30 de dezembro de 2019

MELHORES DE 2019 - INTERNACIONAL

Chegado fim de ano e é hora de fazer aquela listinha marota com os melhores do ano. Então, confira nesta matéria quais foram os álbuns internacionais que mais me chamaram a atenção em 2019.



NE: Lista por ordem de preferência e sujeita a alterações. Vai saber se não deixei passar alguma coisa...


INTERNACIONAL




QUEENSRYCHE - The Veridict - 10/10

"O que chama a atenção em "The Veredict" é uma perceptível evolução nesta formação e também algumas curiosidades que cercam a produção deste álbum. Uma delas é Todd La Torre, o cara tá cantando demais! Não só no estúdio sua voz está mais fluida e versátil como também ao vivo (sempre pesquiso por shows para ter a real de cantores). Outro detalhe, até estranho, deste trabalho é que pela primeira vez na história do Rÿche o bateria Scott Rockenfield não participou das gravações... e o mais incrível ainda: quem gravou as baterias foi.. Todd La Torre!!!... surreal isso! Não é que o homi é bão mermo?"... - RESENHA



MAGO DE ÖZ - Ira Dei - 10/10

""Ira Dei" é uma das melhores coisas que ouvi nos últimos tempos. Um álbum bem gravado, com ótimas performances e, o principal, muito inspirado e criativo. O MÄGO DE OZ, hoje em dia, faz um Folk Metal com Power Metal de muita propriedade, mesclando elementos como gaitas, violinos, flautas e banjo de maneira perfeita e coerente, sem deixar a coisa repetitiva e massante como a maioria das bandas do estilo. E a produção, a cargo Alberto Seara, está fodástica!..."  
RESENHA  
Videoclipe - "Te Traré el Horizonte"


LUCIFER´S FRIEND - Black Moon - 9,5/10 - [Updated]

E quem lançou álbum novo em 2019, mas fiquei sabendo só no começo de 2020, foi o lendário Lucifer´s Friend...  e, meu amigo, que disco!! "Black Moon" traz de volta toda aquela atmosfera setentista feita por quem realmente viveu e sabe como fazer a coisa. Além das ótimas composições, como as incríveis "Black Moon", "Passengers", "Rolling the Stone", "Call the Captain", "Freedom" e "Taking it to the Edge", o que mais impressiona mesmo é o fato de John Lawton (ex-Uriah Heep), no auge de seus 73 anos estar com a voz simplesmente intacta! E que timbre!! 




SILVER BULLET - Mooncult - 9,5/10

"Sabe quando você está escutando a playlist do Spotify e este acaba, e então, o aplicativo começa a tocar músicas semelhantes ao que você estava escutando? Pois é, foi assim que descobri esta ótima banda..." - RESENHA




RIVAL SONS - Feral Roots - 9,5/10

Cara, que banda foda! O RIVAL SONS lançou seu primeiro trabalho em 2009, porém, foi nesta década, a partir do ótimo "Pressure & time", em 2011, que o grupo realmente começou uma ascensão musical e não parou mais. Mas é em 2019 que, ao meu ver, eles chegam ao seu ápice com este fabuloso álbum, o "Feral Roots". Digo mais: Se eu fosse separar os melhores por categoria, este álbum, com toda a certeza, estaria figurando como o melhor álbum Rock de 2019. Músicas como "Do Your Worst", "Back in the Woods", "Look Away" e "Stood By Me" trazem toda aquela carga setentista do Hard e Blues feito por bandas como Led Zeppelin e , fazendo uma mistura entre o que chamamos hoje e Southern e Stoner. E o melhor, sem soar como um cover....




CANDLEMASS - The Door to Doom - 9,5/10

""The Door to Doom" é o que tem de melhor no legado deixado pelos pais do Metal. Riffs criativos, pesados e densos, atmosferas sombrias, levadas cativantes e um vocalista com um voz linda, poderosa e, o melhor, única! Que timbre foda!..." - RESENHA




MICHAEL SCHENKER FEST - Revelation - 9/10

"E o véio Schenker e seu time de estrelas está com toda a corda! Em 2018 o grupo lançou o excelente "Resurrection" e em 2019, sem perder tempo, traz pra vocês o segundo álbum do projeto, o "Revelation". A sonoridade de ambos seguem a mesma fórmula, algo entre o Hard Rock e o Classic Rock com pitadas do Heavy Metal Tradicional,..." - RESENHA



DIRTY HONEY - Dirty Honey - EP - 9/10

Outra banda que tem tudo para se tornar um grande nome do Rock/Southern/Stoner. O DIRTY HONEY tem uma forte influência de Led Zeppelin, porém eles partem um pouco mais para o apelo radiofônico e o Pop. As guitarras também não tem uma timbragem tão vintage como os colegas de estilo, são até modernas e pesadas. A trilha sonora perfeita pra entrar em uma playlist de viagem. Fizeram bonito neste EP, vamos ver como se saem num próximo lançamento.




TURILLI/LIONE RHAPSODY - Zero Gravity (Rebirth & Evolution) - 9,0/10

"Sobre o álbum, ele foi financiado pelos fâs através do crowdfunding e não decepcionou a ninguém, já que é um dos melhores lançamentos de 2019. As composições são inspiradas e a temática inteligente, envolvente do começo ao fim e, obviamente, as performances dos líderes do projeto são perfeitas, como também de toda a banda que os acompanha..." - RESENHA




GLORYHAMMER - Legends From Beyond the Galactic Terrorvortex - 9,0/10

"O álbum é tão bom quanto os anteriores e, se você acha que por conta do conceito do grupo a coisa é "engraçadinha" se enganou redondamente, pois o grupo leva muito a sério sua música. Os músicos são formidáveis e o vocalista, Thomas Winkler, um dos melhores da nova safra de músicos que tem aparecido no Metal. Vale muito a pena ouvir este petardo..." - RESENHA




DREAM THEATER - Distance Over Time - 9,0/10

""Distance Over Time" tem tudo o que esperamos do DREAM THEATER: grandes temas, ótimas levadas, peso, quebradeira, fritação, feeling e belas harmonias. Um álbum que retoma ao ponto de uma sequencia de ótimos lançamentos interrompida por "Astonishing"...." - RESENHAS




KOBRA AND THE LOTUS - Evolution - 8,5/10

"As composições, com já disse, mantém o ótimo padrão de criatividade, com harmonias bem construídas e linhas vocais cativantes. Se nos dois "Prevails" a banda já havia experimentado composições diferenciadas como "You Don´t Know" e "Let Me Love You", ambas com forte apelo radiofônico, aqui a banda consegue dosar melhor estes universos e ter uma receita mais balanceada entre o peso, refrão grudento e as levadas mais "felizes", como é o caso de "Burn!", o primeiro single, a atmosférica "Wounds" e a empolgante "Thundersmith"..." - RESENHA




AVANTASIA - Moonglow - 8,5/10

"tenho que reconhecer que a qualidade musical e a atmosfera envolvente das faixas são de arrepiar. A quantidade de detalhes nos instrumentais, as melodias vocais, somado com a trama que agora sabemos ser uma autobiografia de Tobias, tudo isso, deixa o álbum com uma vibe mágica. ouça e não te arrependerá!!..." - RESENHA




OPETH - In Cauda Venenum - 8,0/10


""In Cauda Venenum" não é um álbum para se ouvir a qualquer momento e nem "picado". Se você o colocar em um momento de calma, lendo um livro ou mesmo prestando atenção em sua mensagem como um todo, o álbum é incrível, no mesmo nível até das grandes bandas do Rock Progressivo do passado, porém, é difícil para a geração atual ouvir um álbum "de cabo a rabo", o que vai prejudicar um pouco a popularidade deste trabalho em relação aos outros"... - RESENHA




SWEET OBLIVION - Sweet Oblivion - 7,5/10

"Depois de alguns anos à frente de seu controverso projeto Operation: Mindcrime, que lançou 3 álbuns bem medianos (pra não dizer ruins), Geoff Tate parece ter se reencontrado com o som pesado e de bom gosto, primeiro em sua participação magistral no recente álbum do Avantasia, como também na atual turnê da banda e, agora, participando deste projeto de músicos italianos..." - RESENHA



SABATON - The Great War - 7,5/10

"Musicalmente, o que você ouve em "The Great War" é o "mais do mesmo" de toda discografia da banda: vocal grave, poderoso e agressivo, corais retumbantes, tom épico, levadas dançantes e empolgantes, conduzidos por aquela bateria grave e marcante. É uma banda que criou seu estilo e o mantem fielmente ao longo dos seus 20 anos de existência, comemorados em 2019 com a turnê deste álbum..." - RESENHA




HERMAN FRANK - Fight the Fear - 2019 - 7,0/10

"A produção é primorosa, exatamente o que esperamos de uma banda do refinado Metal Alemão, limpo e com ótimos timbres. Já em termos de composições, não há nenhuma novidade. Riffs, levadas e grooves bem característicos e manjados estão presente em todo o álbum, aliás, em muitos momentos você vai se perguntar: "eu já ouvi isso antes?...". Sim! você já ouviu... porque muita coisa aqui se assemelha ao Accept, Masterplan, At Vance e até mesmo Helloween..." - RESENHA




LAST IN LINE - II - 7/10

"Se no primeiro álbum - "Heavy Crow" (2016) - a banda resgatava pretensiosamente toda aquela atmosfera dos primórdios da banda DIO e tinha uma pegada mais Hard/Heavy Metal tradicional, no atual lançamento, temos a banda com uma outra abordagem, mais Hard Rock, flertando muito com o Pop e o Stoner. "II" está me lembrando muito a banda Black Star Riders..." - RESENHA




OVERKILL - The Wings of War - 7/10

"Bom, falar de lançamentos do OVERKILL chega a ser uma redundância já que, desde as capas dos álbuns até as composições praticamente, não muda nada. É sempre aquele thrashzão cruzão e raiz, com timbres nervosos, velocidade e um vocal prá lá de "reinento"..". - RESENHA




WHITESNAKE - Flesh & Blood - 7/10

"O disco alterna entre o Hard pesado e aquele som mais AOR, o que deixa a coisa, ao menos pros meus ouvidos, em 50/50, ou seja, as que agradam são sensacionais e as que não agradam são uma bela merda..." - RESENHA




================oOo================

ÁLBUNS AO VIVO

BLACKBERRY SMOKE - Homecoming Live In Atlanta (live at the Tobernacle)

Quer saber como se faz uma apresentação, ou melhor, um registro ao vivo, 100% raiz? Então escute este grandioso álbum do BBS. O que tu ouve aqui é o que se ouviu por lá, na íntegra, sem cortes e sem censura! Um showzão do começo ao fim! a reprodução de 21 das melhores faixas da carreira e mais alguns improvisos supreendentes. 



KING DIAMOND - Songs for the Dead Live

Songs for the Dead" tem um ótimo repertório, abrangendo a maioria dos álbuns da discografia solo do vocalista. Músicas como "Welcome Home", "Arrival", "Halloween", "Sleepless Nights", "Come to the Sabbath" e "The Family Ghost" estão por aqui. E é muito bom ouvir estas pérolas com uma timbragem mais moderna e pesada.



JORN - Live On Death Road

O que vemos em "Live on Death Road" e um Hardzão mais pesado, com versões mais nervosas e atraentes de músicas antigas e, ainda de quebra, podemos apreciar versões de covers como "Shot in the Dark" (Ozzy Osbourne), "The Mob Rules" (Black Sabbath) e "Rainbow in the Dark" (Dio), músicas já regravadas por Jorn em algum momento do passado.

Liveclipe - "Ride Like the Wind"



SONS OF APOLLO - Live with the Plovdiv Psychotic Symphony

"E o que temos neste registro? Basicamente todo o primeiro álbum tocado ao vivo, porém, numa ordem diferente e intercalado com Jams, covers e acompanhado de uma orquestra. As performances são, obviamente excelentes, já que estamos falando de músicos extremamente técnicos..."

Liveclipe - "God of the Sun"



MAGNUM - Live at Symphony Hall

Os veiaco fazem um show simples e sincero, com uma performance de quem tem décadas de experiência. O álbum faz parte da promoção do álbum "Lost On the Road to Eternity" (2018) e, além de músicas mais recentes, também revisita algumas da época mais Hard anos 80', mas com um veneno a mais, Vale a pena ouvir.









Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário