15 de março de 2019

[CRÍTICA] THE THREE TREMORS - The Three Tremors - 2019

Fiz uma resenha especial para este álbum por ser um pouco mais delicado de se lidar.




Pra quem não sabe, o projeto "The Three Tremors" foi idealizado na década passada e tinha como protagonistas os vocalistas Rob Halford, que havia lançado o álbum "Ressurrection", Bruce Dickinson, que recém voltava ao Iron Maiden e lançava o agora clássico "Brave New World" e Geoff Tate, que estava em turnê com o Queensrÿche e haviam lançado o álbum "Live Evolution", ou seja, 3 influentes cantores do estilo na época. Tem até vídeo onde eles aparecem cantando "The One You Love to Hate" (Halford) Mas, como o projeto ficou só no "talvez", recentemente Tim "Ripper" Owens resolveu utilizar o nome e convidar outros 2 cantores para dar vida ao projeto.... 

Até aí tudo bem. O problema reside nas escolhas. O atual Three Tremors é formado por Tim "Ripper" Owens (ex-Judas Priest, ex-Iced Earth, ex-Beyond Fear),  Sean "The Hell Destroyer" Peck (Denner/Shermann, Cage) e Harry "The Tyrant" Conklin (Hag Panzer). Tim Owens é indiscutivelmente uma das maiores vozes do Metal e fez parte de uma instituição do estilo pelo Mundo, o Judas Priest, além do Iced Earth e muitos outros projetos de respeito. Mas, daí tu te se pergunta: e os outros? 

Sean Peck é um grande vocalista do underground americano, com uma bela discografia com a banda Cage e revelado através do ótimo álbum de Michael Denner e Hank Shermann (Mercyful Fate) "Masters of Evil" (2016) e que, até então, ninguém conhecia muito. Já Harry Conklin, também americano, tem uma vasta discografia com as bandas Jag Panzer, Satan´s Host e Titan Force, bandas com pouca projeção fora do território americano. Ou seja, muito aquém da ideia de reunir 2 "deuses" da voz, já que o único que realmente tem alguma estrelinha na testa aqui é o Tim. Podia ter colocado outro nome, achei um pouco de pretensão com pitadas de oportunismo... 

Mas, enfim, vamos falar do trabalho em si. 

Pra começar, o álbum é um pouco angustiante de se escutar por inteiro, pois é um "gritedo" sem fim! A impressão que passa é que um quer gritar ou atingir a nota mais alta que o outro... O problema é que isso soa feio em muitos momentos, chega até a soar desafinado quando os 3 cantam juntos em algumas passagens. Fora que as composições são estranhas, com muitos riffs sem muito sentido e a timbragem, principalmente da bateria, deixa muito a desejar, acho até que é eletrônica...

Mas nem tudo é ruim, ainda deu pra salvar algumas faixas na playlist de 2019 e, as salvas, são ótimas. É o caso da pregação de fogo em "Bullets for the Damned",  "Wrath of Asgard", que é uma sonzeira, cadenciada, com um ótimo riff e levada envolvente, "Sonic Suicide" que é mais arrastada e bem legal (apesar da bateria me parecer fora do tempo em alguns momentos) e a melhor, que dá nome ao projeto "The Three Tremors", uma ótima faixa. As demais, estão no mesmo nível.

É difícil criticar o trabalho de um artista que se gosta tanto, mas infelizmente, tenho que ser realista... Se você concorda ou discorda, comenta aí.

NOTA - 5/10 
========================
THE THREE TREMORS - The Three Tremors

01. Invaders From The Sky
02. Bullets For The Damned
03. When The Last Scream Fades
04. Wrath Of Asgard
05. The Cause
06. King Of The Monsters
07. The Pit Shows No Mercy
08. Sonic Suicide
09. Fly Or Die
10. Lust Of The Blade
11. Speed To Burn
12. The Three Tremors (bonus track)






Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário