23 de setembro de 2015

[Resenha] ROCK IN RIO 2015 – Eu fui!

(Redator / Headbanger)
----------------------------


Sempre tive o sonho de ir a um Rock In Rio, acompanhava pela tv e sempre pensei, um dia estarei lá. Em 2013, realizei um dos meus maiores sonhos, ir ao Rock In Rio e ainda, na cidade mais linda do mundo, o Rio de Janeiro e agora voltei em 2015.

Vejo muitas pessoas criticando o festival e, na época que acontece o evento, começam com as velhas e manjadas frases: “Rock In Rio, eu vou ficar em casa...”, e muitos criticam por não ser só de rock, mas, aquela velha história, o festival nunca foi só de rock ou heavy metal. Nós brasileiros, devíamos nos unir e termos o maior orgulho de um festival desse porte, ser em nosso país. Quer só metal? Vá ao Wacken, vá ao Monster Of Rock, só não fale que não tem rock no Rock In Rio!

Já em 2014 adquiri meu ingresso, nas primeiras vendas, e foi muito tranquilo, as passagens aéreas, também com bastante antecedência, agora era só esperar o tempo passar e mais uma vez ir a um dos maiores festivais de música do mundo, quem vai uma vez, vai sempre!

Com ingresso comprado para o dia 19 de setembro, o dia do “metal”, do “rock pesado”, começo minha viagem no dia 18, saindo de Caxias do Sul, as 22 horas e 45 minutos, foram 02 horas até Porto Alegre, com chuva e frio e sabendo que a madrugada seria longa, voo marcado para as 7 horas e 37 minutos do sábado (19).

Chego ao aeroporto 01 hora e 30 minutos, muita gente me chama de “louco” por fazer isso, mas, quem gosta e ama o rock, vai saber que isso não tem preço. Para esperar a hora passar, claro que rola um lanchinho (risos). Com a comida em dia, era só esperar passarem as horas, rolaram muitas fotos, conversas com algumas pessoas, via whats ou facebook, tudo que tornou a madrugada agradável.

São 7 horas da manhã, é hora do embarque, e continua a chuva (risos), no embarque encontro meu amigo Maicon Leite, conversamos durante alguns minutos sobre nossa expectativa sobre o festival. No embarque se via muitas camisas pretas, a maioria fãs do METALLICA, e eu, com a do MOTLEY CRUE,.Goleada para o METALLICA (risos).

Confesso que estava um pouco tenso, chuva, avião, turbulência, mas, tudo isso não atrapalhou em nada a viagem, que foi muito tranquila e muito rápida, levamos até a cidade maravilhosa 1 hora e 45 minutos, num voo muito tranquilo.

Saí do Sul, de touca e moletom, chego ao Rio de Janeiro com uma temperatura beirando aos 40 graus, imaginem o choque! Mas, Rio é isso, e estava perfeito para o festival. Peguei o táxi até a casa de amigos, e o que acham de um táxi que rola música dos BEE GEES, MICHAEL JACKSON, só clássicos dos anos 80, que maravilha!!

O Rio de Janeiro é lindo, não tem como não se apaixonar por essa cidade, pessoas te recebem muito bem, realmente é a Cidade Maravilhosa!

Chegando na casa dos meus amigos CHRIS, YAN e FÁBIO, sou muito bem recebido como sempre, e o melhor de tudo, a melhor lasanha do mundo e sorvete me esperando, assim o dia já estaria completo (risos). 

Saímos rumo a cidade do rock as 13 horas e o calor já estava infernal, 40 graus certo, imagina um gaúcho que saiu de Caxias do Sul com 16 graus? 

Aí começou uma aventura muito divertida e “sinistra”, ir de van até a cidade do rock, vocês não têm noção do que vivi (risos), o transporte das vans é algo inexplicável, elas disputam corrida e passageiros, o cobrador fica com corpo para fora da van para chamar passageiros, e o pior de tudo, para “ganhar” da outra van, até andam pela calçada, é muito sinistro, mas, chegamos cedo ao Rock In Rio e vivos (risos).

Depois de uma caminhada de 20 minutos, chegamos portões da cidade do rock, que já tinha uma fila enorme e muitas pessoas circulando pelo local e com um calor insuportável, na fila muita água e cerveja gelada, para tentar amenizar o calor. A entrada é tranquila e rápida, comparada a outros shows, com duas revistas para depois entregarmos os ingressos. Tudo na “santa Paz”, bem tranquilo mesmo.

Na chegada, já vimos pessoas de todas as idades e lugares, é algo inexplicável esse clima de festival, todos ali unidos pelo mesmo motivo, curtir um dos maiores festivais do mundo, o Rock In Rio.

O comércio é um pouco caro mas, nada fora do comum, os mais comprados são claro, são águas e cervejas para espantar o tal calor. As lembranças do festival são com preço um pouco “salgado”, chuveiro do festival R$ 20,00 e camisetas de R$ 40,00 a R$ 80,00, mas, se você vai num festival desses, tem que ir preparado.

As filas para bares, banheiros e brinquedos, são enormes, se você acha que vai ser rápida sua ida ao banheiro, esqueça e vá preparado para enfrentar alguns bons minutos (risos). Outra dica, não dependa só do seu celular para bater fotos, a bateria não vai durar muito, leve uma máquina (risos).

Dos shows vou falar em outros posts mas, já adianto que em minha opinião o melhor foi do KORN, que me surpreendeu. ANGRA + Dee Snider + Doro e MOTLEY CRUE, foram emocionantes, aqueles de derramar lágrimas. METALLICA? Um gigante do metal, não tem nem o que falar dos caras.

Infelizmente o que é bom acaba, já perto das 4 horas do domingo, chega ao final mais uma grande, emocionante, histórica e inesquecível noite de Rock In Rio. Agora era hora de achar um táxi, chegamos em casa perto das 05 da manhã, não via a hora de tomar um banho e me atirar numa cama. Porque logo teria que voltar para Porto Alegre.

Acordando as 11 da manhã, com muita preguiça, mas feliz por mais um “Rock In Rio”, quem já veio, sabe que, quem vai num, vai querer voltar sempre.

Me despeço da cidade maravilhosa, com a certeza de que o saldo foi mais que positivo e a certeza de que voltarei em 2017 e 2019, até aguentar! Levo na bagagem mais alguns shows para o currículo e novas amizades, isso tudo não tem preço que pague.

Chego em Porto Alegre as 17 horas e Caxias do Sul as 20 horas, cansado? Um pouco. Valeu a pena toda essa aventura? Valeu e muito!!

Que venha o próximo!





Comentários
0 Comentários