KARL SANDERS do NILE diz que escrever sobre o Egito é uma fonte inesgotável de assuntos

Com quase 30 anos de estrada, o grupo liderado por Sanders atingiu um patamar elevado na concorrida cena do Metal extremo.



E um dos seus grandes diferenciais da banda, além da técnica elevada, é sua temática voltada à temas egípcios, onde eles mesmo se categorizaram como “Ithyphallic Metal”, atraindo a atenção também para quem aprecia temas históricos em meio ao Heavy Metal. 

De 1993 para cá foram nove álbuns de estúdio, e embora apenas Sanders seja o único integrante original, ao longo dos anos a banda teve em suas fileiras grandes músicos, e atualmente George Kollias (guitarra), Brad Barris (baixo) e Brian Kingsland (guitarra/vocal) são os encarregados de levar o nome do NILE aos mais distantes cantos do planeta. O último álbum do grupo, intitulado “Vile Nilotic Rites”, saiu em novembro de 2019, impossibilitando uma turnê mundial devido à pandemia, que logo desfez os planos de toda a população mundial.

E para falar uma carreira tão rica musicalmente e com temas líricos tão atrativos, a equipe do HEAVY CULTURE bateu um logo papo com Sanders, com o guitarrista relembrando alguns fatos sobre sua antiga banda, o MORRIAH, que tocava Thrash Metal e já tinha completado uma década de estrada quando o NILE foi formado. Citando suas primeiras influências musicais, como BLACK SABBATH, SCORPIONS e IRON MAIDEN, ele começou a sentir algo diferente quando sugiram as primeiras bandas de Death Metal, como o POSSESSED e seu clássico “Seven Churches”, além da ferocidade do Slayer em seus primeiros registros. 

Sobre a origem do nome NILE, o músico contou que foi sua ex-namorada que sugeriu o nome, pois como ele já era influenciado por temas do oriente médio através do ex-baterista do MORRIAH e fundador do NILE, Pete Hammoura, de descendência libanesa, as coisas se encaixavam perfeitamente.

Sua marca registrada foi debatida, com Sanders destacando que sempre acreditou que há tanto potencial sobre o assunto que quanto mais escrever sobre o Antigo Egito, mais se conhece e que há tanto assunto sobre o Egito que ele poderia escrever músicas pelos próximos 100 anos e ainda assim não arranharia nem a superfície do que é possível ser estudado. Ele também notou, que, nos últimos cinco ou dez anos, há muitas bandas novas copiando NILE e BEHEMOTH, mas mesmo se houvesse dez bandas escrevendo sobre o Egito Antigo, ainda assim não faltariam ideias, pois é uma história muito rica, com muito a ser explorado na cultura, religião, artes, ciências, espiritismo, ocultismo, magia, etc.

Para conferir estes e outros assuntos, acesse:

=================

A agenda de agosto já está criada e contará com os seguintes convidados: no dia 03/08 às 19h o HEAVY CULTURE baterá um papo com o guitarrista Josh Christian, do TOXIK, e seguirá no dia 10/08 com Paul Speckmann, do MASTER, às 17h. No dia 24/08 às 18h será a vez de John-Mikl Thor, mais conhecido como o folclórico THOR, participar do programa, e para finalizar, no dia 31/08 o staff receberá MORTIIS, ex-Emperor¸ às 18h. Durante o mês também serão realizadas lives com temas específicos, como o Heavy Brasilis e o Vinyl Collection.

Mais informações:

Assessoria de Imprensa: www.wargodspress.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário