26 de outubro de 2016

[Resenha] ATTRACTHA - “No Fear to Face what’s Buried Inside You” (2016)


A primeira pergunta que eu faço é: É a mesma banda que gravou o EP "Engraved"???

O ATTRACTHA acaba de lançar o “No Fear to Face what’s Buried Inside You”, seu primeiro full lenght e a diferença de um trabalho a outro é facilmente perceptível. Pra começar, temos o vocal de CLEBER KRICHINAK, com muito mais drive e graves que o seu antecessor (Marcos De Canha). Além disso, aqui a banda deixa um pouco de lado o metal tradicional e as influências classic rock do primeiro EP e adiciona muitas e muitas toneladas de peso. 

A pergunta perece de tom depreciativo mas não, muito pelo contrário, ambos os trabalhos são excelentes, porém, realmente não perece a mesma banda, a evolução instrumental é evidente. Se no EP de estreia RICARDO OLIVEIRA já deu um show a parte com seu bom gosto para riffs e solos, neste debut chega a ser uma grosseria o que esse cara faz. Sua guitarra está pesada, notas baixas, ótimas harmonizações e o principal, a fuga do previsível.

O álbum foi gravado no Loud Factory e produzido por ninguém menos que EDU FALASCHI (Almah), com o auxílio dos engenheiros de som TIAGO ASSOLINI  e WAGNER MEIRINHO. Já a master foi realizada por DAMIEN RAINAUD em Los Angeles/EUA.  A belíssima capa, foi criada por JOÃO DUARTE.

Destaques
"Bleeding in Silence" abre o álbum arregaçando tudo deuma vez só!! Ela lembra muito álbuns atuais do SYMPHONY X, com muito peso e muito drive nos vocais, porém sem ser gutural. E foi aqui que fiz pela primeira vez aquela pergunta no começo desta resenha.

"Unmasked File (Revisited)" tem um refrão muito foda, atmosférico. Sem contar o climão do baixo de GUILHERME MOMESSO e a poderosa batera de HUMBERTO ZAMBRIN lá pelos 2min de música, fazendo a introdução para o ótimo solo de RICARDO.

A mais pesada do álbum, eu creio que seja "231". O vocal de CLEBER está especialmente perfeito neste som, variando entre os agudos agressivos e graves com drives. Um som com muito peso e groove, tudo na medida certa.

'Victorious" é uma sonzeira. começa com ótimas harmonizações de guitarras. É um som arrastado, mas cadenciado, com algumas variações de lavadas, o refrão é muito legal, com um clima entre o épico e o pop.

E pra fechar o álbum, temos a excelente "Payback Time", a mais "progressiva" e rápida do álbum. Ela ganhou um ótimo videoclipe, então deixo aqui pra vocês conferirem e tirarem suas conclusões e também para ter uma ideia do que escrevi até aqui:



Respondendo a pergunta: Sim, é a mesma banda! O que acontece é que, quando uma banda sofre mudanças em sua formação, a sonoridade tende a mudar também, ainda mais quando esta mudança está justamente no frontman. Substituir um vocalista como MARCOS não é fácil e a banda deu um tiro mais que certeiro com CLEBER - um verdadeiro bullseye - um cara com um vocal fora dos padrões e clichês, com um ótimo timbre, drive perfeito e uma interpretação impecável.

“No Fear to Face what’s Buried Inside You” é, sem dúvida, um dos melhores - senão o melhor - lançamentos no metal brasileiro em 2016 e talvez até da última década. Vale mais do que a pena ouvir este petardo! Recomendadíssimo!

NOTA - 10
=======================
ATTRACTHA - “No Fear to Face what’s Buried Inside You” (2016)
tracklist
01. Bleeding in Silence
02. Unmasked File (Revisited)
03. 231
04. Move On
05. Mistakes And Scars
06. No More Lies
07. Holy Journey
08. Victorious
09. Payback Time

Cleber Krichinak - vocal
Ricardo Oliveira - guitarra, voz
Guilherme Momesso - baio
Humberto Zambrin - bateria, vocal

Sites Relacionados
FACEBOOK
Assessoria/Cortesia
DUNNA Records/Shinigami



========================== 
(Editor / Redator / Músico)


Comentários
0 Comentários