25 de dezembro de 2015

[Resenha] MAESTAH - "Maestah" (2015)

Por JOÃO PAULO PRETTI
(Redator / Músico)
-----------------------------------
Nota 8,0


Mais uma grande banda surge no Sul do país, mais precisamente no Paraná, que atende pelo nome MAESTAH. Formada por músicos já experientes na cena Heavy Metal e até Gospel, com Celso de Freyn (ex–Staurus), Lucas Santana, Eduardo Pieczarka, Diego Maciel e Alfredo Souza (respectivamente voz, guitarra, baixo, teclado e bateria), a banda mistura Heavy Metal, Power Metal e Prog Metal através do debut álbum.

O álbum homônimo começa com a explosiva ''The Pilgrim'' com riffs pesados e teclados dramáticos por praticamente toda a música. Além do refrão forte, destaque para a interpretação de Celso de Freyn que consegue ao mesmo tempo colocar agressividade e feeling, não só no decorrer da música, mas no álbum inteiro. 
''The Desert Soul'' já começa climática e obscura, descambando para um refrão arrastado e cheio de melodia, que depois desenvolve passagens quebradas, o que faz com que a música não soe cansativa. 
Para quem gosta de Heavy Metal Tradicional, ''Sands Of Time'' agradará em cheio, com andamentos em tercinas, passagens bem postadas de teclado e riffs ''gordos'', que depois culmina em passagens calmas e climáticas, até voltar ao peso normal do início. 
''Shelter'' é uma balada arrastada e pesada. O trabalho de Lucas Santana é um dos principais destaques do álbum, com colocações precisas, ora mais agressiva, ora com solos melódicos, como é possível ouvir na música em questão.



Outro destaque do play é ''City Of Destruction''. Riffs pesados e arrastados marcam presença, liderado pela voz agressiva de Celso de Freyn. Todos os integrantes esbanjam experiência em seus instrumentos, mas não tem como não destacar a estrutura das músicas guiadas pelos riffs de Lucas Santana e pela potência da voz de Celso de Freyn. Mais passagens melódicas aparecem depois dos 3:00 minutos de música, até descambar em peso de novo, com direito a dueto de guitarra e teclado. 
Mas o maior destaque ainda está por vir. Baseado em fatos reais vividos por Celso de Freyn que perdeu a filha ainda criança vítima de câncer, ''Little Shining Star'' possui o melhor refrão do álbum, e olha que de bons refrões o álbum está cheio! Feeling do começo ao fim, ''Little Shining Star'' tem tudo para literalmente emocionar os fãs nos shows. Além disso, a música recebeu uma versão em italiano, já que a filha dele nasceu na Itália e foi mais uma forma de homenagea-la.

O álbum como um todo é bastante linear, o que é bom. A produção ficou excelente, onde todos os instrumentos estão presentes de maneira clara. Resta torcer para a banda apresentar mais músicas de qualidade no decorrer da carreira, pois experiência para isso todos têm de sobra.

=========================
MAESTAH - "Maestah" (2015)
Tracklist
01. The Pilgrim
02. The Desert of Soul
03. Sands of Time
04. Shelter
05. Angels Cry for Me
06. City of Destruction
07. Gate of Damnation
08. Little Shining Star
09. Mia Piccola Stela
Line-up
Celso de Freyn - voz
Diego Maciel - teclado
Eduardo Pieczarka - baixo
Lucas Santana - guitrras
Alfredo Souza - Bateria



Link
https://www.facebook.com/BandaMaestah/timeline


Comentários
0 Comentários