12 de junho de 2019

MOTORDRUNK - Reestruturados após grave problema de saúde do guitarrista

Lançado no ano passado, o debut do grupo, autointitulado, apresenta um Heavy Metal pesado e classudo, resultado direto dos agora completados 10 anos de estrada.



Oriundo de São José do Rio Preto/SP. Sergio Naza (vocal), Rafael '69' Dias (guitarra), Mauricio Lopes (guitarra/teclados) e Jovani Fera (bateria) passaram por um momento complicado quando Mauricio Lopes teve problemas sérios de saúde. 

Em 2017, durante o processo de gravação do álbum, o guitarrista começou a sentir fortes dores na perna esquerda: “a dor era tão intensa a ponto de nem conseguir dirigir mais e, depois de várias consultas e exames, já em 2018, iniciei o tratamento com fisioterapia no joelho esquerdo, junto com a tendinite no braço e mão direita. Nessa parte arranquei o imobilizador do braço para fazer as fotos da banda”. Segundo o músico, os problemas já vinham com o tempo: “Por alguns anos tive dores nas costas (lombar), com intervalos de tempo consideráveis, onde achava comum devido ao sobrepeso. Essa dor começou a aumentar e com intervalos de tempo menores. Em alguns casos, durante os shows, uma amiga enfermeira ia me aplicar injeções para que eu conseguisse finalizá-los. Nesse mesmo ano as músicas do debut já estavam no processo de composição...”.

Assista ao videoclipe de “Motordrunk”:

Entretanto, foi somente depois de quase quatro meses de fisioterapia sem resultado positivo com as dores que o guitarrista descobriu o real problema. Através de uma consulta com um neurologista foi feita uma ressonância que foi detectada uma situação rara, conhecida como "Síndrome da Cauda Equina", doença que corta as funções motoras quando a hérnia de disco alcança a medula, como forma de defesa, para não lesionar mais os nervos. 

Mesmo com a iminência de uma cirurgia, Mauricio Lopes superou a dor e gravou o vídeo clipe do MOTORDRUNK, através de medidas como fisioterapia, acupuntura, etc. “Gravamos o clipe na segunda feira. Na mesma semana, quinta feira, senti uma dor absurdamente forte nas pernas e não consegui mais me movimentar. Não conseguia respostas do corpo da cintura para baixo. Nisso fui internado e, quatro dias depois, para a cirurgia.”. 

Entre idas e vindas do hospital, Mauricio mostrou aos médicos uma grande determinação e o amor pela banda e pelo Heavy Metal falaram mais alto. O próprio músico relata abaixo a conversa que teve com o médico:
Minha frase para o neurologista foi:
- Independente de o doutor me tratar com antibióticos ou me fazer outra cirurgia, volto a ensaiar em duas semanas para esse show.
A resposta do médico foi:
- Não posso prometer isso.
Então retruquei:
- Não estou pedindo, estou comunicando o que farei.
Segundo Maurício, “nada me impediria de seguir com o sonho que há tanto tempo eu almejava”, que era o lançamento do debut do MOTORDRUNK. Embora tenha passado por tantas dificuldades, o sonho foi concretizado: “depois de vários processos, consegui, mesmo travado, realizar o show de estreia do Motordrunk! Ainda estou em recuperação, mas já recuperei 90% de minhas funções.”. O guitarrista ainda conta que muitos amigos perguntaram o porque de não ter feito a cirurgia de imediato, mesmo antes da gravação do clipe: “Segundo o neurologista, não tinha como saber se eu recuperaria minhas funções ou se eu aguentaria a cirurgia, era um risco muito alto, principalmente pelo peso. Tínhamos pouco tempo disponível para gravar o clipe, tanto com a disponibilidade do local, quanto com a estadia do diretor na cidade.”

Agora reestruturados e com Mauricio em plena recuperação, o MOTORDRUNK busca recuperar o tempo perdido e divulga “Motordrunk” para todos os aficionados num Metal de qualidade e sem dúvidas, feito com muito suor e garra, apesar das dificuldades.

Ouça o álbum no Spotify:


====================
Contatos:
Assessoria de Imprensa: www.wargodspress.com.br


Fonte: Wargods Press
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário