande do Sul em comparação ao resto do Brasil, por isso retornar ao sul sempre tem um gosto especial, ainda mais tocando com o KRISIUN, um dos filhos da terra. Também será um prazer dividir o palco com os guerreiros do SCRAPER HEAD, antigos amigos.

HEAVYNROLL Os headbangers gaúchos estão “enlouquecidos” na espera desse festival, vai movimentar pessoas de várias cidades gaúchas. Isso é um gás a mais, para subirem no palco e “quebrarem” tudo? 

AMILCAR - Com certeza... Na verdade isso não é "um" gás, e sim "O" gás!

HEAVYNROLL Vai ser a primeira vez que o TORTURE SQUAD vai tocar em Caxias do Sul, o que você conhece do rock/metal feito aqui na nossa cidade? No Rio Grande do Sul? 

AMILCAR - De Caxias do Sul eu não tenho certeza se conheço alguma banda. Pode até ser que eu conheça, mas sem saber que é de Caxias do Sul, agora bandas da cena do Rio Grande do Sul eu conheço sim, DISTRAUGHT, IN TORMENT, HIBRIA... As antigas BLESSED, REBAELLIUN e NEPHAST do grande Mauricio Weimar, por quem tenho uma grande admiração como músico. 

HEAVYNROLL O que podemos esperar do set list do show? 

AMILCAR - Devido ao show de São Paulo, no dia 20 de dezembro, que iremos gravar um DVD ao vivo, estamos tocando o maior set list da carreira da banda. Têm umas 16 músicas e estão bem mescladas entre o novo e os antigos álbuns. Fatalmente não iremos tocar esse set inteiro nesse show do sul, pois é um fest e o tempo é menor, mas mesmo assim iremos mesclar bem o set para tocar músicas de todas as fases da banda.

HEAVYNROLL Caxias do Sul é uma cidade do interior, qual a sua opinião sobre o interior estar ficando com uma cena muito forte. Bandas como NERVOSA, HIBRIA, KRISIUN e agora em Dezembro, TORTURE SQUAD, muitas vezes não tocam na capital, fazendo uma ponte direta para as cidades do interior?

AMILCAR - Sim. Aliás, isso acontece direto. Para mim o interior sempre teve uma cena muito forte com um público sedento para ver as bandas. Sempre tocamos bastante nas cidades do interior de várias capitais brasileiras.

HEAVYNROLL O TORTURE SQUAD teve várias mudanças de formação. Mas, agora com essa formação em trio, a banda vive o seu melhor momento. Você concorda com isso?

AMILCAR - Concordo sim, e isso não quer dizer que eu não respeite toda a carreira da banda. Eu tenho muito orgulho de toda a nossa trajetória, afinal de contas, tudo que fiz com a banda até hoje representa a minha vida, o que eu sou, mas hoje estamos nos sentindo muito bem em relação a tudo, para compor, ensaiar, tocar, enfim... Estamos nos sentindo muito bem.

HEAVYNROLL Com essa formação, em 2013, vocês lançaram o ótimo “Esquadrão de Tortura”, onde a temática do álbum fala dos tempos de ditadura militar no Brasil, com excelentes letras e uma banda em grande momento. Esse é o melhor álbum da banda? 

AMILCAR - Olha... Eu gosto muito desse álbum. Eu não diria que ele é o melhor, mas ele é muito especial pra gente pode ter certeza. Ele é o primeiro como trio, o primeiro a ter um nome em português, o primeiro com um tema lírico conceitual, e tudo isso em um momento onde a banda naturalmente tinha que mostrar que está mais firme e forte do que nunca, e conseguimos. Conseguimos porque o álbum soa forte e verdadeiro, ele demonstra de uma forma honesta que o núcleo da música do TS está e sempre estará lá, e tudo isso numa gravação que considero ser a melhor da gente até o momento.



HEAVYNROLL Digamos que esse álbum também é o mais polêmico da banda, Devido à temática? Já li comentários de que vocês são metal esquerdista, pró-comunismo. O que você acha dessas “coisas” que comentam na internet?

AMILCAR - Eu não vou dizer que não ligo porque se não estarei sendo hipócrita, até porque tem coisa que se torna um combustível muito grande para tocar, para fazer letras, mas nada do que leio muda meu estado de espírito em relação ao nosso trabalho. Sei separar quando o comentário é negativo, mas construtivo, ou se é um babaca que nem sabe o que está falando. Geralmente fico feliz quando falam coisas legais sobre a banda, mas isso também não me influencia em nada. O ego gosta, mas não me influência em nada. Quem acha que a gente é metal esquerdista pra mim está claro que a pessoa nem pegou o álbum e leu as letras para entender que a nossa ideia foi de simplesmente narrar a história, e se narrando a história à coisa fica feia para os militares, a culpa não é nossa e o problema é deles, foram eles que não souberam reger o país respeitando as pessoas e instalando uma repressão. Sou contra qualquer tipo de repressão seja ela por quem for. Tem que haver respeito.

HEAVYNROLL Hoje você é considerado um dos melhores e mais técnicos bateristas do Brasil. No inicio de tudo, você imaginaria chegar a esse nível?

AMILCAR - Cara, eu nem sei qual é esse nível que você se refere porque pra mim eu só toco bateria, e o que eu toco, é graças às bandas e aos bateristas que eu sempre gostei e tive influência. Eu fico lisonjeado quando comentam que eu sou um bom baterista, mas isso não me impede de forma alguma em continuar nas minhas buscas na batera, pois fora o meu gosto e minha cobrança pessoal, sei que isso só irá somar mais e mais na nossa música.


HEAVYNROLL Você já tocou com ANGRA e SEPULTURA, os maiores nomes do metal brasileiro. Como foi essa experiência?

AMILCAR - Foi uma honra extrema. Com o SEPULTURA foi em 2011. Tínhamos acabado de chegar à Alemanha para começar a nossa tour na Europa e o SEPULTURA já estava lá, e chegando ao aeroporto de Frankfurt, nosso manager na época recebe uma ligação do manager da banda, dizendo se era possível eu fazer alguns shows com eles porque o Jean Dolabella tinha tido um problema muscular no braço e ia ter que ficar sem tocar por alguns dias para conseguir se restabelecer. 
E deu tudo certo porque nós tínhamos uma semana off até começarmos de vez a nossa tour, e foi exatamente nessa semana que toquei com o SEPULTURA. Foram cinco shows entre Alemanha, Suíça, Áustria e França e teve um fest na Alemanha que toquei com as duas bandas, com o TS à tarde e o SEPULTURA como headliner. Com o Angra eu recebi o convite para participar do show de São Paulo, que eles gravariam um DVD ao vivo, celebrando vinte anos do lançamento primeiro álbum. Segundo eles eu fui chamado porque além deles curtirem meu trabalho, eu seria um representante do metal nacional no show e isso significou muito pra mim, fiquei muito honrado com o convite. 

HEAVYNROLL Você é endorse de quais marcas?

AMILCAR - Obrigado pela pergunta, pois pra mim significa muito poder falar das marcas que estão comigo e com a banda na estrada por anos. Eles merecem ser citados e divulgados... Orion Cymbals, baquetas C Ibanez, peles Evans, Drum Phone, triggers Staff Drum e monitoração Powerclick. A banda tem dos microfones Le Son, pedestais ASK e caixas de som Soundbox. As marcas que trabalham com o Castor e o André são Aristides instruments, Pedais Fire, Elixir strings. Também temos o apoio da Contragrife camiseteria, Lembas estúdio, Destroyer Instrumentos musicais, Alien Tattoo e Romanelli tattoo, assim como produtoras de vídeo parceiras, a Caixola Brasil, Kaiowas e Loud Factory.

HEAVYNROLL Você é namorado de Fernanda Lira (Nervosa). Conversando com ela, quando esteve aqui em Caxias do Sul, ela disse que esse ano estava complicado vocês ficarem juntos. Porque quando um estava de folga, o outro estava em tour. Como é o relacionamento de vocês? Os dois sendo músicos, um deve ajudar o outro constantemente.

AMILCAR - Em relação a tempo realmente é complicado, não nos vemos o tanto que queríamos, mas um entende o outro porque vivemos absolutamente a mesma vida e por causa disso, tentamos curtir ao máximo o tempo que estamos juntos. Conversamos, ajudando um ao outro com conselhos e dicas, mas sempre respeitando o momento certo de se fazer isso.

HEAVYNROLL 2014 está chegando ao seu final, o que podemos esperar do Torture Squad em 2015? Quais os planos da banda? 

AMILCAR - 2015 acredito que será um ano agitado. A ideia é continuar divulgando o "Esquadrão de Tortura", lançar o DVD ao vivo “Coup d´État Live” até junho, e até o fim do ano gravar o álbum novo também, pois já temos de oito a nove músicas prontas, faltando somente algumas letras.

HEAVYNROLL Um recado para os fãs e leitores do Heavynroll: 

AMILCAR - Foi um prazer responder essa entrevista. Obrigado pela oportunidade de divulgar um pouco mais do trabalho e longa vida ao Heavynroll!


===========================

Links
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário