20 de setembro de 2018

[Crítica] ROSS THE BOSS - ANTHRAX - ALICE IN CHAINS - U.D.O

Mais 4 lançamento internacionais pra vocês conferirem. 



Se você quer ouvir uma playlist com as melhores músicas de cada álbum lançado em 2018, tanto internacional, quanto nacional, segundo a minha perspectiva, acesse o link abaixo:




ROSS THE BOSS - By Blood Sword
20.04.18

Pra quem não sabe, Ross the Boss é o guitarrista original do MANOWAR, o cara que criou os maiores Hits e clássicos da banda americana. 

Pois bem, a proposta desse álbum é exatamente essa: Resgatar o bom e velho "Manowar Style". Sim... tudo aqui soa como MANOWAR. Até o vocalista Marc Lopes tenta soar como Eric Adams, com seus agudos absurdamente altos e exagerados em alguns momentos. Há, inclusive, regravações da antiga banda aqui; "The Oath", "Each Down I Die" e "Hail and Kill", que não ficaram tão boas quanto as originais, porém, interessantes.

O álbum é bom, mas dá uma enjoada se ouvido seguidamente.

NOTA - 6,5


ANTHRAX - Kings Among Scotland
27.04.18

“Kings Among Scotland” tem duas partes, sendo a primeira escolhida pelos fãs e a outra com “Among The Living” na íntegra. Ele faz parte da turnê de comemoração de 30 de "ATL" (1987), realizado em 2017. 

Na primeira parte, traz músicas de várias épocas, como também dos 2 álbuns recentes. As performances, obviamente, estão fantásticas. Um belo registro ao vivo de uma das maiores bandas de Thrash/Heavy Metal de todos os tempos.

NOTA - 8,5 



ALICE IN CHAINS - Rainier Fog
24.08.18

Depois de uma "hiato" de lançamentos de 5 anos, o ALICE IN CHAINS finalmente lança mais um trabalho inédito. Se nos anteriores o excelente Willian DuVall sofria certa resistência dos viúvos de Layne, passados quase 10 anos e muitos shows em festivais grandes e importantes (até mesmo no Rock in Rio), agora a banda se vê consolidada e aceita novamente. Pronta para seguir em frente!

É o que acontece com "Rainier Fog". Temos uma banda fodástica, com a forma dos velhor tempos. É um álbum pesado, sombrio e quase melancólico. Marca "registrada" da banda, você também encontra aqui os grandes Riffs criativos de Jerry Cantrell e sua voz em perfeita harmonia com DuVall, como nos velhos tempos.

NOTA - 9,0


U.D.O - Steelfactory
31.08.18

Eu estou realmente com a opinião dividida com este álbum! Explico:

Ele é muito bom, traz o véio rabugento e sua voz única em uma performance de dar inveja, com uma pegada que nos remete aos tempos áureos do ACCEPT. Esse álbum lembra muito a vibe de álbuns como "Balls to the Wall" e "Metal Heart" - alguns riffs lembram até demais! - Quase como se você visualizasse como seria se Udo Darkshineider estivesse ainda na banda.

E é aí que mora o problema (ou não). Tudo soa muito ACCEPT e menos U.D.O, se é que me entendem. Acho que só entende quem conhece a discografia do vocalista.

Outro problema é a quantidade de músicas. Porra, são 16 faixas!! E não sei vocês, mas cansa ouvir um álbum de 16 músicas de uma mesma banda e com a mesma pegada. Você começa o trabalho empolgadíssimo, mas quando chega pela 10ª já dá vontade de trocar. Então, para não perder nada, tenho ouvido a metade por vez. O ideal é até 12 faixas... na minha opinião. Poderia ter sido facilmente dividido em 2 lançamentos... 

NOTA - 7,5




Nenhum comentário:

Postar um comentário