4 de abril de 2018

[Crítica] ANGRA - MICHAEL SCHENKER FEST - MAGNUM - AYREON

Mais 4 lançamentos de 2018 sob análise crítica. Confira!




Já que é uma banda brasileira, por que não uma resenha "solo" sobre o álbum? 
Bem... Porque 95% do público brasileiro já ouviu o álbum, então trago apenas a minha visão crítica sobre ele e também, porque o ANGRA não é uma banda brasileira "comum", convenhamos. Concorda? Não concorda? Comenta aí. 
Além deles, trago também, por ordem de lançamento, o novo do guitarrista Michael Schanker, MAGNUM e o inusitado ao vivo do AYREON. Confere aí:



MAGNUM - Lost on the Road to Eternity
19 de Janeiro

A lendária banda inglesa lança seu 20º álbum de estúdio. Neste álbum, a banda aposta em dois direcionamento, o Classic Rock pitadas Heavy, como no excelente "Escape From the Shadows Garden" (2014) e o mediano "Secret Blood "Divine" Lies" (2016) e também revisita o Hard Rock praticado pelo grupo nos anos 80 empelo menos 4 faixas. Isso me incomodou!

É fato que o MAGNUM teve sua ascenção musical nesta época, com baladas e músicas "bunitinhas", mas não cabe mais hoje em dia, a não ser para os fãs ardosos. Aí vai de ouvido para ouvido. Para o meu, o álbum começa muito bem com a dançante "Peaches and Cream", seguido pela pesada e cadenciada "Show Me Your Hands" e a arrastada "Show Me Baby". Porém, logo em seguida, a coisa tropeça... levantando, meio atordoado, apenas no fim do álbum... 

NOTA - 6,5



ANGRA - Ømni
14 de Fevereiro

Eis que o ANGRA lança seu segundo álbum com o grande Fabio Lione e novamente surpreende a todos! O 9º álbum de estúdio da banda traz uma sonoridade ainda mais focada no Progressivo com nuances do velho Power Metal praticado pelo grupo. O álbum tem recebido diversas críticas positivas mundo afora, com total razão. pois "Ømni" dá continuidade a melhor faze do ANGRA desde "Rebirth" (2001), levando em conta que 'Secret Garden" (2014) também um álbum digno de aplausos unânimes.

Dentre as faixas que mais curti, temos a mística "Travelers of Time", a  primeira faixa a ser divulgada, se não me engano. A Progressiva "Insania", que talvez seja a minha favorita dentre todas, que recentemente ganhou um videoclipe. E vale destacar a insana "War Horns", com a participação de Kiko Loureiro.

Curiosamente, a faixa mais ovacionada e falada do álbum, "Black Widow´s Web", que conta com os vocais de Sandy e Alissa White-Gluz (Arch Enemy) é, pra mim, a mais fraca e fora de contexto do trabalho. Ela não é ruim, é obviamente bem arranjada, porém, na maioria das vezes, pulo a faixa. Além desta, tem a faixa orquestrada "Infinite Nothing", que quebra muito o clima do álbum na finaleira. Por esses motivos, perdeu alguns pontinhos, mas é o melhor álbum brasileiro até agora.

NOTA - 9,0

MICHAEL SCHENKER FEST - Resurrection
19 de Março

Outra lenda do rock, o guitarrista Michael Schenker (ex-Scorpions, ex-UFO), também lançou seu novo trabalho em 2018. Trata-se do álbum "Resurrection" do projeto MICHAEL SCHENKER FEST, onde ele reúne diversos vocalistas e participações. Pra ter uma ideia, quem canta neste álbum são grandes nomes da linhagem "pérola rara" do Rock e Metal, quero dizer, nomes como Doogie White (MS Tample of Rock, ex-Rainbow, ex-Comerstone), Gary BordenGraham Bonnet (ex-Alcatrazz, ex-Rainbow) e Robin McAuley (MS Tample of Rock), estão por aqui. 

Além destes, tem a participação especial de Kirk Hammet (Metallica) que aparece já na primeira e pesada faixa "Heart and Soul". Logo em seguida vem a arrastada "Warrior" e temos todos os cantores dividindo os vocais de forma magistral.

Mas Doogie White aparece mesmo nas agitadas e empolgantes "Take Me To the Church", "The Girl Whit The Stars In Her Eyes" e "Anchors Away", em performances solos incríveis, as melhores do álbum sem dúvida! Muito bom ouvir a voz desse cara e saber que ainda queima uma lenha legal! 

Outra bem bacana é "Everest", na voz de Graham Bonnet que, apesar de ter sofrido severamente a ação do tempo, fez um bom trabalho neste álbum. 

Um álbum perdido nas sombras de lançamentos de maior visibilidade, mas que vale muito a pena ouvir, facilmente encontrado no Spotify. Não vai se arrepender.

NOTA - 8,5


AYREON - Ayreon Universe (Live)
30 de Março

Agora sim, a cereja do bolo de hoje. É fato que sou um grande fã deste gênio da música pesada, o incrível multi-instrumentista Arjen "Intergalatic Wisdow' Anthony Lucassen. E não é que, depois da Obra Prima "The Source" (2017), temos agora um álbum ao vivo, com uma copilação de algumas das grandes obras deste grande meste.

O lançamento do álbum duplo, também vem com o DVD deste grandioso show que funciona meio que como uma celebração a obra de Lucassen, reunindo muitos nomes que já participaram da discografia de AYREON.

Nas vozes, temos a presença de muitas figuras que fizeram parte desta história, dentre as mais famosas, Floor Jansen (Nightwish, ex-Star One), Marco Heitala (Nightwish), Hansi Kürsch (Blind Guardian), Damian Wilson (ex-Threeshold, ex-Star One), Anneke van Giersbergen (ex-The Gathering) e Tommy Karevik (Kamelot).

O melhor de tudo, é que a produção do álbum, esmo sendo ao vivo, está grandiosa, como em tudo que Arjen faz e torna a audição incrivelmente prazerosa. Quem quiser conferir, já está no Spotify, pode ter certeza que vai valer cada minuto do seu tempo. tô só pelo DVD agora!!

NOTA - 10







-------------------
Por MARCO PAIM




Comentários
0 Comentários