17 de junho de 2019

[Especial] Hall das Obras Primas



O que define algo como obra prima? Segundo dicionários:
"1. Obra de grande perfeição. 2. Notável e de mais alto destaque em determinado gênero. 3. O melhor trabalho de um escritor ou um artista; obra-mestra."
No meio musical, algumas bandas possuem até mais de uma Obra Prima - o que talvez fuja um pouco do sentido literal - Mas, se tratando de algo do qual vivenciamos e o volume que é produzido, como a música, ficamos principalmente com as 2 primeiras definições acima, apesar de sempre existir "o melhor" trabalho do artista... Mas, enfim... 

Aqui no site Heavynroll eu criei uma série de critérios para definir um trabalho como "Obra Prima" partindo dos princípios básicos da própria música que são: Melodia (tema), Harmonia e Ritmo. Estes 3 princípios devem estar perfeitamente incorporados para que alguma coisa se chame "música", obviamente!*

E a Obra Prima? Além das 3 diretrizes, no caso de análises, incluo ainda: ProduçãoPerformances, Conceito e Uniformidade. Através disso tudo, consigo basear minhas críticas e chegar a um veredito em uma resenha. Faltando um desses 4 últimos itens podemos até ter uma nota 10, pelo conjunto global da obra no ano específico do lançamento, mas não será necessariamente uma "masterpiece", ou seja, um 10-M! Entenderam? - Apesar que dificilmente darei um 10 para uma produção de baixa qualidade. Pode até faltar as outras 3, mas a produção é a mais importante das 4.
  • Produção
Quando você vai registrar um trabalho, tem que ter em mente que deve entregar algo audível, com uma boa mixagem, além de frequências e timbres balanceados. Claro que, nem sempre a grana é boa para contratar um profissional Top, mas hoje em dia temos softwares, programas e plug-ins poderosos onde, mesmo em casa, de forma amadora, consegue-se fazer um bom trabalho. Considero este um requisito importantíssimo! Não tem nada mais desagradável que ouvir um álbum com excessos de frequências ou volumes que acabam, as vezes, estragando ótimas músicas.
  • Performances
Não é um item primordial, já que o nível técnico de músico para músico varia em uma escala gigantesca e, mesmo com este variação, temos trabalhos magníficos, seja com 10 acordes e 20 fraseados intrincados em um compasso, seja com 4 acordes na música toda. Tudo depende da proposta do artista. Porém, é perceptível quando aquele vocalista está cantando desafinado, quando o guitarrista não tem a mínima noção do que está fazendo, ou mesmo aqueles probleminhas de tempo do baterista... Uma coisa é ser pesado, rápido e até barulhento, mas saber o que está fazendo é o básico!! - Salvo aqui, propostas onde o improviso é o lance, mesmo assim, improvisar não é fazer qualquer coisa, precisa saber "de onde vem e pra onde vai!".
  • Conceito
Pode ser o conceito lírico, gráfico ou global. Geralmente tem apenas dois destes - gráfico e global - onde temos álbuns com músicas que, mesmo independentes, fazem parte daquela época do artista. E sempre temos o conceito gráfico para "dar cara" ao momento. Quando temos os 3, aí temos álbuns conceituais ou temáticos, onde conta-se uma estoria ou as músicas tem um tema em comum uma com as outras.
  • Uniformidade
Aqui tem a ver com produção também. A massa sonora tem que estar coesa. A banda tem que soar uniforme. No momento que você ouve um trabalho e percebe que as músicas foram gravadas em diferentes épocas, onde até mesmo os timbres estão diferentes, perde a uniformidade. Então é melhor lançar o que conseguiu registrar naquele momento em forma de um EP ou single, do que ficar anos gravando um trabalho e depois soar estranho.

Mas o por que desta matéria?

O motivo é que pretendo criar aqui no site, nas próximas semanas, um "Hall de Obras Primas", ou seja, uma página destinada a pontuar o que EU considero as grandes obras primas do Rock/Metal brasileiro. Destacar os grandes álbuns que considero referência para a minha geração e uma fonte de inspiração e conhecimento para as gerações futuras.

E você, leitor, pode participar desta pesquisa me indicando álbuns que você considere importantes dentro do nosso cenário nacional. Sim, pretendo me ater ao cenário nacional porque do gringos já estamos carecas de saber... Enfim, basta comentar abaixo que eu vou procurar e analisar se bate com o que eu acredito. abraço a todos!



* NR: Por isso que quando uma pessoa vem me falar que o "Funk Carioca" é 'música" eu rechaço completamente!! Porque, em termos cultura local, até pode ser chamado de algo como "manifestação musical", como as tribos africanas que fazem "música" apenas com tambores. Mas, veja bem, aquele "batidão" que nos torturam, tem o Ritmo, a Melodia (Risos), mas não tem Harmonia! Não basta ter um tema, se a base deste tema não cria uma Harmonia, logo, não é Música!! Apenas uma manifestação cultural através da música. Como uma música de acasalamento de insetos.... 
=====================================
Gostou desta matéria exclusiva

 photo RESENHAS.jpg
Comentários
0 Comentários