3 de novembro de 2018

[Crítica] BRAINSTORM - NAZARETH - ACE FREHLEY - NORTHWARD

Confira agora mais 4 lançamentos de 2018 e o que achei destes trabalhos!






BRAINSTORM - Midnight Ghost
(26/09/18)

Cara. Eu tava muito ansioso pelo lançamento deste álbum que, como todos os outros anteriores que venho acompanhando, teve uma grande divulgação de marketing por parte da banda. Eles são bons nisso. Porém, de cara já digo que o resultado não foi exatamente o que eu esperava. 

A banda vem de uma sequência de ótimos lançamentos, vide "Firesoul" (2014) e "Scary Creatures" (2016), mas "Midnight Ghost" parece decair, como aconteceu em "On the Spur of the Moment" (2011), que também quebra a sequência da melhor faee da banda (2001-2009). 

O álbum não é ruim, mas não é ótimo. Ele é repetitivo, meio que auto-plagia a própria banda, literalmente, já que até algumas linhas vocais e levadas são as mesmas de músicas antigas. Mesmo assim, ainda dá pra destacar grandes faixas por aqui, como "Revealing in the Darkness" e a épica "Jeanne Boulet (1764)"

NOTA - 6,5
====================


NAZARETH - Tattooed On My Brain
(12/10/18)

Os dinossauros do Hard/Rock lançaram mais um álbum, acredita? 

"Tattooed On My Brain" é o primeiro álbum sem o icônico e emblemático vocalista Don McCafferty, que foi substituído depois de apresentar problemas de saúde e decidir deixar a banda. Quem assume o posto é o ótimo, talentoso e dono de uma poderosa voz, Carl Sentance. E o cara manda muito!! A voz desse cara tem um grande alcance e potência, fora que não decepciona ao vivo (sim, eu pesquisei). 

Falando do álbum, ele é muito bom, porém, tem altos e baixos. É até estranho, pois abre com uma sonzeira, depois segue umas 5 faixas bem fracas e aí tu pensa: "Xiii, já era...". Mas daí chega a 7ª faixa e tu diz: "Opa, péra... aí sim!!", e o que temos a seguir é só sonzeira até o fim do álbum, que conta com 13 faixas. E, ao final da audição, você tem aquela sensação boa, de que os grandes ainda estão por aí lançando grandes trabalhos.

Os destaques ficam por conta de "The Secret is Out", "Don´t Throw Your Love Away" e a minha favorita, não só do álbum, mas também uma das melhores de 2018, "Crazy Molly". Que música!! 

NOTA - 7,0
==================


ACE FREHLEY - Spaceman
(19/10/18)

Olha quem deu as caras neste ano! Ace Frehley!!

Quando foi noticiado que o guitarrista iria lançar mais um álbum eu não me empolguei muito, visto que ainda sentia o gosto amargo do último álbum, "Space Invader" (2014) que, pra mim, foi um fiasco. Mas daí, como sou curioso e sempre dou uma chance, ao menos uma ouvida, fui conferir. E, para alívio dos meus ouvidos, o álbum não era ruim! Longe disso, ele muito bom!

"Spaceman" não um grande momento na carreira de Ace, mas traz aquele rocão pesado que ele sabe fazer, mas desta vez, com muita propriedade!

Destaque para o groove da faixa que abre o álbum, "Without You I´m Nothing", "Rockin´With the Boys", "Your Wish Is My Command" (essa última mostra toda a influência que a banda Rolling Stones exerce na sua carreira). Aliás, se você está procurando o Ace Frehley do KISS por aqui, não irá encontrar, talvez uma leve sombra... 

Muito bom o trabalho!!

NOTA - 8,5
====================


NORTHWARD - Northward
(19/10/18)

E agora, o melhor álbum da lista! "Northward"!!

Pra quem não conhece, NORTHWARD é um projeto paralelo de Floor Jansen (Nightwish) com o guitarrista Jorn Viggo Lofstad (Pagans Mind, Jorn) que conta com pouco mais de um ano de existência. A proposta da banda é vendida como um Hard Rock mas, ouvindo o trabalho, acho que vai muito além disso, já que passeia pelo Power Metal e flerta com Prog Metal (só flerta, porque a cozinha é bem simplória).

O fato é o seguinte: Tendo Floor Jansen nos vocais, tem como ficar ruim? Não né! Então, obviamente, o que temos aqui é um dos melhores lançamentos, não só de 2018, mas desta década.

Além da voz de Floor, que dispensa maiores comentários, temos ainda o criativo guitarrista Jorn V. Lofstad desfilando bom gosto em seus riffs, harmonias e solos, além de uma produção de cair o queixo, capitaneada por ninguém menos que Jacob Hansen (Volbet).

Dentre os destaques, temos o primeiro single lançado e que abre o álbum, "While Love Died", música que causou um grande impacto quando foi disponibilizada. Também tem a pesada "Get What You Give", "Drifting Islands" (que conta com a participação de sua irmã, Irene Jansen) e a dançante e empolgante "Big Boy".

Se não ouviu, não perca tempo!!

NOTA - 9,5
====================


Lembrando que, se você quiser ouvir as melhores músicas dos lançamentos de 2018, tanto nacional quanto nacional em uma playlist, eu tenho uma no meu perfil do Spotify, bota lá e deixa rolar. É só acessar:






Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário