10 de abril de 2016

[Resenha] MINDGARDEN - "Cellophane" (2015)


Estive ouvindo este trabalho nas últimas semanas, principalmente depois que recebi o CD diretamente das mãos de MARCELO MOOJEN (vocal, guitarra). Na verdade, já o estava escutando desde que a banda o disponibilizou para audição no site Soundcloud e já havia achado muito interessante. 
O MINDGARDEN é uma banda diferenciada, seu estilo corre sem preconceitos pelo rock progressivo, alternativo, psicodélico, stoner e até flerta com o extinto grunge e a MPB em alguns momentos. Vemos na voz suave e aveludada de MOOJEN uma influência clara de cantores da escola de DAVID GILMOUR (Pink Floyd), influência essa também sentida em sua guitarra e na de LUIS FERNANDO ALLES, um dos melhores por aqui. 

A produção do álbum foi feita como antigamente, realizada a maior parte em uma antiga residência rural em meio a natureza, que abriga os ensaios da banda desde seu surgimento. “A sugestão veio do produtor musical CARLOS BALBINOT, com o conceito de captar a banda ao vivo, na sua mais pura essência” relata o vocalista e guitarrista MARCELO MOOJEN. Para isso, a Noise Produtora de Áudio instalou 20 microfones pela velha casa de madeira e, em dois dias, o instrumental estava captado. E o resultado é exatamente esse, uma sensação de banda ao vivo em sua sala, porém com tudo muito bem mixado e nivelado, uma produção impecável!

Destaques:
"The Silence of the Sun" - Começa com uma batida quebrada e suave, com um riff modesto fazendo a cama para que MOOJEN faça as honras. Depois a música cresce e alterna entre a suavidade e a agressividade moderada. O solo de guitarra é viajante e possui duas linhas bem interessantes executadas com slide. Uma música viajante.
"Solstice" - Puxando para o alternativo, um pouco mais moderna, essa canção já chama a atenção de cara pelo bom gosto na harmonia com ótimas sequências de acordes, sempre acompanhado de uma bateria de muito bom gosto de MATEUS MUSSATTO, que sabe acrescentar de forma precisa e segura a alternância de dinâmicas nos momentos certos. Destaque também para as linhas de baixo de MAIRO RAMOS, preenchendo e dando um toque charmoso nas harmonias.
"Empty Days" - Uma das minhas favoritas, é sombria e melancólica, adoro isso! no começo da música temos MOOJEN em uníssono com as guitarras em um momento suave, quase falando ao seu ouvido, para o peso entrar com tudo no refrão, sem perder nunca o clima enigmático e viajante. Ouça abaixo.
"Brand New Seven" - Essa é A música do álbum, sem dúvida, para mim, a melhor do disco. Chegando mais perto do classic rock dos anos 70, ela lembra as canções do primeiro EP "Mindgarden" de 2012. (Talvez ele nem conheça, mas o Moojen me lembrou Mikael Akerfeldt (Opeth), nesta canção). Com seus 9:05mins de duração, ela é a mais longa do play e contém muitas mudanças de riffs e levadas, uma melhor que a outra. Esta música está na coletânea "Cool Rock 2015" de Caxias do Sul, BAIXE.



A sonoridade de "Cellophane" (2015) está um pouco diferente de "Mindgarden" (2012), as composições, naturalmente, estão mais apuradas e modernas. O MINDGARDEN traz um sonoridade peculiar e diferenciada em um cenário nacional genérico. Extremamente recomedado.

NOTA - 9,0
======================
MINDGARDEN - "Cellophane" (2015)
tracklist
01. The Silence of the Sun
02. Cellophane
03. Open
04. Solstice
05. Empty Days
06. Brand New Seven
07. Psycho
08. Bossa Velha
09. Life in Vain
10. Exile

Line-up
Marcelo Moojen - voz, guitarra
Luis F. Alles - guitarra, vocal
Mairo Ramos - baixo
Mateus Mussatto - bateria, vocal

Participações
Marcelo Poleze - percussão (01, 08)
Fran Zilmer - vocal (02 , 04)


Sites Relacionados
WEBSITE
FACEBOOK
YOUTUBE

==========================
(Editor / Redator / Músico)





Comentários
0 Comentários