19 de março de 2019

[Resenha] SAXON - Bar Opinião – Porto Alegre/RS (13/03/19)

O sonho de muito headbanger brasileiro, começou a ser realizado, quando o SAXON anunciou a sua tour sul-americana, que passaria por Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.





E a capital gaúcha recebeu a banda no dia 13 de março, numa das casas mais tradicionais do Rio Grande do Sul, o Bar Opinião.

Nossa viagem começa em Caxias do Sul, que fica a 120 km de Porto Alegre, começa às 15h, foram 02 horas muito tranquilas e divertida até a capital gaúcha, e claro, na maior expectativa, para um show que prometia ser histórico.

Chegamos no Bar Opinião, passado das 18h, e uma fila muito pequena estava na frente do bar, na hora fiquei um pouco decepcionado, onde estavam os velhos headbangers?



As portas da casa se abrem as 19 horas, o show estava marcado para as 21 horas, o público começa a entrar na maior tranquilidade, quem chegou cedo, conseguiu um ótimo lugar, praticamente grudado no palco, se bem que no Opinião, qualquer lugar que você ficar, você vai ter uma ótima visão do palco e bem próxima.

E já perto das 21 horas, o público que era pequeno no início, se transformou num grande público, com a casa praticamente lotada, era bonito de ver fãs das antigas, emocionados e quase chorando, esperando por aquele momento que aguardavam a anos, e a gurizada na expectativa de verem ao vivo um dos maiores “dinossauros” do rock, ao vivo.



O SAXON é um dos nomes mais cultuados do movimento NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal), e nessa tour que passa pelo Brasil, prometiam um setlist “matador”, com clássicos de toda carreira, e também com as principais composições do novo álbum "Thunderbolt", para se ter uma ideia, seriam 23 músicas, em praticamente 02 horas de show.

Pontualmente 21h, com a introdução de “It's a Long Way to the Top (If You Wanna Rock 'n' Roll) ” do AC/DC, e “Olympus Rising”, apagam-se as luzes, para delírio de todos ali presentes, gritos de “SAXON, SAXON, SAXON”, davam inicio a um show que prometia ser emocionante.



O SAXON está entre nós e de cara já vem com a nova e poderosa “Thunderbolt”, que quase coloca o Opinião no chão, que baita entrada, e na sequencia já temos a poderosa “Sacrifice”.

Quer clássico? Então a banda vem com “Wheels of Steel”, “Strong Arm of the Law” e “Denim and Leather”, a essa altura o público estava completamente enlouquecido e cantando todas as músicas, era emocionante acompanhar tudo isso e ver a felicidade de um dos maiores vocalistas de todos os tempos: BIFF BYFORD.

BIFF tem o público em suas mãos, interage o tempo todo, conversa, dá autógrafos e com seus quase 70 anos, mostra que ele e a banda, vivem uma grande fase.

Battering Ram”, “Rainbow Theme” e “Frozen Rainbow”, dão sequência a esse grande espetáculo, onde se via um público emocionado, por estar presenciando um dos melhores shows que já passou pela capital gaúcha.



PAUL QUINN, membro fundador da banda e DOUG SCARRAT, formam uma das melhores duplas de guitarristas, dento do heavy metal, é de se emocionar ao ver o “velho” PAUL QUINN, tocando todos os seus clássicos ao vivo.

Por falar em clássico, lá vem “Backs to the Wall”, “They Played Rock and Roll”, essa uma paulada que novamente fez o Opinião tremer, “Power and the Glory “, “Ride Like the Wind”.

A essa altura já tínhamos um público completamente enlouquecido e muito satisfeito com o que estavam vendo, e o SAXON continua o show com “Broken Heroes” e as clássicas “Motorcycle Man”, “747 (Strangers in the Night)”, “And the Bands Played On”, “Lionheart”, “To Hell and Back Again”, “Dallas 1 PM” e aquela que fez lágrimas escorrerem em nossos rostos, “Crusader”.


A essa altura do show, banda e público viviam uma química inexplicável e de arrepiar, todas músicas cantadas por todos os fãs, dessa que é uma das maiores bandas da história do heavy metal.



E o que falar da cozinha do SAXON? Uma palavra para definir: perfeição! 

NIGEL GLOCKLER (bateria) e NIBBS CARTER, estavam em uma noite inspiradíssima, principalmente NIBBS, que é um show à parte, agitando o show inteiro, correndo pelo palco, pulando de um lado para o outro, carismático.


E que temos para o bis? Clássicos é claro, então a banda vem com uma trinca matadora: “Heavy Metal Thunder”, “Never Surrender” e o clássico dos clássicos, “Princess of the Night”, confesso que aqui, o choro veio, meio escondido, mas veio, era muita emoção, só que gosta de heavy metal e de SAXON, vai saber o que estou dizendo.



Com praticamente 02 horas de show, encerra-se um dos melhores shows que passou por Porto Alegre, um show histórico e emocionante, quem foi vai lembrar para o resto de suas vidas e quem não foi, sinto muito, pois perdeu um baita show.

Na saída se via nos rostos das pessoas, a alegria de ter um sonho realizado, a espera valeu e o SAXON passou por aqui, para nunca mais ser esquecido.














Fotos: Elaine Kist Rezzadori.



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário