GEOFF TATE - Fala de momentos conturbados no QR e sobre Scott Rockenfield fora da banda

Em 29 de fevereiro, Geoff Tate sentou-se com o apresentador de rádio Miles "The Shoe" Schuman para uma ampla entrevista antes do show no Paradise Rock Club em Boston. 


Falando sobre sua saída de 2012 do QUEENSRŸCHE, Tate disse: 
"Só sei que foi uma época muito difícil de passar. E estou feliz que tenha terminado e que tenha passado o tempo. Aconteceu há quase 10 anos. É um mundo totalmente diferente neste momento. O mundo é bem brilhante e muito feliz. Desejo-lhes sorte! Eles tiveram muita dificuldade. Nossa! Agora eu estou fora da banda, Chris DeGarmo [guitarra] está fora da banda, Scott Rockenfield [bateria] não está mais na banda. Portanto, é apenas o baixista [Eddie Jackson] e o guitarrista [Michael Wilton]."
Questionado se ele conversou com Scott desde a saída do baterista de QUEENSRŸCHE, há três anos, Tate disse: "Não. Ele desapareceu. E não está no bom caminho".

Em julho passado, Tate disse ao programa semanal de rádio sindicalizado 88.1FM WESU "Noize In The Attic" que ele tinha "quase certeza de que" Scott "não deixou" a banda por vontade própria. 
"Posso dizer que há processos envolvidos; eu sei disso", disse ele. "Ele está em um lugar realmente sombrio, e eu espero que ele receba ajuda, porque ele está realmente desvendado, sabe? Na minha opinião. É muito ruim - ele é um baterista incrivelmente talentoso e, infelizmente, ele nunca ficou feliz com isso" Não foi bom o suficiente para ele. "
Em 2012, surgiram imagens de vídeo de Tate aparentemente cuspindo em Rockenfield durante o show do QUEENSRŸCHE em São Paulo, Brasil. Mais tarde, Tate alegou que ficou zangado quando o resto da banda demitiu o gerente, o assistente de escritório e um dos técnicos de guitarra do grupo do QUEENSRŸCHE, "que todos eram membros da minha família", disse Geoff à Rolling Stone. 
"Estou me preparando para a minha apresentação, pronto para subir no palco, e Scott olha para mim e sorri e diz: 'Acabamos de despedir toda a sua família e você é o próximo'. Acabei de perder. Tentei dar um soco nele. Acho que não dei um soco antes que alguém me agarrasse e me puxasse para o lado. No caminho, consegui empurrar [Michael] Wilton, e realmente, isso aconteceu. Depois, eu me acalmei e fizemos o show, e tudo correu bem."
No mesmo ano, Tate defendeu sua decisão de cuspir em Rockenfield, dizendo a Über Röck:  
"é um antigo ato de desafio e desprezo: é um gesto simbólico. As pessoas fazem isso há séculos e os americanos não conseguem entender isso. Eles acham que é juvenil, como algo que uma criança faz. Eles não conseguem entender os caras se metendo em um soco. Eles temem isso, ficam horrorizados com isso. Em outros países, por exemplo, na Irlanda, os irlandeses não. vêem algo de errado com isso."
Veja a entrevista completa (em inglês) no vídeo abaixo:

Comentários