TODD LA TORRE mostra todas as suas influências em "Rejoice in the Suffering"

[Crítica] - NOTA - 10/10

Lançamento: 05.02 / País: EUA

A história de Todd La Torre é daquelas do tipo "acredite nos seus sonhos!". Começou como baterista em pequenas bandas de sua cidade (St. Petersburg/Flórida/EUA) para depois encontrar seu caminho como vocalista. E o primeiro grande trunfo foi ter entrado para a banda CRIMSON GLORY substituindo o lendário e saudoso Midnight em 2010 (ele faleceu em 2009).

Mas foi apenas 2 anos mais tarde que sua carreira deu aquela guinada que todos almejamos, um misto de talento e sorte, "estar no lugar certo na hora certa". Geoff Tate acabava de romper com QUEENSRYCHE e dava início a uma batalha judicial pelo os direitos do nome (essa história todos sabem, chegou a ter dois Queensrÿches rolando por aí...). 

Para resumir a história, o guitarrista Michael Witton então conheceu Todd e deu início a um projeto chamado RISING WEST, onde o RYCHE tocava apenas seus primeiros 4 trabalhos (1 EP e 3 álbuns) numa forma de reaver a antiga sonoridade pesada. E, depois que  Tate e o RYCHE entraram em acordo, a banda pôde enfim seguir em frente e Todd La Torre era finalmente o novo vocalista do QUEENSRYCHE. De 2013 pra cá, foram 3 excelentes álbuns, sendo que o mais recente, "The Veredict" (2019) Todd gravou também a bateria!

Em 2019, La Torre já mencionava que estaria trabalhando em seu primeiro álbum solo, mas de forma tímida, então veio a pandemia em 2020 e, com ela, o engessamento de turnês e eventos. Com a pausa na turnê do RYCHE, Todd juntou-se ao seu amigo, guitarrista e produtor Craig Blackwell e deu mais atenção a este projeto. O resultado é este fabuloso álbum em 2021 chamado "Rejoice in the Suffering".

Em seu primeiro álbum solo, Todd La Torre gravou os vocais e as baterias enquanto Blackwell gravou guitarras, baixos e teclados. E o que temos em "Rejoice..." é uma verdadeira coletânea de todas as influências de Todd La Torre

Ao longo das super bem produzidas e pesadas 10 faixas do álbum (mais 3 bônus), vemos claramente influências de bandas como JUDAS PRIEST, FIGHT e HALFORD nas faixas "Dogmata" e "Pretenders" (esta então, praticamente emulando Rob Halford em grande estilo), ICED EARTH em "Hellbound and Down", "Darknest Majesty" e "Rejoice in Suffering", o Thrash Metal/Speed de bandas como OVERKILL e EXODUS em "Vanguards of the Dawn Wall" e muita coisa do QUEENSRYCHE aqui e ali, porém, mais acentuado nas faixas "Crossroads to Insanity" e "Vexed".

"Rejoice in Suffering", de alguma forma, consegue transformar todos esses clichês e referências claras do Metal em algo fresco, atual, moderno.., É perceptível a evolução técnica de Todd La Torre desde seu primeiro registro ao Mundo em 2013 com o "novo" QUEENSRYCHE, explorando várias técnicas, desde os tradicionais agudos aos drives e até arriscando guturais em muitos momentos. Dá para dizer que ele está em seu melhor momento, e este álbum dá a sensação que chegou exatamente na hora certa! A palavra é simplesmente: Fabuloso! No top dos lançamentos de 2021 com toda a certeza. 

Escute e não te arrependas:
https://open.spotify.com/album/3S4joziCSug5IUOaeehxa5?si=1nOPmM2lSnWT5_8UFGG8OQ

Veja o videoclipe mais recente:

Nenhum comentário:

Postar um comentário