26 de junho de 2016

[Resenha] DIVISION HELL - "Bleeding Hate" (2015)

Capa por Mex Guillen (Inbloodesing)
Vinda de Curitiba/PR, o DIVISION HELL lançou seu segundo trabalho em 2015, o álbum "Bleeding Hate", sucessor direto do EP "Apokaliptika" (2011) e traz um death metal pesado e cheio de técnica e groove. A produção do CD ficou a cargo do vocalista/guitarrista UBOUR e MURILO DA RÓS, este último também responsável pela masterização e já digo de arrancada que o trabalho ficou espetacular!

Timbres perfeitos, uma bateria pesada, onde tu ouve nota por nota dos tons, sonoridade pra fora e tudo soando muito nivelado e nítido, tudo isso somado a uma banda inspirada e precisa pois, como sempre digo, não adianta uma produção de primeiro mundo se a banda toca mal ou tem músicas ruins, e no caso do DIVISION HELL, isso é totalmente ao contrário, os caras já são mestres no que fazem.

Destaques:
O álbum conta com 9 faixas, uma mais pedreira que a outra, todas com seus momentos particulares, riffs marcantes e identidades próprias, mas sem esquecer as levadas e temas características do estilo em momentos de velocidade, blast beats e muita brutalidade, como na faixa de abertura, "Army of the Dead", que já começa com um arregaço total para depois manter uma levada digna de moshpit. O legal desta música são as variações de levadas e riffs, com um trabalho incrível de UBOUR e RENATO RIECHE nas guitarras e que se repete ao longo de todo o álbum. 

E se RIECHE já se destaca por sua criatividade em solos memoráveis, o que dizer do baterista EDUARDO OLIVER? Estou na segunda faixa, "The Fable of Salvation", um som mais técnico e grooveado, puxando para algo mais moderno e já estou impressionado com o que esse cara tem feito a cada segundo que se desenvolve. 

A faixa título, "Bleeding Hate", é aquele som para rodar a cabeleira (quem tem). Uma faixa mais "calma" digamos, com levadas mais cadenciadas, mas com seus momentos sombrios e brutais. Aqui HERNAN BORGES mostra seu monstruoso e distorcido baixo com mais clareza, executando frases bem interessantes para a harmonia da música. 5 estrelas para esse som, principalmente para o clima "final dos tempos" no fim dela. Merecidamente ganhou um videoclipe, confira:



E na mesma linha, temos "Holy Lies", outra grande faixa do álbum. O que são esse climas e riffs no começo da música? Sensacional! UBOUR está com um vocal um pouco mais versátil nesta faixa, variando um pouco entre o gutural extremo com a adição de alguns intervalos mais agudos e também vozes graves faladas. A "quebradeira" e o clima deste som é muto interessante. E mais uma vez as guitarras são um show a parte nesta faixa, com harmonizações incríveis.

"Waiting for the Exact Time' por pouco não foge ao estilo e se transforma em um progmetal, se não fosse pelos blast beats e vocais estaria exatamente fadada a este destino. Uma quebradeira só, não só nas levadas mas também nas frases e harmonias diminutas. Ela por si já vale o CD, mas então, quando você percebe, ela é continuada pela faixa final. "Crossing the Line" começa sem pausa e dá continuidade a linha de raciocínio da faixa anterior. Destaque para o melhor momento de guitarras neste álbum, com uma das melhores combinações de solo e base que já ouvi. Que solo inspirado e que timbre fodástico!! Lembrou muito o que os mestres SHERMANN e DENNER faziam em seus momentos áureos de MERCIFUL FATE.

Incrível não ter visto "Bleeding Hate" mencionado massivamente como um dos melhore álbuns lançados em 2015 dentro do estilo. Obviamente, a "concorrência" e a quantidade de bandas de qualidade é grande, o que torna quase impossível ter conhecimento de tudo, agora, o que o DIVISION HELL fez neste álbum é histórico e digno de respeito. Ouça sem medo e prepare-se para ficar impressionado!

NOTA - 9,5
===============================
HELL DIVISION - "Bleeding hate" (2015)
tracklist
01. Army of the Dead
02. The Fable of Salvation
03. Qorld Khaos
04. Bleeding Hate
05. The Last Words
06. Holy Lies
07. Break
08. Waiting for the Exact Time
09. Crossing the Line

Line-up
Ubour - vocal/guitarra base
Renato Rieche - guitarra solo
Hernan Borges - baixo
Eduardo Oliver - bateria

Cortesia: Black Legions Productions

Links Relacionados
FACEBOOK

Foto: Pri Oliveira

==========================
(Editor / Redator / Músico)