16 de junho de 2019

[Crítica] ARCH/MATHEOS - Winter Ethereal - 2019


ARCH/MATHEOS é como se fosse uma outra versão da banda FATES WARNING, mais voltado para o estilo da banda nos seus primórdios, na época dos 3 primeiros álbuns, "Night on Bröcken" (1984), "The Spectre Within" (1985) e "Awaken the Guardian" (1986). O próprio nome do projeto é a junção dos dois principais personagens daquela época, o vocalista John Arch e o guitarrista e único remanescente do FATES WARNING, Jim Matheos, até hoje o principal compositor da banda.

Para completar as performances do trampo, temos também outros membros do FATES, como guitarrista Frank Aresti, os incríveis bateristas Bobby Jarzombek (Fates Warning, Halford), o lendário Mark Zonder (ex-Fates Warning), a participações dos baixistas Joey Vera (Fates Warning, Armored Saint) e Joe DiBiase (ex-Fates Warning) e outros citados no Line-up abaixo da resenha. Ou seja, é basicamente o FATES WARNING sem Ray Alder e com John Arch

A vibe instrumental do álbum se aproxima muito do último lançamento do FW, "Theores of Flight" (2016), já que a produção ficou novamente a cargo de Jim Matheos. Soa quase como um novo lançamento da banda principal, mas com a pegada dos primeiros álbuns, talvez inspirados pela reunião que culminou no álbum ao vivo "Awaken the Guardian Live" (2017), onde tivemos a formação daquela época no palco (eu, particularmente, não gosto desta fase).

As músicas são fantásticas, porém, o que me incomoda é a voz de John e seu estilo melódico, sua maneira de arranjar a métrica das letras, o homem parece que não respira, parece que as frases não acabam nunca.... Me incomoda muito o fato de ele sempre começar uma frase com um bend agudo e ficar cantando como uma onda, subindo e descendo o tempo todo. Dificilmente há uma nota em que dure 2 compassos na sua voz, é falação o tempo todo, soa chato... Salvo em alguns momentos mais "feeling", onde ele até mete uns drives em raras melodias mais baixas, lembrando um pouco Mike Kiske.

Para a playlist de 2019, destaco a rápida, longa e progressiva abertura do trabalho "Vermilion Moons", a atmosférica e empolgante "Wenderlust", essa sim, com ótimos momentos de John Arch. A pesadona "Straight and Narrow" e sua introdução de bateria insana. Teria Bobby se inspirado em outra obra sua, "Betrayer" do Halford para esta introdução? Veja o vídeo abaixo. E por fim, a mais longa do álbum "Kindred Spirits" e seus 13 minutos de muitos climas e levadas.



A obra em si não é ruim, as músicas são incríveis, Matheos é um grande compositor e tem um time de primeira linha lhe acompanhando, mas o que quase bota tudo a perder e deixa a audição um pouco difícil é exatamente a voz. Com todo o respeito ao John Arch, que deve ser um cara gente boa, não consigo deixar de imaginar essas mesmas músicas na voz do mestre Ray Alder e utilizadas, facilmente, em um novo lançamento do FATES WARNING. Nossa! ficaria incrível!


NOTA - 6,0
=========================
ARCH/MATHEOS - Winter Ethereal - 2019
Tracklist

01. Vermilion Moons
02. Wanderlust
03. Solitary Man
04. Wrath of the Universe
05. Tethered
06. Straight and Narrow
07. Pitch Black Prism
08. Never in Your Hands
09. Kindred Spirits

Line-up

Vocalista
JOHN ARCH

Guitarristas
JIM MATHEOS
FRANK ARESTI - Solos em "Never In Your Hands" e "Kindred Spirits"

Baixistas
JOE DIBIASE − Solitary Man"
JOEY VERA − "Wanderlust" e "Never In Your Hands"
STEVE DI GIORGIO − "Vermilion Moons", "Wrath of the Universe" e "Straight and Narrow"
SEAN MALONE − "Pitch Black Prism" e "Kindred Spirits"
GEORGE HIDEOUS − "Tethered'

Bateristas
BOBBY JARZOMBEK − bateria em "Wrath of the Universe" e "Straight and Narrow"
MARK ZONDER − bateria em "Wanderlust" e "Tethered"
MATT LYNCH − bateria em "Kindred Spirits"
THOMAS LANG - bateria em "Vermilion Moons", "Solitary Man" e "Pitch Black Prism"
BAARD KOLSTAD - bateria em "Never In Your Hands"



==========================
Gostou desta matéria exclusiva

 photo RESENHAS.jpg
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário