Banda CINEMA SHOW retorna com novo trabalho

“The Sentimental Film” ficou guardado por oito anos e agora ganhou nova masterização para lançamento digital




BIXO DA SEDA, UTOPIA, VOO LIVRE, APOCALYPSE, GRANDBELL, POÇOS E NUVENS, INDEX... A cena gaúcha é mesmo uma das mais relevantes do rock progressivo brasileiro. Quantitativa e qualitativamente. E dessa mesma cena vem a icônica banda porto-alegrense CINEMA SHOW.

Originalmente formada em 1994, o grupo ficou conhecido pelo seu álbum de estreia, o clássico “Dança dos Ventos” de 1995. Com o debute, o Cinema Show buscou inspiração em nomes como Genesis, King Crimson, Pink Floyd, PFM, Gentle Giant entre outros, para sugerir sua própria leitura do rock progressivo clássico, com sotaque gaúcho, é claro.

Composta por Luciano Bolobang (bateria), Adelamir Neto (baixo), Bili Netti (guitarra), Gaspar Caon (teclados) e Gustavo Demarchi (vocal e flauta), a CINEMA SHOW está de volta após um período em hiato. O retorno é marcado pelo lançamento de “The Sentimental Film”, disco que havia sido gravado em 2013, mas que só agora chega às plataformas digitais com nova masterização.

The Sentimental Film foi gravado praticamente sob encomenda, já que, na época, havia negociações em andamento para o lançamento acontecer por uma grande gravadora”, lembra o vocalista Gustavo Demarchi. “Ao longo do processo, não apenas as negociações esfriaram, mas o próprio mercado da música migrou para a digitalização. Ainda assim, tentamos viabilizar o lançamento físico, mas devido a projetos diversos dos integrantes – todos são músicos reconhecidos na cena musical gaúcha -, a banda entraria em hiato a partir de 2014.

Gustavo Demarchi acabou redescobrindo “The Sentimental Film” durante o período de pandemia. As restrições à projetos e atividades voltadas para o palco, permitiram que o músico se dedicasse ao processo de lançamento.

Durante as gravações em 2013 eu já sentia que tínhamos algo especial nas mãos, mas ao ouvir o álbum com a distância do tempo, senti não apenas que as canções pareciam ainda melhores, mas que faria total sentido que o lançamento fosse pelas plataformas digitais.

Diferentemente de “Dança dos Ventos”, “The Sentimental Film” é todo composto em inglês e conta a história de duas pessoas que refletem suas vidas pela perspectiva de uma sessão de cinema, um ambiente onde ficção e realidade se misturam e nada é o que parece ser. Quem assina a arte de capa do álbum – inspirada na tela “The Lovers” do pintor belga René Magritte – é o próprio vocalista Gustavo Demarchi.

“The Sentimental Film” foi gravado e mixado no LKR Estúdio em Porto Alegre e reúne 13 faixas: “Lover’s Theme”, “Windsong, Pt. I: Overture”, “Windsong, Pt. II: Questions”, “The Sentimental Film, Pt. I: Lights Off”, “Ticketman’s Dream”, “Erotic Matinees”, “Don’t Go”, “Softs 2”, “The Hospital Yard”, “Dance Of Reality”, “Lover’s Theme Reprise”, “The Sentimental Film, Pt. II: Lights On” e “The Sentimental Film, Pt. III: Gone With The Wind (And Closing Credits)”. O álbum conta com a participação especial do tecladista Primo Lord.

Ainda de acordo com Gustavo, a nova masterização, feita por Jesiel Rocha, trouxe novas possibilidades à sonoridade do álbum.

O Jesiel é conhecido por trabalhos com bandas como Tarcísio Meira’s Band, projeto YLEM e 10KPNR, e com quem eu já trabalhei em uma série de outros projetos musicais. Ele tem se especializado em mixagem e masterização. Enviei pra ele as canções do álbum com algumas referências e fiquei impressionado com o trabalho que ele fez. Por ser baterista, ele buscou destacar a seção rítmica de bateria e baixo, e isso deu uma profundidade que a versão original não possuía.

Para ouvir “The Sentimental Film”, acesse:

Mais Informações:

Nenhum comentário:

Postar um comentário